4 de junho de 2018 - Arquidiocese de Fortaleza

Publicado em 04/06/2018 por João Augusto

Planalto Pici festeja seu padroeiro Santo Antonio

A Festa foi aberta juntamente com a Solenidade de Corpus Christi e segue até o próximo dia 13.

No último dia 31 de maio, Corpus Christi, foi aberta festivamente a 27ª Festa de Santo Antonio, padroeiro da Paróquia do Planalto Pici. Com o tema “Com Santo Antonio, somos chamados a ser Sal da Terra e Luz do Mundo!”, o momento festivo é também um convite à reflexão a cerca do Ano do Laicato, o Leigo e sua importância para manutenção da missão da Igreja.

A programação diária tem início sempre às 18h, com a Exposição e Adoração ao Santíssimo Sacramento seguida da Trezena de Santo Antonio e da Santa Missa.

Após a celebração a comunidade partilha dos momentos de convívio social, com muita música e comidas típicas, sendo que no próximo dia 10, Domingo, após a Missa, acontecesse o Tradicional Bingão, com premiação total de R$ 4.000,00.

A Festa segue até o dia 13, dia de Santo Antonio, onde acontecerá, às 18h, a Procissão pelas ruas do bairro e, em seguida, a Santa Missa, presidida por Mons. Virgínio.

Mais informações e transmissões pela fan page https://www.facebook.com/santoantoniopici/.

Por Herlon Macedo – PASCOM PICI

PROGRAMAÇÃO

Publicado em 04/06/2018 por João Augusto

Inscrições para o Retiro do Clero Arquidiocesano

Para o crescimento espiritual e ministerial do presbitério arquidiocesano de Fortaleza acontecerá o Primeiro Retiro Anual no ano de 2018:

De 2 de julho – Segunda-Feira (início às 18h) a 6 de julho – Sexta-Feira (término na parte da manhã), no Seminário Arquidiocesano de Teologia (Castelão), Fortaleza. A taxa de participação será paga no ingresso do retiro e custará R$ 350,00. Orientará o retiro, Frei Marconi Lins de Araújo, OFM (Reitor do Santuário de São Francisco das Chagas em Canindé).

Lembramos a necessidade que todos os participantes tragam túnica, estola verde e a Liturgia das Horas para as celebrações em comum.

Para contato: Visto o número limitado de vagas, para o Retiro Espiritual é necessária inscrição com antecedência na Sala do Clero – telefone (85) 4005-7860 na Cúria Metropolitana.

Publicado em 04/06/2018 por João Augusto

Vida com tolerância

Padre Geovane Saraiva*

A índole dos cristãos é de sonhar com a realidade última da vida, com seu ápice na glória, na certeza de que sua consistência se encontra em Deus. Ele não exclui e nem discrimina as criaturas, obra de suas mãos, que por sua bondade infinita “faz descer o sol sobre bons e maus”. Nesta Semana do Meio Ambiente, pensemos nos “animais anfíbios”, termo muitas vezes usado para externar intolerância, preconceito e discriminação por parte de pessoas que ideológica e socialmente pensam diferente. Não percebem que os anfíbios atentam para a importância do ecossistema, uma vez que neles, entre muitas coisas vitais, se encontram compostos químicos de interesse das grandes indústrias farmacêuticas.

A importância desses anfíbios é precípua e imprescindível, no conjunto dos demais seres vivos, no sentido do equilíbrio ecológico. Eles fazem parte de uma riquíssima teia alimentar, da qual se alimentam de alguns seres vivos e servem de alimento a outros; alimentam-se de insetos, muitos dos quais daninhos à vida como um todo. No mistério do Universo, que os seguidores de Jesus de Nazaré, a partir de seu olhar terno e afável, jamais duvidem de Deus encarnado e revelado no Filho, que quer nosso compromisso, ao dizer não à poluição e à destruição ambiental, protegendo e conservando a vida, no que existe de mais belo e precioso.

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1972, por ocasião da abertura da Conferência de Estocolmo, na Suécia. Desde então, é comemorado anualmente no dia 5 de junho, e chama a atenção para a grandeza da criatura humana, do ponto de vista da fé e da esperança cristã, em colocar diante dos olhos a realidade do céu, percorrendo aqui na terra o caminho que lhe é proposto. Como é indispensável a prática das bem-aventuranças! Elas significam amor, que é comunhão com Deus e com os irmãos, cientes de que sua missão terrena tem uma direção: o eterno convívio, o qual já se experimenta aqui na terra.

A Semana do Meio Ambiente quer ajudar a conscientizar as pessoas de boa vontade sobre a importância da obra da criação, bela maravilha da humanidade. Que nossa prece chegue ao Deus de bondade, presente em todo o Universo, sobretudo nas pequenas criaturas vossas, encorajando-as no cuidado do meio ambiente. Amém!

*Padre, Jornalista, Colunista e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE. Da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza [email protected]

Artigos Relacionados

Publicado em 04/06/2018 por João Augusto

São Bonifácio

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, C.Ss.R

No dia 5 de junho de 2018 a Igreja Católica celebra a Festa de São Bonifácio. Ele faz parte da legião de monges que saíram das duas ilhas de Irlanda e Inglaterra para evangelizar o centro e norte da Europa. Ele é chamado “Apóstolo da Alemanha” por ter evangelizado uma boa parte daquela nação. Ele nasceu de uma família camponesa em Devon, Inglaterra, em 675. Foi monge beneditino, herdando dos monges um grande espírito missionário. Estudou nos mosteiros de Exter e Nurslong em Inglaterra e ordenou-se sacerdote em 705. Destacou-se por seus dotes oratórios e a ortodoxia  de seus escritos. Em 718 foi chamado para Roma pelo Papa Gregório ll e recebeu do Papa a ordem de pregar o evangelho na Baviera e em Hesse. Durante quinze anos pregou com grande sucesso e evangelizaram aquelas duas regiões. Também durante estes anos fundou vários mosteiros por homens e por mulheres.

Em 722 foi consagrado bispo em Roma e dez anos mais tarde foi designado arcebispo de Magúncia com o poder de consagrar bispos além do Reno. Durante os seguintes trinta anos conseguiu organizar a Igreja da Alemanha e de uma parte da França. Em todos estes trabalhos apostólicos ele enfatizou lealdade a Roma. Em 753 São Bonifácio aos  81 anos confiou sua arquidiocese à outro bispo para tentar, já no fim de sua vida, levar a fé na região norte da Europa, atualmente ocupado pela Holanda. Embarcou com aproximadamente cinquenta missionários através do Rio Reno. Aí eles continuavam evangelizando através pregações, celebrações de missas e batizados etc.

No ano 5 de junho de 754 alguns dos missionários encontram-se em Dokkum com São Bonifácio para administrar o sacramento da crisma, quando um bando de pagãos caiu sobre os missionários, matando os cruelmente. Se corpo foi sepultado em Fulda na Alemanha. Pouco antes de sua morte São Bonifácio escreveu uma carta aos seus missionários: “Não sejamos cães mudos, não sejamos sentinelas silenciosas, não sejamos mercenários que fogem do lobo, senão pastores solícitos que vigiam o rebanho de Cristo, anunciando o desígnios de Deus aos grandes e aos pequenos, aos ricos e aos pobres, aos homens de toda condição e de toda idade, na medida em que Deus nos dê forças”.

Fontes: Dicionário dos Santos, P. Santidrián e M. Astruga, Editora Santuário, Aparecida, 2004.
O Santo do Dia, Servilio Conti, Vozes, Petropolis, 1990.
Saint Boniface, Encyclopedia Britannia, 2016.

Artigos Relacionados