Publicado em 31/01/2013 por

Pastoral Vocacional envia nota de pesar pelo falecimento de irmã Maria da Purificação

Fortaleza, 31 de janeiro de 2013

Ir. Maria da PurificaçãoA Pastoral Vocacional da Arquidiocese manifesta o seu pesar pelo falecimento da querida amiga, irmã e intercessora a religiosa carmelita Ir. Maria da Purificação, OCD. O falecimento ocorreu no dia de hoje, 31 de janeiro de 2013, no final da manhã.

Ir. Maria do Carmelo, como era conhecida viveu sua vida religiosa no Carmelo Santa Teresinha, em nossa Arquidiocese de Fortaleza, e tinha o ofício de Irmã Externa, por assim dizer era o “cartão de visitas” das Irmãs. Ir. Maria, com toda a sua alegria e simplicidade foi um belo sinal da presença da vida carmelitana para tantos que a conhecessem ou com ela se encontrassem.

Ir. Maria conhecia muitos sacerdotes, uma vez que em seu ofício atendia a vários deles ou, ainda, mantinha contato com diversos sacerdotes para assegurar as Celebrações Eucarísticas no Carmelo. No que toca à questão vocacional, Ir. Maria sempre se mostrou próxima dos seminaristas empolgando-os com seu jeito espontâneo e contagiante no contato mais direto. Ir. Maria era madrinha de oração de vários sacerdotes e seminaristas, e certamente de muitos amigos do Carmelo.

Elevamos nossas mais sinceras preces aos familiares, a Madre Maria Bernadette, OCD, Priora do Carmelo Santa Teresinha de Fortaleza, e a todo povo que acompanhou a vida de nossa Ir. Maria da Purificação. Agradecemos a Deus, o dom da vida desta nossa amada irmã em Cristo Jesus e caminhemos na esperança da vida que o Crucificado-Ressuscitado nos acompanha.

Pe. Rafhael Silva Maciel, Reitor do Seminário Propedêutico e Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional.

Publicado em 31/01/2013 por

Festa na Área Pastoral Nossa Senhora

LOURDES-IMAGEM150A comunidade de Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Presidente Kennedy, que pertence à Área Pastoral Nossa Senhora,  realizará de 2 a 11 de fevereiro a Festa de sua padroeira tendo como tema: “Maria, missionária de fé ensina-nos uma vida orante” e como lema: “Meu espírito se alegra em Deus meu Salvador”. Durante os festejos acontecerá às 18h30min, Novena; 19h, Missa terminando com parte social todas as noites com vendas de comidas típicas. Dia 10 de fevereiro, às 17h30min, novena, procissão e missa. Esperamos por você e sua família.

Antecedendo a festa de Nossa Senhora de Lourdes está acontecendo a Pré-Festa onde já aconteceu no Final de Semana Casamentos Comunitários. No dia 29 de janeiro (Terça-feira), às 17 horas Confissões, na Igreja e às 19 horas, na Pracinha da Haroldo Torres, Missa com todas as equipes da Festa de Nossa Senhora de Lourdes. No dia 30 de janeiro (Quarta-feira), às 19h, na Igreja, Lectio Divina com todas as equipes da Festa de Nossa Senhora de Lourdes.

O endereço é Rua Haroldo Torres , nº 2747, no Bairro Presidente Kennedy ou no blog: www.cnslpk.blogspot.com

Informações com Maria de Jesus – Coordenadora pelo telefone (85) 88831961.

Publicado em 31/01/2013 por

Nota de falecimento: Irmã Maria da Purificação e do Amor Misericordioso

Ir250Faleceu na manhã de hoje, dia 31, a Irmã Maria da Purificação e do Amor Misericordioso. Natural de Mauriti-CE, tinha 74 anos e pertencia à Ordem da Bem Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, mais conhecida como Irmãs Carmelitas. A religiosa faleceu vítima de infecção generalizada. No próximo dia 2 de fevereiro completaria 48 anos de Carmelo.

O velório acontecerá na capela do próprio Carmelo e a missa de corpo presente será amanhã, dia 1 de fevereiro, às 6h30min, horário habitual da celebração Eucarística da comunidade. O sepultamento será às 9 horas no Cemitério São João Batista.

Irmã Maria da Purificação e do Amor Misericordioso era muito querida pelos seminaristas, sacerdotes e leigos que visitavam o Carmelo e, encontravam nela uma pessoa marcada pela simplicidade, alegria e feliz por sua vocação. Sem dúvida uma mulher de oração e comunhão com Deus.

Publicado em 31/01/2013 por

Cardeal Rylko visita Comunidade Católica Shalom neste final de semana

Cardeal_rylko_foto_moyses-emmir200O Presidente do pontifício Conselho para os Leigos (PLC), cardeal Stanislaw Rylko, visitará a Comunidade Católica Shalom dos dias 1º a 4 de fevereiro.

No sábado, dia 2, o purpurado atenderá a imprensa em entrevista coletiva na Diaconia Shalom (Aquiraz-CE), sede do Governo Geral da instituição, às 17h. Logo em seguida haverá apresentação do espetáculo “Encontro”, seguida de missa onde será abençoada a pedra fundamental da Igreja da Diaconia. A organização estima que pelo menos seis mil pessoas compareçam às atividades.

O Cardeal Rylko é o responsável e um dos mentores da Jornada Mundial da Juventude que acontecerá neste ano de 23 a 28 de julho na cidade do Rio de Janeiro com a presença do papa Bento XVI. É também o responsável pelo acompanhamento mundial das expressões leigas na Igreja. Foi cardeal Rylko quem seguiu todo o processo de reconhecimento da Comunidade Católica Shalom como uma Associação Internacional Privada de Fieis.

Espetáculo “Encontro”

Uma superestrutura será montada na Diaconia Geral para a apresentação do espetáculo.

“O Encontro narra a história de um jovem e sua trajetória de vida. Em cada encontro que o personagem vive, vai sendo introduzido em uma nova fase de sua vida. O primeiro Encontro é com o ‘Amor’, em seguida o encontro com o ‘O Outro’, o terceiro encontro é com a ‘Fragilidade Humana’ e, por fim, o encontro com a morte e a descoberta que a existência humana não pode reduzir-se a essa terra”, conta Wilde Fábio, diretor e roteirista do espetáculo que foi apresentado pela primeira vez no aniversário de 30 anos da Comunidade Shalom.

Igreja da Diaconia Geral

A Igreja da Diaconia Geral está sendo projetada para acolher 1000 pessoas sentadas. Em seu interior comportará Capela dedicada à Mãe de Deus, Capela do Santíssimo Sacramento, Capela da Reconciliação e sacristia.

Atualmente uma média de 80 missionários reside na Diaconia Geral, local onde através de assessorias e secretarias o Governo Geral acompanha as missões da instituição presente em 18 países e em 50 cidades no Brasil.

Cardeal Stanislaw Rylko

Stanisław Ryłko é um cardeal polonês e presidente do Pontifício Conselho para os Leigos no Vaticano.

Foi ordenado sacerdote em 30 de março de 1969 pelo então Arcebispo de Cracóvia, Karol Wojtyła, futuro Papa João Paulo II. Completou seu doutorado em 1978, em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Em 20 de dezembro de 1995 foi nomeado secretário do Pontifício Conselho para os Leigos e eleito arcebispo titular de Novica. Em 6 de janeiro de 1996 recebeu a ordenação episcopal das mãos de João Paulo II.

Foi criado cardeal pelo Papa Bento XVI, no Consistório de 2007, em 24 de novembro, na Basílica de São Pedro, recebendo a diaconia do Sagrado Coração do Cristo Rei. Nesse mesmo consistório foi criado cardeal o brasileiro Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo.

SERVIÇO

Visita de Cardeal Rylko à Comunidade Católica Shalom

Sábado, dia 2 de fevereiro de 2013

Endereço: Diaconia Geral Shalom – CE-040 – Km 16, s/n.

Divinéia – Aquiraz – CE. / CEP: 61700-000

17h – Entrevista Coletiva

18h00 – Espetáculo “Encontro”

19h30 – Celebração Eucarística com bênção da pedra fundamental da Igreja da Diaconia Geral.

Mais informações: 85 8172.3283.

Por Vanderlúcio Souza- Assessoria de Comunicação.

Publicado em 31/01/2013 por

“Vigília de oração pelos jovens de Santa Maria”, gesto concreto da JUFRA do Brasil

Oficio 01.2013 – À JUFRA do Brasil sobre Santa Maria-RS jufraA Juventude Franciscana do Brasil (JUFRA) está convocando todos os Jufristas do Brasil a se colocarem em oração por Santa Maria. Por meio da Subsecretaria de Direitos Humanos Justiça, Paz e Integridade com a Criação foi definido que toda a JUFRA do Brasil fará um gesto concreto em solidariedade aos Jovens de Santa Maria. A Vigília não somente um encontro e sim um momento coletivo de oração, onde cada fraternidade local se reunirá e fará reflexão e oração em memória dos mortos no acidente. Este momento orante deverá acontecer entre 31 de janeiro e 03 de fevereiro deste ano e todas as fraternidades locais de JUFRA do Brasil. Leia aqui a íntegra da Carta e a proposta de Vigília.

Informações com Alex Sandro Bastos Ferreira, OFS/JUFRA, Secretário Fraterno (Presidente) Nacional da JUFRA do Brasil. Tel (11) 7048-2788 – www.jufrabrasil.org

 

 

Publicado em 30/01/2013 por

Agentes de Pastoral Carcerária: chamados a ser Profetas

pastcarcerariapor PCrN/CNBB – www.carceraria.org.br

 

“Não temos o direito de ser sentinelas adormecidas, cães mudos, pastores indiferentes”. (Baseado em Isaías 56,10).

Caro agente de Pastoral Carcerária!

No ano de 2012 e no início de 2013, a nossa Pastoral, a nossa fé e o nosso trabalho foram colocados à prova em vários momentos.

O nosso trabalho tem provocado aversão, revolta, ofensas e até mesmo prisão dos nossos agentes de pastoral carcerária.

As denúncias das irregularidades, das violências, a luta contra o encarceramento em massa, a campanha pelo veto à ampliação do porte de armas, o combate à privatização do sistema prisional, as denúncias de torturas e maus tratos no interior das prisões, têm gerado uma série de reações, muitas vezes orquestradas, de parte dos funcionários do Estado que tentam intimidar, afastar e condenar toda ação profética dos nossos agentes de pastoral carcerária.

Não temos o direto de ser sentinelas adormecidas. Ao ingressar nos presídios e cadeias e ver, ouvir e sentir as injustiças e violações de direitos que ali são cometidas, não temos o direito de nos emudecer. Não podemos ser cães mudos; silenciar perante tanta injustiça.

As prisões, neste ano que passou, se multiplicaram e o ritmo do aprisionamento de homens e mulheres, da nossa juventude pobre, de baixa escolaridade, desempregada, quando não morta antes de chegar às unidades prisionais, só tem aumentado. A superlotação assola presídios de todos os estados do país. As condições de sobrevivência tornam-se cada vez mais difíceis. Onde deveriam estar contidos oito presos, hoje facilmente se encontram, em vários presídios do Brasil, 40 a 50 pessoas detidas numa cela. Isto acontece sem mudança no quadro de servidores, de técnicos, de médicos, de oportunidade de trabalho e de estudos, de assistência jurídica, e do aumento do material básico e, em muitos lugares, sem nenhuma assistência a saúde e sem alimentação suficiente: a quantidade é a mesma para a capacidade inicialmente estabelecida para a unidade e na maioria das vezes de má qualidade.

Somada a esse verdadeiro massacre à população carcerária, por meio da precarização das unidades prisionais, está a política de privatização do sistema prisional, vendida como solução mágica. Por trás dessa ilusão, no entanto, se escondem os objetivos de seguir com o encarceramento seletivo e em massa e de auferir altos lucros por meio das centenas de milhares de pessoas pobres que povoam e povoarão o sistema prisional. Assustadoramente, as cadeias se tornam negócio e as pessoas presas passam a ser tratadas como mercadorias. Objeto de venda e de lucro.

Não condiz com os objetivos da Pastoral Carcerária os seus agentes serem sentinelas adormecidas, cães mudos, pastores(as) indiferentes. As condenações e ofensas recebidas reforçam o compromisso de sermos sentinelas despertas, cães ruidosos, pastores comprometidos. O que não queremos é silenciar quando é preciso falar.

Fazer pastoral carcerária é realizar o trabalho do Pastor, Jesus Cristo, o Bom Pastor, junto às ovelhas encarceradas, as pessoas presas.

O Bom Pastor é aquele que marca presença. Vive em função do rebanho. Interesses privados, interesses econômicos e interesses politiqueiros não impedirão o agente de pastoral carcerária de dar o sinal quando a justiça estiver comprometida, quando o respeito a pessoa for abandonado.

Não podemos nos envolver nos interesses de nenhum governo ou instituição que trabalhe para o encarceramento dos nossos irmãos e irmãs, sem direito ao exercício da cidadania. Excluídos dos recursos sociais e impedidos de uma vida digna, são criminalizados em massa, por delitos cometidos, muito aquém dos delitos cometidos pelos seus algozes: governantes, juízes, legisladores.

“Aprisionam a verdade na injustiça” (Rm 1,18): permitir que estas pessoas sejam, ainda, reduzidas a mera mercadoria, objeto de comércio com a indústria privada, na terceirização dos presídios, e não se indignar, se calar, ficar indiferentes, isto não é permitido ao cristão, aos agentes de pastoral carcerária, pois os desprezíveis, os humilhados, os subjugados, os abandonados deste mundo são os eleitos de Deus; só para eles existem as Bem-aventuranças.

O profeta é aquele que anuncia e denuncia. Anuncia aquilo para o quê o ser humano foi essencialmente criado e denuncia os esquemas que atentam contra a sua vida. Um Profeta é alguém que ilumina: que traz esperança e anima as pessoas.

O que não podemos esquecer é que a profecia parte da dor do que o profeta vê, experimenta e sente. E que a profecia sempre provoca reações. É necessário, também, aprofundarmos a nossa mística para crescemos na missão de profetas, pois o místico prova a sua autenticidade pela persistência que passa pela cruz. É assim que ele se impõe e é ouvido.

O profeta não procura nunca impor a si mesmo, mas é pela doação, com amor ao compromisso assumido, que será verificada e confirmada a autenticidade da sua mensagem. É um trabalho desafiador que necessita ser alimentado e reforçado pela leitura e meditação da Palavra de Deus e pelo contato direto e constante dos irmãos e irmãs a nos confiadas, por Deus, para sermos os seus evangelizadores e as sentinelas dos seus direitos.

Ressalto aqui as palavras que o Papa Paulo VI dirigiu ao nosso saudoso profeta brasileiro, Dom Helder Câmara, mas que também podemos acolher como palavras dirigidas a nós, agentes de pastoral carcerária: “Continue! Continue! Você tem uma missão a cumprir: pregar a justiça e o amor, como caminho para a PAZ.”[1]

Meus Irmãos e Irmãs, agentes de pastoral Carcerária, não desanimem, não desistam da missão, da cruz a nós confiada por Deus! Carreguemo-la juntos! Tenho certeza de que pesa menos que a dor e o sofrimento que os nossos irmãos e irmãs encarceradas suportam.

Notas:

[1]http://www.encontrocomasabedoria.com.br/roteiros/dom_helder_camara.pdf

[2]http://www.encontrocomasabedoria.com.br/roteiros/dom_helder_camara.pdf

*********************

Complemento este texto com o relato de uma visita do Bispo Dom Helder Câmara ao Presídio.

“VISITA A CASA DE DETENÇÃO EM 9 de Abril de 1967[2].

Dom Helder reuniu todos os 800 detentos no pátio para assistirem uma missa de páscoa. Estavam presentes, acompanhando Dom Helder, o governador do Estado de Pernambuco, o presidente do Tribunal de Justiça, o secretário de segurança pública o diretor geral da penitenciária. Todas estas autoridades ficaram constrangidas ou irritadas, quando Dom Helder lembrou que aquele presídio havia sido construído para comportar 120 pessoas. “Tinha se transformado numa masmorra desumana com 800 presos, uma vergonha para qualquer governo”.

Terminada a pregação, Dom Helder começou a cumprimentar os presos que lhe estendiam as mãos. Foi caminhando entre eles até chegar ao histórico militante comunista Gregório Bezerra, que do palanque havia percebido no meio da multidão. Os dois não se conheciam pessoalmente, mas Dom Helder ficara chocado ao saber das humilhações que Gregório sofrera ao ser preso, logo depois do golpe militar, conduzido pelas ruas de Recife na carroceria de um caminhão, pés e mãos algemados e pescoço amarrado.

Preso no quartel Gregório seria cruelmente torturado com requintes de sadismo pelo próprio comandante daquela unidade do exército, coronel Villoc, que ainda promoveria um novo desfile pelas ruas com o prisioneiro todo ensanguentado, acoitando-o publicamente e convidando os transeuntes a linchá-lo. Estes acontecimentos foram narrados pelo próprio Gregório Bezerra em suas memórias: “Quando D. Helder terminou a solenidade religiosa, desceu do palanque e começou a atravessar a multidão, andando na direção em que eu me achava. Supus que viesse cumprimentar algumas personalidades que se encontravam perto de mim e assim procurei dar-lhe passagem. Ele parou bem na minha frente e disse: Gregório, meu amigo, eu o estava vendo de longe com a sua cabeça branca e vim cumprimentá-lo. Como vai a sua saúde?

Eu também estava vendo e ouvindo a sua pregação e aproveito para agradecer em nome de meus companheiros e em meu nome pessoal, de todo o coração, os seus pronunciamentos humanitários em defesa dos presos políticos torturados e assassinados nas prisões da ditadura militar terrorista que assaltou o poder em 1964. Nós os prisioneiros políticos jamais esqueceremos a sua voz de protesto contra os crimes praticados pelos militares. Muita saúde e longa vida é o que lhe desejamos de todo o coração. Foi o que pude dizer, surpreendido e emocionado pelo honroso cumprimento”.

O encontro também ficou marcado na memória do arcebispo: “Em certo momento descobri no meio dos presos, cabeça branca, Gregório Bezerra. Fui direto abraçá-lo. Era um pagamento atrasado pelos açoites públicos que ele recebeu, dias antes da minha chegada à Recife”. Chorou de emoção o velho forte e me disse: “Se eu tivesse sido solto, minha ALEGRIA não seria muito maior do que a de receber seu abraço, bom pastor”.

Fraternalmente,

Pe. Valdir João Silveira

Coordenador Nacional da Pastoral Carcerária – CNBB.

PASTORAL CARCERÁRIA NACIONAL -PCrN/CNBB

Coordenação Executiva Nacional: Pe. Valdir João da Silveira, Ir. Petra Pfaller, Heidi Ann Cerneka, José de Jesus Filho

Tel.: 55 (11) 3101-9419 – Skype: carceraria.secretaria

E-mail: nacional@carceraria.org.br- www.carceraria.org.br

Publicado em 30/01/2013 por

Pastoral da Sobriedade promove curso de capacitação para novos agentes

Pastoral_da_Sobriedade300A Pastoral da Sobriedade do Regional Nordeste 1 da CNBB (Ceará), promove de 02 a 07 de fevereiro, o curso de capacitação de novos agentes e palestras de prevenção ao uso abusivo de álcool e de outras drogas nas escolas do município de Orós (CE).

Durante o estudo haverá a apresentação do Projeto Prevenir, na Câmara Municipal e a realização da primeira reunião do grupo de autoajuda da Pastoral da Sobriedade, que irá acontecer todas as terças-feiras, no salão paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Segundo o coordenador da Pastoral da Sobriedade, Rogério Melo, “a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é a primeira da diocese de Iguatu a implantar oficialmente esta Pastoral, que é a ação concreta da Igreja Católica na prevenção e recuperação da dependência química, além de outras dependências”, disse.

Mais informações: (88) 8812-6264 / (85) 8687-9628 – E-mail: pastoraldasobriedadece@gmail.com.

Publicado em 30/01/2013 por

Celebração inter-religiosa em São Paulo

atoecumenicoA Arquidiocese de São Paulo e o Instituto Vladimir Herzog promoveram encontro entre religiões monoteístas abraâmicas, dia 25 de janeiro, na Catedral da Sé. O ato inter-religioso, lembrou os 50 anos do Concílio Vaticano II e da Declaração Conciliar Nostra Aetate, sobre a relação da Igreja com as religiões não-cristãs.

A matéria é de Nayá Fernandes, especial para o jornal O São Paulo:

O ato terminou com uma cantata cênica que recordou os 70 da morte de Anne Frank,apresentada pela Rede Cultural Luther King com o maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira. Representantes das tradições cristã, budista, hinduísta, mulçumana, espírita e de matriz africana estiveram no ato, que contou também com a presença do ator Rodrigo Ramos, na leitura de trechos da Nostra Aetate, intercalados por cantos e falas dos líderes religiosos.

“Desde sua fundação, a cidade foi marcada pela presença e acolhida às diferentes tradições religiosas que sempre deram sua contribuição para a cidade dos mil povos”, ressaltou cônego José Bizon, diretor da Casa da Reconciliação e encarregado da Pastoral do Diálogo Ecumênico e Inter- religioso da Arquidiocese de São Paulo. Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, ressaltou a importância do evento na catedral e recordou os documentos conciliares. “Deus é honrado se nós, por meio da religião, soubermos viver o respeito e a valorização recíproca. Cada um tem a própria consciência, onde se encontra consigo mesmo e com o próximo, assim é necessário valorizar a consciência humana, pois ali está a dignidade e a liberdade de cada um”.

“Neste momento, queremos lembrar também a jovem judia Anne Frank e Vladimir Herzog [que morreu em 1975 em decorrência de maus tratos sofridos pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS)], que foi pessoa de destaque nos tempos obscuros que o Brasil viveu durante a ditadura militar”, continuou o Cardeal. Raul Meyer, membro da diretoria da Federação Judaica de São Paulo e do Centro de Cultura Judaica, destacou alguns fatos da história de Anne Frank e lembrou a importância do respeito às culturas. “Anne foi uma menina que viveu escondida e morreu prematuramente por não ser considerada, pelos nazistas, pertencente à raça pura. Ser diferente não é ser menos. O que nos diferencia não tira nosso valor”. O Diário de Anne Frank, cantata composta em 1958, ilustra a tragédia que assolou o mundo na época. A primeira audição completa foi realizada na Berlin Staats Oper, na Alemanha, em seguida, no Conservatório Giuseppe Verdi de Milano (Itália) e, recentemente, em 2012, no Auditório Ibirapuera de São Paulo.

“É a primeira vez que o coro se apresenta no aniversário de São Paulo. Porém, na grande celebração, presidida por dom Paulo Evaristo Arns, [arcebispo de São Paulo quando morreu Vladimir Herzog], que reuniu milhares de pessoas na catedral, o coro estava presente”, disse ao O SÃO PAULO, Martinho Lutero, maestro e fundador da Rede Cultural Luther King. Para Andréia Balbino, 23 anos, membro da Rede Cultural Luther King, “é sempre muito emocionante cantar com o coro. A gente faz música que diz alguma coisa mais profunda para as pessoas. A morte de Anne foi um acontecimento triste, mas que precisa ser lembrado para que não se repita e é bom fazer isso cantando”.

“Este foi um evento de grande beleza e importância, tanto para a Igreja quanto para a cidade que comemorou 459 anos em grande estilo. Acredito que atos solenes, onde representantes das diversas religiões podem expressar seus pontos de vista acerca de temas fundamentais à sociedade, tornam mais palpável a unidade na diversidade entre os povos e culturas de nosso mundo”, destacou Luan Rocha, estudante que participou do ato e colaborou como voluntário

(NAYÁ FERNANDES – ESPECIAL PARA O SÃO PAULO)

Publicado em 30/01/2013 por

São João Bosco, Educador e Pai

“Sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada” -Bento XVI

geovane150por Padre Geovane Saraiva*

Na Igreja tivemos a força de uma figura humana fascinada por Deus e suas criaturas, que exerceu tal fascínio vendo Deus através juventude empobrecida do seu tempo. Trata-se do dom maravilhoso de São João Bosco, italiano de Turim (1815-1888), uma das pessoas mais populares da nossa civilização cristã. Seu grande e maior legado foi de se preocupar com a educação integral dos jovens, num tempo em que essa porção da sociedade começava a ser profundamente atingida por perigos de toda natureza; quis ele ser apóstolos dos jovens. Para bem desempenhar sua missão libertadora em favor dessa gente tão querida por Deus, jamais lhe faltaram sabedoria e dons humanos e sobrenaturais. Jesus, o bom Pastor, iluminou sua inteligência e a modelou, de modo que, foi levado a conhecer e a amar o Senhor, como tão bem expressa o Salmo: “Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz da vossa face” (Sl 4, 7).

Ele pensava de ser sacerdote e sempre afirmava: “Quando crescer quero ser sacerdote para tomar conta dos meninos. Os meninos são bons; se há meninos maus é porque não há quem cuide deles”. A Divina Providência atendeu os seus anseios. Em 1835 entrou para o seminário de Chieri, perto de Turim, Itália.

Ordenado Sacerdote no dia 05.06 1841, logo deu provas do seu zelo apostólico. No dia 8 de dezembro do mesmo ano iniciou o seu apostolado juvenil em Turim, catequizando um humilde rapaz de nome Bartolomeu Garelli. É aí que iniciou a origem de sua grande obra, que nós a conhecemos como os oratórios salesianos destinados aos jovens pobres, em tempos difíceis. Sua intenção era de ampará-los, preservando-os da ignorância religiosa e de todo tipo mal que os envolviam. Em 1846 estabeleceu-se definitivamente em Valdocco, bairro de Turim, onde fundou o Oratório de São Francisco de Sales.

Ao oratório juntou uma escola profissional, depois um ginásio, um internato etc. Em 1855 deu o nome de Salesianos aos seus colaboradores, fundando assim, em 1859, com os seus jovens salesianos a Sociedade ou Congregação Salesiana, que para eles foi pai e guia no caminho da salvação, sempre pronto a prevenir em vez de reprimir. Criou ainda a Associação dos Cooperadores Salesianos, como prodígio da providência divina. Podemos, evidentemente, contemplar todo trabalho de Dom Bosco como hino de louvor, com um poema de Deus Pai, que tem sua razão ser, na firmeza de sua fé, esperança e caridade.

Amou em profundidade a criatura humana, com um carinho especial para com os jovens de seu tempo, a ponto de sensibilizá-los através de seus pensamentos e frases, a saber: “Basta que sejam jovens para que eu vos ame”. “Prometi a Deus que até meu último suspiro seria para os jovens.”, “O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele”, “Ganhai o coração dos jovens por meio do amor”, “A música dos jovens se escuta com o coração, não com os ouvidos”.

O método educativo e apostólico de Dom Bosco se inspirou num humanismo cristão, buscando motivações e energia nas fontes da sabedoria evangélica, de partilhar em tudo a vida dos jovens; para isto concretizou seu desejo, abrindo escolas de alfabetização, artesanato, casas de hospedagem, ambiente de diversão, com catequese e qualificação profissional. E é exatamente por isso que a Igreja reza: “Ó Deus que suscitastes São João Bosco para educador e pai dos adolescentes, fazei que, inflamados da mesma caridade, procuremos a salvação de nossos irmãos” (Missal Romano, pg. 546).

O uso didático de suas frases e pensamentos, relacionados aos meninos pobres dos oratórios, padres e irmãs, que se tornaram seus parceiros e colaboradores, foram de uma vitalidade tal, que o tornou um extraordinário benfeitor da humanidade. Embora os seus pensamentos sejam do século XIX, os temos como atuais e profundamente carregados de sabedoria, demonstrando o imenso carinho que Dom Bosco nutriu pelos jovens. Tratando-os jamais como um problema, mas como uma solução, tornando-se patrimônio da humanidade, na sua larga visão do mundo, dentro de uma realidade desafiadora, olhando para o futuro.

De estatura atlética, memória descomunal, inclinado à música e a arte, Dom Bosco tinha uma linguagem fácil, espírito de liderança, além de ser um escritor de raríssima qualidade. O grande apóstolo da juventude partiu para o céu aos 31 de janeiro de 1888, na cidade de Turim, deixando indelevelmente sua marca espalhada por diversos países da Europa e da América. Sua vida e seu ideal perseguido foi o do amor ao próximo, como costumava afirmar que Deus o chamou e o colocou no mundo, não para viver para si e sim para Ele, através do próximo, vendo com os próprios olhos sua obra crescer e prosperar. Ele mesmo enviou seus filhos salesianos em 1883, para fundar o Colégio Santa Rosa em Niterói, primeira casa salesiana do Brasil, de ensino fundamental. A segunda casa dos filhos de Dom Bosco, foi em 1886, com a fundação do Liceu Coração de Jesus, na cidade de São Paulo.

Homem que marcou em profundidade uma época, até mesmo com visões e sonhos. Ele que viveu na Itália, teve visões reveladoras, inclusive o grande sonho que viria a ser revelado, tornando-se realmente importante nas últimas decisões de Juscelino Kubitschek, no que diz respeito à construção da Capital Federal no Planalto Central. No seu sonho, revelou que foi arrebatado pelos anjos, entre os paralelos 150 e 200 graus, onde havia uma enseada bastante extensa e larga, partindo de um ponto onde se formava um lago. Eis o sonho do Dom Bosco, verdade ou não, a cidade de Brasília, tornou-se realidade.

*Padre da Arquidiocese de Fortaleza, escritor, membro da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE), da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza e vice-Presidente da Previdência Sacerdotal

Autor dos livros:

“O peregrino da Paz” e “Nascido Para as Coisas Maiores” (centenário de Dom Helder Câmara);

“A Ternura de um Pastor” – 2ª Edição (homenagem ao Cardeal Lorscheider);

“A Esperança Tem Nome” (espiritualidade e compromisso);

“Dom Helder: sonhos e utopias” (o pastor dos empobrecidos).

Artigos Relacionados

Publicado em 30/01/2013 por

Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza envia carta de pêsames pelas mortes dos jovens Igor Andrade e Ingrid Maiara

igor2300O Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza escrevou ontem, 29 de janeiro, uma carta de pesar pelas mortes dos jovens Igor Andrade e Ingrid Maiara. Na carta os jovens expressar solidariedade para com as famílias das vitimas e afirmam que eles estão vivos na memória de todos os jovens da Arquidiocese de Fortaleza.

Leia íntregra da carta:

Em nome do Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza (SEJAF) queremos demonstrar a nossa dor, nosso luto, nossa tristeza e também indignação pela perca desses jovens Igor Andrade e Ingrid Maiara, mas temos a certeza de que agora eles estão nas mãos de Deus.

Toda a Arquidiocese de Fortaleza e os diversos organismos de juventudes da nossa Igreja perdem com esse triste fato, precisamos abrir os olhos e despertar pela necessidade da luta constante pela vida e pela paz.

A morte de Igor e Maiara representam também uma morte para a nossa sociedade, que cada vez mais se afasta de Deus, queremos nos comprometer com a luta pela memória dos dois e trabalhar para que outras mortes como essas não se repitam.

Manifestamos nosso pesar e nossa solidariedade para com as famílias e afirmamos que todos os jovens católicos de Fortaleza abraçam e rezam para que Deus possa dar o conforto aos parentes e amigos de Igor e Maiara, perdemos a presença física dos dois, mas ganhamos dois intercessores junto a Deus e a certeza de que eles estão vivos em nossa memória é que deve nos guiar.

igor300Podemos dizer que agora o verdadeiro sentimento neste momento é a saudade, a dor da perda de dois jovens com futuros brilhantes pela frente, mas também devemos nos lembrar dos momentos felizes que esses jovens trouxeram a nossas vidas e que agora ao lado do Pai fica saudade, mas sempre a lembrança deles próximos de nós.

É com imenso pesar que o Setor Juventude, presta sua solidariedade á famílias das vítimas e a todos os moradores do Bairro Ellery neste momento de dor. Estamos unidos, na oração, aos familiares, aos amigos, e também a toda a Comunidade do Bairro Ellery que passa por esse momento.

Atenciosamente,

Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza.


QR Code Business Card