Pastoral Afro comemora Dia da Consciência Negra - Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Pastoral Afro comemora Dia da Consciência Negra

A Pastoral Afro da paróquia Santo Antônio de Pádua [Rua Alberto Ferreira, 230 – Jardim Iracema] e a Comissão Pastoral Afro da Arquidiocese de Fortaleza realizarão no dia 19 de novembro, às 19 horas, na igreja Santo Antonio de Pádua, no bairro Jardim Iracema, uma Celebração Afro-Brasileira, comemorativa do Dia da Consciência Negra.

A comissão arquidiocesana da Pastoral Afro reúne-se na última quarta-feira de cada mês às 15 horas, no Centro de Pastoral “Maria, Mãe da Igreja” (Rua Rodrigues Júnior, 300 – centro).

Contato: (85) 8853-4186 com Cristina França – Pastoral Afro

Leia artigo do Pe Antonio Ari Reis, coordenador nacional da Pastoral Afro.

Semana da Consciência Negra

Nesta semana diversas entidades da sociedade civil, especialmente as ligadas ao movimento negro, estão realizando eventos para assinalar o Dia da Consciência Negra a ser celebrado na data de 20 de novembro. Estes eventos têm orientação comemorativa, mas também estão voltados à afirmação da consciência política, da pertença étnico-racial e da reivindicação dos direitos da população afro–brasileira.

O Dia da Consciência Negra é fruto do processo de amadurecimento do movimento negro que questionou o acento histórico dado ao dia 13 de maio, data que lembra a assinatura da Lei Áurea.

Compreende-se que a assinatura da Lei Áurea não trouxe a verdadeira libertação. Apesar da legalidade da alforria viu-se a construção de outras formas de opressão e negação do direito à cidadania aos negros e negras. Os mecanismos de exclusão continuaram assumindo facetas diferenciadas. Não foi permitido o acesso dos negros e negras à educação, emprego remunerado, moradia digna e outras de beneficio à população em geral que já existiam no século XIX.

Então a memória da “Abolição da Escravatura” passou a ser cultivada como algo alvissareiro, muito mais pelo Estado do que pela população negra.

A insistência em celebrar a memória de ZUMBI DOS PALMARES no dia 20 de novembro foi a resposta dada pelos negros e negras organizados (as) na perspectiva de lembrar que a abolição foi um processo inconcluso e que só seria plenamente completa pela pressão do movimento negro. Então a luta de ZUMBI foi tomada com sinal de resistência e deveria permear as ações do movimento negro em suas diferentes esferas de organização.

A conclusão da obra abolicionista passa pela inclusão plena da população afro-brasileira em todos os espaços de cidadania da nação brasileira. Isto ainda não acontece na sua totalidade devido à discriminação e ao preconceito racial, pecado das pessoas e das instituições cuja face mais perniciosa está refletida na realidade de pobreza e exclusão de boa parte dos afro-brasileiros.

As diversas iniciativas pastorais dos negros católicos somam-se a este grande movimento propositivo do movimento negro. A experiência de fé faz compreender que o dia vinte de novembro é um dia de CELEBRAÇÃO DA HISTÓRIA E DA CULTURA DOS NEGROS E NEGRAS, compreendida como fator de enriquecimento para a Igreja ( Cf. Dap. 56). Leva a reafirmar o compromisso de continuar o engajamento para que todas as formas de preconceito, discriminação e exclusão sejam superadas, pois a construção do REINO DE DEUS passa pela concretude da luta por uma vida digna para todos e todas.

É importante compreender o dia da Consciência Negra como um dia de celebração do mistério dAquele que deu a vida pela nossa salvação, compreender também o necessário protagonismo nas diferentes ações que buscam a inclusão da população negra em uma vida cidadã. Para nós, cristãos e cristãs, uma VIDA DIGNA E FELIZ.

1 Comentário »

1 Comentário »

  • MARCIA REGINA MATTO disse:

    HÁ ALGUNS ANOS ESTAMOS REALIZANDO ,ASSIM COMO OUTROS ESTADOS E CIDADES BRASILEIRAS A MISSA AFRO NA DATA DE 20 DE NOVEMBRO.

    SONHAMOS,NA VERDADE COM UMA CELEBRAÇÃO AFRO E NAO UMA “MISSA AFRO”. PRECISAMOS FAZER DIFERENTE E ACEITAMOS, ALIÁS, SOLICITAMOS SUGESTÕES PARA O PROXIMO ANO – 2013.

    O QUE PODEREMOS ESTAR FAZENDO PARA QUE REALIZEMOS A CELEBRAÇAO E NAO A MISSA? O QUE PODEMOS ABORDAR? QUE PASSOS PODEMOS SEGUIR? PRECISAMOS DE SUGESTOES DE ROTEIRO. VOCÊS PODEM NOS AJUDAR?

    OBRIGADA

    AXE!

    MARCIA REGINA


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Ordenação Presbiteral

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Papa: a Igreja vira peça de museu se não evangelizar a si mesma

Exigências evangélicas de superação da miséria e da fome

Cripta da Paróquia dos Remédios, em Fortaleza, é restaurada com obras sacras e aberta ao público

Anunciação do Senhor

Os hinos eucarísticos de Santo Tomás de Aquino