Editorial - setembro 2020: “Reabertura das igrejas, tão esperada!” | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Editorial – setembro 2020: “Reabertura das igrejas, tão esperada!”

“Reabertura das igrejas, tão esperada!”

Chama a atenção dos fieis católicos e de toda a sociedade a questão tão debatida e tão esperada da reabertura das igrejas. Mas a Igreja está fechada? Esta questão nos faz pensar na diferença que existe entre Igreja e igreja. A Igreja – (Ekklesia do grego, Ecclesia do latim, qahal do hebraico) tem este significado de a “Assembleia dos Convocados”. Esta é a Igreja com I maiúsculo: a Comunhão dos Convocados por Deus. As igrejas, com i minúsculo, são os locais, as construções, os edifícios onde se reune a Igreja, a comunidade dos que são chamados juntos para serem de Deus, a Família de Deus, o Povo de Deus. Assim a Igreja jamais esteve fechada, pois a comunhão dos fieis é Igreja, esteja onde estiver, a comunhão universal dos fieis que se constitue de muitas comunidades.

 “Assim a Igreja universal aparece como o “povo congregado na unidade do Pai e do Filho e do Espírito Santo”.(LG 4) Ela existe por desígnio divino, fundamentada em Cristo Jesus: “E, porque a Igreja é em Cristo como que sacramento isto é, sinal e instrumento, da união íntima com Deus e da unidade de todo o gênero humano… (LG 1) – (documento sobre a Igreja do Concílio Vaticano II – Lumen Gentium = Luz dos Povos).

E do próprio Jesus temos sua intenção e missão no seio da humanidade: “Que todos sejam um em nós, ó Pai…” (Jo 17, ); pois “ Onde dois ou três estiverem unidos em meu nome, eu estarei no meio deles.” (Mt 18,20) e “ Eu estarei convosco até o confins do mundo.” (Mt 28, 20)

Por que as igrejas (templos) ficaram ou ainda ficam fechados? Não pelo desejo da Igreja, mas pelas circunstâncias que a podem obrigar a não se reunir presencialmente como comunidade dos que estão unidos na fé. E podem ser diversas as circunstâncias que a isto a obriguem: perseguições, guerras, grandes catástrofes, pandemias… Como esta que agora enfrentamos com a humanidade inteira.

Estando ainda em regime de pandemia covid 19, mas buscando gradativamente a reabertura dos templos para celebrações presenciais dos fieis, nos cuidados sempre necessários para com a vida e saúde de todos, diante das possibilidades que se apresentam, conforme as orientações e determinações das autoridades sanitárias e governamentais competentes, e em comunhão de acordo com as mesmas determinações da Santa Igreja.

Para tal, orientações comuns são necessárias e propõem algumas medidas de proteção que visam o cuidado, a defesa e a preservação da vida.

Tendo em vista as possibilidades que se apresentam, gradativamente, a partir do dia 05 de setembro de 2020 – sábado, levando em consideração as próprias realidades e as condições necessárias para a participação presencial dos fieis com os cuidados que se fazem necessários para o não contágio, estamos reabrindo os templos em nossa Arquidiocese de Fortaleza. As igrejas só poderão ser gradativamente reabertas em perfeito acordo com estas normas e não sem elas. A razão de fundo será sempre a expressão concreta do amor a Deus que se manifesta no amor ao próximo, ao seu bem, ao seu cuidado, ao bem e comunhão de todos, de toda a humanidade.

As “Orientações e Normas”, que são determinadas, por si só não serão capazes de realizar o necessário para o bom andamento do processo de retorno à presencialidade na vida e no culto. É necessária a colaboração consciente e responsável de todos os pastores e fieis em todas as comunidades da Família de Deus, com sabedoria e bom senso, critério e responsabilidade no cumprimento do necessário.

Assim esperamos estar dando, de nossa parte, a melhor contribuição no anúncio, testemunho e serviço da Vida e Vida em plenitude a toda a humanidade, pela nossa atenção ao bem de cada um e de todos sem distinção, a partir dos mais fragilizados e necesssitados e atenção e cuidado neste momento de grande prova para nossa humanidade, que compreendemos mais ainda como a grande e única Família dos Filhos de Deus.

+ José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

papa_francisco

Francisco: que a Santíssima Trindade nos faça crescer na unidade

arqfortaleza_padre_geovane

Só Deus Basta

Arquidiocese de Fortaleza

Os Papas e o Ecumenismo

O tempo é de Deus

“Com Dom Bosco ide a José”: tema de festa na Paróquia da Bela Vista