Como vivo a “Christus vivit”: a palavra e o vídeo aos jovens | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Como vivo a “Christus vivit”: a palavra e o vídeo aos jovens

Um ano depois do Sínodo sobre os jovens e seis meses depois da publicação da Exortação Apostólica pós-sinodal, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e o Dicastério para a Comunicação lançam um projeto visual para compartilhar a experiência da “Christus vivit” no mundo.

Alessandro De Carolis – Cidade do Vaticano

Tentar descrever de que modo nove capítulos e 299 parágrafos estão mudando a sua vida poderia ser um desafio intransponível para um nativo digital, acostumado a expressar o emaranhado de sentimentos com um “emoji” e compartilhar opiniões na velocidade de um tuíte. A faísca se acendeu ali, colocando junto a força das palavras do Papa com a “vocação” multimídia dos seus interlocutores. Assim, os nove capítulos e 299 parágrafos da Exortação apostólica “Christus vivit”, escrita por Francisco depois do Sínodo do ano passado, foram condensados em 26 partes temáticas, cada uma confiada a uma jovem e um jovem de várias nacionalidades, com a finalidade de mostrar quais frutos aquelas palavras estão produzindo em sua vida. E aqui está a novidade, com uma narração feita não de papel, mas de “frame”, construída com uma série de testemunhos em vídeo de cerca de um minuto. Assim, nasce o projeto desenvolvido em colaboração entre o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e o Dicastério para a Comunicação. O vídeo que acompanha esta página representa a introdução e sugere o estilo.

“Videomosaico”

A partir de hoje, e até dezembro, todas as terças e quintas serão publicados dois breves vídeos enviados pelos jovens. As emoções comunicadas se transformarão em peças de um mosaico que, ao final, restituirá uma faceta de mundo – aquele dos millennials e agregados – que se interroga sobre a fé, impulsionada pela frase indicada por Francisco no início da Exortação apostólica: “Cristo vive” e “o quer vivo!”.

A supremacia do coração

Também o cardeal Kevin Farrell, presidente do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, escolheu a mesma modalidade dos jovens – uma rápida reflexão em vídeo – para lançar a iniciativa e destacar, com as palavras de São Paulo, uma convicção: “Vocês mesmos – diz aos jovens – são a carta escrita em seus corações pelo Espírito de Deus. Não será somente o que está escrito no papel a convencer alguém a seguir Jesus, mas o que está escrito no coração de cada um de nós”.

Livres para criar

A palavra de ordem para os jovens envolvidos foi: liberdade. Nenhum vínculo sobre “como” se apresentar, senão narrar com pinceladas de frescor as experiências de vida vividas e amadurecidas com o Papa depois daqueles dias de outubro de 2018. Portanto, nenhuma edição a posteriori por parte de “Vatican News” para tornar visivelmente mais atraentes as várias contribuições que chegaram de todos os continentes, mas tudo feito de acordo com a sensibilidade e a capacidade dos jovens. A comprovação serão os vídeos da série, elaborados nas mais diversas formas, sem efeitos especiais, somente com o gosto de participar e compartilhar um pensamento.

“Cristo vive”

Liberdade na criatividade e, portanto, espontaneidade, porque aquilo que conta no projeto “Christus vivit” é o denominador comum das experiências de moças e rapazes. “Cristo vive”, dizem todos em formatos diferentes, é esperança, sonho, motivação. É ser, diria Francisco, “o agora de Deus”.

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom Sergio da Rocha tomará posse como Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil na próxima sexta-feira (5)

Carta Circular 005/2020, a respeito da reabertura das igrejas

O Papa nomeou núncio apostólico na Russia dom Giovanni d’Aniello, até então Núncio no Brasil

Saúde como boa notícia

Celebração da memória da Virgem Maria Mãe da Igreja