Centenário | Arquidiocese de Fortaleza
Centenário

Centenário

 

Histórico:

DA DIOCESE DO CEARÁ À ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA

 

A Diocese do Ceará foi criada em 1853 por um decreto do Imperador Dom Pedro II, mas somente no ano seguinte, em 6 de junho de 1854, o papa Pio IX expediu a Bula Pro animarum salute, criando canonicamente a Diocese do Ceará, desmembrando-a da Diocese de Olinda, da qual era apenas uma Vigararia Forânea. Na época, as dioceses só podiam ser criadas pelo papa, após o decreto imperial. A bula papal só foi oficializada em 1860, depois de sete anos de conversas e debates entre o Vaticano e o Estado brasileiro. A Província do Ceará já estava emancipada da Província de Pernambuco desde 1799.

O território da Diocese do Ceará era quase o mesmo do atual Estado do Ceará. Faltavam apenas as paróquias de Crateús e Independência, ligadas a São Luís do Maranhão. A Diocese do Ceará, na época de sua criação, tinha aproximadamente 650.000 habitantes e era quase totalmente católica. Nessa época havia na Diocese 34 paróquias e um curato. O número de igrejas era de 78 e o de capelas 11, em toda a província do Ceará.

A Diocese do Ceará teve três bispos:

  • 1 – Dom Luís Antônio dos Santos – de 1861 a 1881;
  • 2 – Dom Joaquim José Vieira – de 1884 a 1912;
  • 3 – Dom Manoel da Silva Gomes – de 1912 a 1915.

 

A Diocese do Ceará, com a criação das dioceses de Crato e Sobral, foi elevada a Arquidiocese de Fortaleza, em 10 de novembro de 1915, pela Bula “Catholicae Religionis Bonum” do Papa Bento XV.

O terceiro bispo do Ceará, Dom Manoel da Silva Gomes, foi nomeado arcebispo da Arquidiocese de Fortaleza e governou-a de 1915 a 1941.

As paróquias da Diocese do Ceará que passaram a fazer parte da nova Arquidiocese foram as seguintes, ordenadas abaixo segundo a data da criação, conforme está no Anuário Arquidiocesano de 1942:

Ano Paróquia Município Padroeiro
1700 Aquiraz Aquiraz São José de Ribamar
1755 Quixeramobim Quixeramobim Santo Antônio de Pádua
1762 Baturité Baturité N S da Palma
1791 São José (Curato da Sé) Fortaleza São José
1817 Canindé Canindé Francisco das Chagas
1832 Cascavel Cascavel Cascavel
1832 Maria Pereira (Mombaça) Maria Pereira (Mombaça) N S da Glória
1849 Maranguape Maranguape N S da Penha
1863 Boa Viagem Boa Viagem N S de Boa Viagem
1864 Cachoeira (Solonópole) Cachoeira Solonópole) Senhor Bom Jesus
1864 Francisco de Uruburetama São Francisco (Itapajé) São Francisco de Assis
1868 Itapipoca Itapipoca N S das Mercês
1869 Redenção Redenção N S da Imaculada Conceição
1870 Pacatuba Pacatuba N S da Conceição
1870 Pentecostes Pentecostes N S da Conceição
1870 Quixadá Quixadá Jesus, Maria, José
1871 Soure Soure (Caucaia) N S dos Prazeres
1873 Guaramiranga Pacoti Imaculada Conceição
1873 Messejana Fortaleza N S da Conceição
1873 Pedra branca Pedra Branca São Sebastião
1874 São Bento (Amontada) Itapipoca N S da Conceição
1874 Trairi São Gonçalo N S do Livramento
1877 Porangaba (Parangaba) Fortaleza Bom Jesus dos Aflitos
1879 Patrocínio Fortaleza N S do Patrocínio
1884 Beberibe Cascavel Jesus, Maria, José
1884 Santos Dumont (Aratuba) Santos Dumont (Aratuba) São Francisco de Paula
1886 Pacoti Pacoti N S da Conceição
1886 São João do Arraial Uruburetama São João Batista
1895 Mulungu Pacoti São Sebastião
1914 Aracoiaba Aracoiaba N.S da Conceição
1915 Carmo Fortaleza N S do Carmo

colaboração: Miguel Brandão