Campanha faz convite à Igreja e à sociedade a “Amazonizarem-se” | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Campanha faz convite à Igreja e à sociedade a “Amazonizarem-se”

Com o atual crise socioambiental pela qual passa a região Amazônica, que articula um conjunto de práticas predatórias baseadas na ideia de que os recursos são inesgotáveis e de que o mato não tem valor, os cientistas estão apontando o que eles chamam de uma situação de “não retorno” com um desmatamento que avança para quase 25% da floresta. A partir daí por haver um processo de savanização e empobrecimento da biodiversidade que jamais poderá ser recuperado.

Esta afirmação foi feita pela ecóloga Ima Vieira, pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi e assessora da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam-Brasil), no lançamento da campanha “Amazoniza-te”, organizada pela Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com outras organizações eclesiais e da sociedade civil, na tarde da segunda-feira, 27 de julho.

Segundo a irmã Maria Irene Lopes, secretária executiva da Repam-Brasil, ao explicar a campanha e seus objetivos,  a iniciativa surge atenta ao contexto onde as violências contra os povos tradicionais são agravadas pela pandemia da Covid-19. “Enfrenta-se uma conjuntura onde o desmatamento e a grilagem, as queimadas, a mineração e garimpo se intensificam, tornando-se agentes de proliferação do coronavírus nas comunidades da região amazônica”, disse.

A ação faz parte da mobilizações pós Sínodo para a Amazônia realizado no Vaticano, em outubro de 2019. Segundo irmã Irene, a campanha vai envolver os diferentes organismos eclesiais, artistas, formadores de opinião, pesquisadores e cientistas internacionais e do Brasil nas ações.

Orientados pela escuta dos clamores e esperanças, a campanha é culminância das diferentes ações e mob ilizações realizadas pelas organizações eclesiais e sociais que atuam na Amazônia ou na defesa dela, como o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Mídia Ninja e Movimento Humanos Direitos (MHuD).

No lançamento da campanha, o arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispo do Brasil, dom Walmor Oliveira de Azevedo, falou que a Amazônia é muito importante por seus povos, sua historia, pela fé cristã que nela foi plantada. O presidente da CNBB disse que a campanha convida a todos a colocar na cabeça e no coração um novo verbo: “Amazonizar”.

A campanha, segundo dom Walmor, tem um apelo para considerarmos a alteridade. “O sentido de alteridade me permite que em não sendo da Amazônia e não estando na Amazônia eu possa Amazonizar-me”, disse. Uma comunidade e uma sociedade, segundo dom Walmor, só se constroem na medida em que são considerados a participação de cada um e de todos.

Amazonizar-se, segundo o dom Walmor, é um convite ao diálogo e a não passar por cima da comunhão. “‘Amazoniza-te’ se torna uma escola para nós aprendermos a respeitar os povos e as culturas diferentes, a preservar o meio ambiente. Que todo mundo entre e matricule-se nesta escola como um caminho de aprendizagem da humildade e de compromisso com os que precisam mais”, disse.

Também participaram do lançamento da campanha o bispo emérito do Xingu e vice-presidente da Repam-Brasil, dom Erwin Krautler, a deputada federal Joenia Wapichana, a atriz Dira Paes, representando o Movimento Humanos Direitos, o padre Dário Boss, assessor da Repam-Brasil, e a assessora de Comunicação da CNBB, Manuela Castro.

A deputada federal chamou a atenção para os vetos que sofreram o projeto lei nº 1142. O projeto prevê que o Estado brasileiro realize um conjunto de ações para enfrentar o avanço do novo coronavírus entre os povos indígenas. Segundo ela, o presidente da República vetou 21 artigos e 22 itens. O mais triste, na sua avaliação, foi o veto ao direito de os povos indígenas terem acesso à água potável. No contexto de destruição do bioma, a atriz Dira Paes disse que “Amazonizar é um verbo e verbo é ação. “Mobilizar é necessário, mas é preciso mobilizar todos nós para agir em prol deste sentimento de cuidar da Amazônia”, disse.

Material de mobilização da campanha “Amazoniza-te”

Durante o lançamento foi divulgado o hotsite da campanha, amazoniza-te.org, onde é possível encontrar os materiais de apoio, manifestos políticos das organizações e um compilado de estudos sobre a realidade da Amazônia para fundamentar ações e posicionamentos.

Uma das publicações é a carta “Nota dos Bispos da Amazônia Brasileira Sobre a situação dos povos e da floresta em tempos de pandemia da Covid-19”, assinada pelos 67 bispos católicos que atuam na região. Na carta, os bispos da Amazônia brasileira convocam a Igreja e toda a Sociedade para exigir medidas urgentes do Governo Federal, do Congresso Nacional, dos Governos Estaduais e das Assembleias Legislativas para o bioma.

A campanha traz ainda uma série de vídeos com depoimentos das populações tradicionais da Amazônia que dialogam com o alerta assumido também por artistas de expressão nacional e internacional. O grupo de organizações proporá uma lista de ações concretas a serem assumidas de forma pessoal ou coletiva na perspectiva de “Amazonizar-se”.

A live pode ser acessada na íntegra no link abaixo:

1 Comentário »

1 Comentário »

  • Francisco J. A. Severiano disse:

    E a Evangelização fica onde ?? A Missão da Igreja é a Salvação das Almas, não das florestas. A defesa da natureza pode e deve acontecer, MAS, deve ter o Ser Humano Prevalência. Se todas as florestas foram preservadas, mas muitas almas se perderem, A Igreja terá Fracassado. Mas se toda a natureza for destruída mas não se perderem Almas por falta de Evangelização, a Igreja terá cumprido sua Missão.
    Abram as Igrejas. Deixem o Povo de Deus Adorar Jesus e receber os Sacramentos.


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

A canonização de Charles de Foucauld

Ordenações Sacerdotais