Caminhada Penitencial

Tudo sobre a 13ª Caminhada Penitencial

Simpósio Internacional no Vaticano sobre a formação dos sacerdotes

No dia 6 de fevereiro tem início o encontro “Reavivar o dom de Deus que recebeste” (2 Tim 1,6), organizado pelo Dicastério para o Clero, em colaboração com o Dicastério para a Evangelização, seção para a primeira evangelização e as novas Igrejas particulares e o Dicastério para as Igrejas Orientais

Vatican News

O Dicastério para o Clero, em colaboração com o Dicastério para a Evangelização, Seção para a primeira Evangelização e as novas Igrejas particulares e o Dicastério para as Igrejas Orientais, organiza de 6 a 10 de fevereiro o Simpósio Internacional para a Formação Permanente dos Sacerdotes sobre o tema “Reavia o dom de Deus que recebeste” (2 Tm 1,6), também em referência à Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis “A beleza de ser discípulos hoje. Uma formação única, integral, comunitária e missionária”.

Cerca de mil especialistas dos cinco continentes, sendo o Brasil o país mais representado, seguido do México, Itália, Polônia e Filipinas. Além disso, estarão presentes sacerdotes, consagrados e leigos da Islândia, Burundi, El Salvador, China, Guatemala, Moldávia, Rússia, Ucrânia e mais de 60 países.

Iniciar um processo com as Igrejas locais

O Simpósio Internacional – dirigido a representantes diocesanos, regionais, nacionais para a formação permanente de sacerdotes, especialistas e interessados ​​nesta área, que no final dos trabalhos receberão um certificado de participação -, pretende iniciar um processo partilhado com todas as Igrejas locais, visando fortalecer a formação permanente e o acompanhamento dos sacerdotes.

O ponto de partida são os resultados de uma pesquisa enviada a todas as Conferências Episcopais nos últimos meses e as contribuições dos participantes antes e durante o Simpósio, no contexto da Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis “O dom da vocação presbiteral”, o documento base sobre a formação sacerdotal de 2016.

A metodologia individuada prevê que cada um dos temas comece com dois/três breves relatórios aos quais se seguirá a comunicação de boas práticas e do intercâmbio em círculos menores por idioma. Com este método de trabalho, o Simpósio espera poder oferecer uma experiência paradigmática da formação permanente dos sacerdotes, que hoje se espera que seja cada vez mais realizada com um estilo participativo e sinodal. Os trabalhos, que decorrerão no Auditorium Conciliazione, estão articulados em cinco dias, cada um dedicado a uma das dimensões indicadas pela Ratio.

Compartilhar o belo e o bom

O Simpósio pretende, sobretudo, envolver de maneira ativa e direta todos os participantes, especialistas e encarregados ​​pela formação, uma vez que todas as sessões preveem, além da escuta dos relatórios, a subdivisão em pequenos grupos linguísticos, nos quais os facilitadores poderão conduzir a troca de experiências e as reflexões sobre as temáticas propostas, a fim de permitir a todos os participantes uma autêntica participação em estilo sinodal e uma representação ativa. Entre os objetivos, está destacar e compartilhar a beleza, o quanto de bom há nas práticas pastorais, os pontos fortes, as urgências e os desafios em cada contexto.

A introdução com os prefeitos dos três Dicastérios promotores

O encontro terá início na terça-feira, 6 de fevereiro, com o dia dedicado à formação única com os temas introdutórios “Sacerdotes na mudança de época, em uma Igreja sinodal e missionária”.

Após a oração inicial e a apresentação dos prefeitos dos três Dicastérios promotores, os cardeais Lazzaro You Heung sik, Luis Antonio Gokim Tagle e Claudio Gugerotti, os participantes do simpósio, se deslocarão à Basílica de São Pedro para a Concelebração Eucarística presidida pelo cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin, no Altar da Cátedra.

À tarde os trabalhos serão retomados no Auditorium com um esquema que se repetirá mais vezes nos dias seguintes: oração inicial, introdução à sessão e uma contribuição em vídeo de palavras proferidas pelo Papa Francisco sobre o tema, seguida por pronunciamentos, depois um espaço de reflexão pessoal, apresentação de boas práticas, partilha em grupos.

A tarde da terça-feira será dedicada aos pronunciamentos: “Sacerdotes na mudança de época”, do cardeal François-Xavier Bustillo, bispo de Ajaccio (França) e “Identidade e ministério dos sacerdotes em uma Igreja sinodal e missionária”, do teólogo monsenhor Severino Dianich.

O programa

O segundo dia, quarta-feira, 7 de fevereiro, é dedicado à formação integral com temas relativos às dimensões humana, espiritual, intelectual e pastoral; e em particular “Recomeçar da Fonte: homens de Deus e do Evangelho” e “Acompanhar: dimensões e caminhos para a formação integral”.

Para a parte da manhã estão programados os pronunciamentos: “Homens do Evangelho: discípulos missionários” do cardeal Gianfranco Ravasi, presidente emérito do Pontifício Conselho para a Cultura; “Homens de Deus, neste nosso tempo: contemplativos em ação” por nadre Martha Driscoll, OCSO, abadessa emérita do Mosteiro Cisterciense de Gedono (Indonésia); “Uma contribuição das Igrejas Orientais” do diácono Stefano Parenti, da Eparquia de Lungro, professor da Pontifícia Universidade de Sant’Anselmo. À tarde serão realizadas as seguintes palestras: “Urgência de uma formação integral: a dimensão afetiva” da Dra. Chiara D’Urbano, psicóloga e psicoterapeuta EMDR; e “Estruturas e caminhos de formação integral e de prevenção de abusos” do padre Hans Zollner, SJ, diretor do Instituto de Antropologia do CID, da Pontifícia Universidade Gregoriana.

Quinta-feira, 8 de fevereiro, será a vez da formação comunitária com a temática “Sentir-se em casa”: vida do presbitério e fraternidade sacerdotal.

Pela manhã, na Sala Paulo VI, o Simpósio culminará com a audiência privada que o Papa Francisco concederá a todos os participantes. À tarde, as palestras “Potencialidades e desafios da vida de presbítero e da fraternidade sacerdotal” do cardeal Ángel Sixto Rossi, arcebispo de Córdoba (Argentina) e “Que os sacerdotes possam sentir-se “em casa”: tarefa do bispo e da comunidade diocesana” por dom José Romeo Juanito Lazo, arcebispo de Jaro (Filipinas). O dia terminará com a exibição do filme Sacerdote, de Damien Boyer, das 18h30 às 20h00.

Na sexta-feira, 9 de fevereiro, serão abordadas as questões relativas à dimensão da formação missionária com pronunciamentos que tentarão centrar-se na forma de experimentar novas estratégias pastorais: “Qualificar: atitudes e competências para trilhar novos caminhos na pastoral.

Pela manhã serão proferidas as palestras “Os novos desafios pastorais: uma perspectiva global” do padre Guy Bognon, P.S.S., secretário geral da Pontifícia Sociedade Missionária de São Pedro Apóstolo – Dicastério para a Evangelização – Seção para a primeira Evangelização e a nova Igrejas particulares (Cidade do Vaticano) e “Caminhos e ferramentas para o acompanhamento pastoral dos sacerdotes” de dom Joel Portella Amado, bispo auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro (Brasil). No final da tarde, na Basílica de São João de Latrão, os congressistas participarão de um momento especial de elevação espiritual: o Concerto-Meditação sobre a vocação dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo do Coro da Diocese de Roma e da Orquestra “Fideles et Amati”, dirigidos pelo maestro monsenhor Marco Frisina.

Na manhã de sábado, 10 de fevereiro, haverá um momento de síntese “Vozes da Sala”, as conclusões dos três cardeais prefeitos dos Dicastérios promotores e a seguir, no Altar da Cátedra da Basílica de São Pedro, a Concelebração Eucarística presidida pelo cardeal Lazzaro You Heung sik, prefeito do Dicastério para o Clero.

Faça a sua pesquisa

Os cookies nos ajudam a entregar nossos serviços. Ao usar nossos serviços, você aceita nosso uso de cookies. Descubra mais