O Papa: testemunhar Cristo até mesmo na fragilidade da velhice - Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

O Papa: testemunhar Cristo até mesmo na fragilidade da velhice

Francisco disse na Audiência Geral que “a vida do idoso é lenta, lenta, mas é uma despedida alegre: vivi a vida, conservei a minha fé. É bonito quando um idoso pode dizer: “Eu vivi a vida, esta é a minha família. Eu vivi a vida, fui um pecador, mas também fiz o bem”. E essa paz que vem, esta é a despedida do idoso”.

Mariangela Jaguraba – Vatican News

Na catequese sobre a velhice, na Audiência Geral desta quarta-feira (22/06), realizada na Praça São Pedro, o Papa Francisco meditou sobre o diálogo entre Jesus ressuscitado e Pedro, na conclusão do Evangelho de João. “É um diálogo comovente, do qual transparece todo o amor de Jesus pelos seus discípulos e também a sublime humanidade da sua relação com eles, em particular com Pedro: uma relação terna, mas não insípida, direta, forte, livre e aberta. Uma relação de homens na verdade.” 

“Durante o debate de Jesus com Pedro, encontramos duas passagens que tratam da velhice e da duração do tempo: o tempo do testemunho e o tempo da vida.” Jesus adverte a Pedro: quando você era jovem, você era autossuficiente, quando você ficar velho já não será tão senhor de si mesmo e da tua vida”, disse o Papa, sublinhando que agora está andando de “cadeira de rodas”! “Mas é assim, a vida é assim: com a velhice chegam todas essas doenças e nós temos que aceitá-las como elas vêm, certo? Não temos a força dos jovens! E até o seu testemunho, diz Jesus, será acompanhado por esta debilidade.

Testemunhar Jesus mesmo na fraqueza

Você deve ser testemunha de Jesus mesmo na fraqueza, na doença e na morte. Há uma bela passagem de Santo Inácio de Loyola que diz: “Assim como na vida, também na morte devemos dar testemunho de discípulos de Jesus.” O fim da vida deve ser o fim da vida de discípulos: de discípulos de Jesus que nos fala sempre de acordo com a idade que temos.

O Evangelista acrescenta o seu comentário, explicando que Jesus aludia ao testemunho extremo, do martírio e da morte. “Mas, podemos compreender de modo mais genérico o sentido desta advertência: o seu seguimento deverá aprender a deixar-se instruir e plasmar pela sua fragilidade, pela sua impotência, pela sua dependência dos outros, até para se vestir, para caminhar.” Mas, diz Jesus: «segue-me».

O seguimento de Jesus sempre vai adiante, com boa saúde, sem boa saúde, com autossuficiência, sem autossuficiência física. Porém, o seguimento de Jesus é importante: seguir Jesus sempre, a pé, correndo, lentamente, na cadeira de rodas, mas sempre segui-lo.

O Papa ressaltou que “gosta de falar com os idosos olhando-os nos olhos: eles têm aqueles olhos brilhantes, aqueles olhos que falam mais do que as palavras, o testemunho de uma vida. E isso é bonito, temos de conservá-lo até o fim. Seguir Jesus assim, cheios de vida”.

Segundo Francisco, “com a doença, com a velhice, a dependência aumenta e não somos mais autossuficientes como antes; isso aumenta e também a fé amadurece ali. Jesus também está ali conosco, também ali jorra aquela riqueza da fé bem vivida durante a estrada da vida”.

“Mas devemos nos perguntar: dispomos de uma espiritualidade realmente capaz de interpretar a estação – já longa e generalizada – deste tempo da nossa fraqueza confiada a outros, mais do que ao poder da nossa autonomia? Como permanecer fiéis ao seguimento vivido, ao amor prometido, à justiça procurada no tempo da nossa capacidade de iniciativa, no tempo da fragilidade da dependência, da despedida, no tempo do abandono do protagonismo da nossa vida? Não é fácil afastar-se do ser protagonista:não é fácil”, sublinhou ainda Francisco.

A vida do idoso é lenta, é uma despedida alegre

Segundo o Pontífice, “a vida do idoso é lenta, lenta, mas é uma despedida alegre: vivi a vida, conservei a minha fé. É bonito quando um idoso pode dizer: “Eu vivi a vida, esta é a minha família. Eu vivi a vida, fui um pecador, mas também fiz o bem”. E essa paz que vem, esta é a despedida do idoso”.

O Papa convidou a olhar e ouvir os idosos, e “ajudá-los para que possam viver e expressar sua sabedoria de vida, que possam nos dar o que eles têm de bonito e bom”. Francisco disse aos idosos para olhar os jovens sempre com um sorriso: “Eles seguirão o caminho, continuarão o que nós semeamos, e até mesmo o que não semeamos porque não tivemos coragem ou oportunidade.” Manter “sempre essa relação. Um idoso não pode ser feliz sem olhar para os jovens, e os jovens não podem seguir em frente na vida sem olhar para os idosos”, concluiu.

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Ordenação Presbiteral

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Falece Dom Cláudio Hummes, OFM, 5° Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

Nota de pesar da Arquidiocese de Fortaleza pelo falecimento de Dom Cláudio Hummes, OFM

Nota de falecimento de Dom Cláudio Hummes

Inscrições para participação on-line no 7º Encontro Nacional são prorrogadas até o dia 10 de julho

O Papa desmente rumores de renúncia e diz querer viajar a Moscou e Kiev