CNBB e o Sínodo da Amazônia | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

CNBB e o Sínodo da Amazônia

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, C.Ss.R

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil acabou de lançar uma campanha de sensibilização e informação sobre o Sínodo para a Amazônia. “A partir de 1º. de setembro, Dia Mundial de oração pelo Cuidado da Criação até o dia 5, Dia da Amazônia”, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) vai desenvolver, em parceria com a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil), um conjunto de iniciativas de comunicação para sensibilizar a Igreja e a sociedade sobre a importância do Sínodo para a Amazônia. Este esforço é uma das ações que vai acontecer no período que antecede o Sínodo da Amazônia no mês de outubro 2019.

Durante esta campanha haverá vídeo depoimentos de bispos e lideranças da Igreja sobre o Sínodo, vídeos sobre a Amazônia, gravações e outros materiais disponíveis nos sites e nas redes sociais da CNBB e da REPAM-Brasil. As T.Vs e rádios de inspiração católica estão sendo convidados a produzir seus conteúdos próprios e a disseminar os conteúdos dos debates sobe o Sínodo da Amazônia. É muito importante que católicos entendam bem o significado do Sínodo.

Dom Walmor, Arcebispo de Belo Horizonte e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil afirmou: “Que a CNBB decidiu apoiar iniciativas de comunicação que sensibilizem a Igreja e a sociedade para a proposta do Sínodo”. Talvez a proposta do Sínodo encontrado no documento “Instrumentum Laboris” possa ser resumida assim: “Novos caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral”. É importante ressaltar que o Vaticano defende a soberania brasileira sobre seu território amazônico. A Igreja Católica lamenta que os bispos envolvidos na organização do Sínodo da Amazônia estejam sendo “criminalizados” e tratados como “inimigos da Pátria”. Em carta, religiosos rebateram avaliações de que o evento, que tem em sua pauta questões ambientais, represente alguma ameaça à soberania nacional. É importante entender que a Igreja Católica não está tentando interferir em questões da soberania. Isso é um assunto exclusivamente do governo.  Os bispos e padres brasileiros que trabalham com os povos indígenas abandonados, pobres e sofredores da região, querendo melhorar suas vidas espiritualmente e materialmente são realmente heróis e patriotas.

O Presidente da CNBB deseja que haja “uma repercussão muito boa e importante de tudo aquilo que se trata e se tratará durante o Sínodo e daquilo que virá na exortação pós-sinodal”. Dom Ricardo Hoepers, bispo de Rio Grande e Presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB afirmou: “Que todos nós possamos participar e vamos nos envolver com essa grande reflexão e também com o nosso modo de ser. Pensar a Amazônia é pensar no homem de maneira integral. É pensar o dom que Deus nos deu. É pensar no quanto que somos gratos por este dom que recebemos que é a Amazônia”.

A Assembleia especial do Sínodo dos Bispos para a Região Pan- Amazônica será realizada de 6 a 27 de outubro de 2019, no Vaticano, em Roma. Pessoas interessadas no assunto pode encontrar material sobre o Sínodo na CNBB Nacional, e pelas hastags #euapoioosínodo, # euapoioopapa e #sinodoamazonico.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald,
Redentorista

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Pontifícias Obras Missionárias lançam pesquisa sobre Campanha Missionária 2019

Igreja de Fortaleza realiza Assembleia Arquidiocesana de Pastoral

Editorial – novembro 2019: “Dia mundial do pobre”

Agenda do Arcebispo: Dezembro 2019

Decretos e Provisões – outubro 2019