Grande Santo Redentorista | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Grande Santo Redentorista

No dia 15 de março a Igreja Católica e mais especificamente os padres e irmãos redentoristas celebrarão a festa de São Clemente Maria Hofbauer  que foi ordenado sacerdote em 1785 e é conhecido hoje como São Clemente. Ele nasceu em Tasswitz, na Morávia em 1751 nono de doze filhos de uma família muito pobre. Seu pai foi um açougueiro, e Clemente  trabalhou no ofício de seu pai até os 29 anos de idade. Com grandes dificuldades conseguiu fazer sua carreira na Universidade de Viena para ser ordenado sacerdote em 1785.  Numa viagem de peregrinação a Roma, conheceu Santo Afonso e a Congregação Redentorista recém-fundada por ele. Depois de um breve noviciado fez sua profissão religiosa como redentorista e pouco depois foi ordenada sacerdote. Os planos de Clemente coincidiram com as do Pe. Di Paola, então Superior Geral da Congregação Redentorista, para a expansão da Congregação além da Itália.

Pouco tempo depois Clemente viajou para Varsóvia, onde se estabeleceu na Igreja São Benone os trabalhos paroquiais para um grupo de alemães. Durante vinte anos esta igreja foi o centro de muitas atividades religiosas.  Clemente ajudou também nas paróquias vizinhos: missas (em alemão e polonês) batizados, confissões, missões populares, pregações  etc. Ao lado da Igreja de São Benone, Clemente construiu um grande mosteiro para os redentoristas. Mais tarde fundou outros dois conventos que ficaram conhecidos como centros  para ajudar os pobres e pessoas mais necessitadas por causa das guerras. Clemente trabalhou durante vinte anos na Varsóvia e durante este tempo fundou residências na Suíça e no sul da Alemanha

Desterrado de Varsóvia por Napoleão mudou-se para Viena em 1808. Por doze anos Clemente trabalhou incessantemente na renovação religiosa naquela cidade onde fundou um convento redentorista. No púlpito era um pregador eloquente, um confessor muito procurado. Um historiador Dom Servilio Conti escreveu sobre Clemente em Viena: “No púlpito, no confessionário, na conversão era apóstolo incansável. Ao seu zelo unia-se amabilidade atraente, paciência edificante, caridade sem limites. Em todas as emergências sua tarefa sacerdotal e missionária revelava uma piedade sem igual, fé inabalável na Divina Providência”. (cf. O SANTO DO DIA, S. Conti, Vozes, 4ª. Edição, 1990). Morreu com quase 70 anos aos 15 de março de 1820. A transladação dos restos mortais de Clemente, do cemitério dos românticos, marcou o início do processo de canonização. Foi Beatificado em 1888 e Canonizado por Pio X em maio de 1909. Foi declarado padroeiro de Viena em 1914.

Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

CNBB – Balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral

“Quadro social no Brasil é grave”, afirma analista político aos participantes do Consep

Presbíteros do Nordeste refletem sobre comunhão e missão na Igreja

Juventude realiza encontro em busca de sua identidade na Igreja e Sociedade

CELAM eleva sua voz pela Amazônia


QR Code Business Card