Caminhada Penitencial

Tudo sobre a 13ª Caminhada Penitencial

O Papa aos seminaristas franceses: conhecer o “cheiro das ovelhas” e caminhar com elas

Na mensagem assinada pelo secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, por ocasião do encontro nacional de seminaristas, em Paris, Francisco enfatiza a importância da “adoção de um estilo pastoral de proximidade, compaixão, humildade, gratuidade, paciência, gentileza, doação radical de si aos outros, simplicidade e pobreza”, numa sociedade em que a figura do sacerdote perdeu para muitos “toda a autoridade natural”.

Mariangela Jaguraba – Vatican News

O Papa Francisco enviou, nesta sexta-feira (1°/12), uma mensagem aos seminaristas da França que participam de um encontro em Paris.

No texto, assinado pelo secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, o Papa ressalta que é “motivo de ação de graças, de esperança e de alegria constatar que muitos jovens ainda ousam, com a generosidade e a audácia da fé, e apesar dos tempos difíceis que as nossas Igrejas e as nossas sociedades ocidentais secularizadas enfrentam, comprometer-se a seguir o Senhor no seu serviço e no serviço aos irmãos e irmãs”. “É por isso que eu digo a vocês: obrigado! Obrigado porque vocês dão alegria e esperança à Igreja na França, que espera e precisa de vocês”, afirma o Papa no texto.

Segundo a mensagem, “ouve-se muitas coisas sobre os sacerdotes, a figura sacerdotal é muitas vezes distorcida em alguns ambientes, relativizada, às vezes considerada subalterna”. “Não tenham medo: ninguém tem o poder de mudar a natureza do sacerdócio e ninguém jamais a mudará, mesmo que as modalidades de seu exercício devam necessariamente levar em conta as evoluções da sociedade atual e da situação de graves crises vocacionais crise que estamos vivendo”, ressalta.

“Uma dessas evoluções sociais, relativamente nova na França, é que a instituição eclesial, e com ela a figura do sacerdote, não é mais reconhecida; ela perdeu, aos olhos da maioria das pessoas, todo o prestígio, toda a autoridade natural e, infelizmente, está até manchada.” Segundo o Papa, “não se deve mais contar com ela para ser ouvido pelas pessoas que encontramos”. “A única maneira possível de prosseguir com a nova evangelização solicitada pelo Papa Francisco”, segundo a mensagem assinada pelo cardeal Parolin, “para que todos tenham um encontro pessoal com Cristo, é a adoção de um estilo pastoral de proximidade, compaixão, humildade, gratuidade, paciência, gentileza, doação radical de si aos outros, simplicidade e pobreza. Um sacerdote que conhece «o cheiro das ovelhas» e caminha com elas, no ritmo delas. É assim que o sacerdote tocará o coração de seus fiéis, ganhará sua confiança e os fará encontrar Cristo. Isso não é novo, obviamente; inúmeros sacerdotes santos adotaram esse estilo no passado, mas hoje se tornou uma necessidade para evitar que não tenham credibilidade ou não sejam ouvidos”.

“Para viver essa perfeição sacerdotal exigente, e às vezes dura, e enfrentar os desafios e as tentações que encontrarão em seu caminho, há, queridos seminaristas, apenas uma solução: cultivar uma relação pessoal, forte, viva e autêntica com Jesus. Amem Jesus mais do que qualquer outra coisa, deixem que o seu amor seja suficiente para vocês, e vocês sairão vitoriosos de todas as crises, de todas as dificuldades”, ressalta ainda a mensagem de Francissco.

O Papa recomenda aos seminaristas “como mestra de vida espiritual, Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, no aniversário de 150 anos de seu nascimento, Doutora in scientia amoris cuja admirável doutrina” eles “têm o privilégio de poder ler na língua de ‘origem'”. “Ela que “respira” constantemente o Nome de Jesus, o seu “único amor”, guie vocês no caminho da confiança que os sustentará todos os dias e os manterá firmes sob o olhar do Senhor quando Ele os chamar a si”.

Faça a sua pesquisa

Os cookies nos ajudam a entregar nossos serviços. Ao usar nossos serviços, você aceita nosso uso de cookies. Descubra mais