O Papa: a sinodalidade deve nos levar a viver intensamente a comunhão eclesial - Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

O Papa: a sinodalidade deve nos levar a viver intensamente a comunhão eclesial

Na mensagem de vídeo por ocasião da plenária da Pontifícia Comissão para a América Latina, Francisco explicou que “a sinodalidade é a dimensão dinâmica, a dimensão histórica da comunhão eclesial fundada pela comunhão trinitária, que ao apreciar o sensus fidei de todo o santo fiel Povo de Deus, a colegialidade apostólica e a unidade com o sucessor de Pedro, deve incentivar a conversão e a reforma da Igreja em todos os níveis”.

Mariangela Jaguraba – Vatican News

Foi divulgada, nesta quinta-feira (26/05), a mensagem de vídeo do Papa Francisco por ocasião da plenária da Pontifícia Comissão para a América Latina (PCAL) que teve início na terça-feira, 24, e prossegue até sexta-feira, 27 de maio.

Francisco manifestou satisfação pelo fato de o organismo se reunir após a pausa prolongada causada pela pandemia. Antes da convocação do Sínodo sobre a Sinodalidade na Igreja, o Papa desejava que os membros da Pontifícia Comissão para a América Latina pudessem “dialogar sobre esse tema, uma vez que a experiência da Igreja na América Latina foi expressa, após o Concílio Vaticano II, com alguns elementos marcadamente sinodais”.

Reaprender a caminhar juntos

Segundo Francisco, a “comunhão” e a “participação” foram as categorias-chave para a compreensão e implementação da III Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizada em Puebla, e a “conversão pastoral” foi um conceito relevante na IV Conferência Geral de Santo Domingo que depois adquiriria ainda mais centralidade na V Conferência Geral de Aparecida.

“Além dos documentos, é a própria realidade pastoral da Igreja Latino-Americana que me incentiva a pensar nela como uma experiência na qual a sinodalidade há muito se enraizou”, disse o Papa, acrescentando:

Estou convencido de que, de forma avançada, a Igreja na América Latina e no Caribe fez um “percurso caminhando”, ou seja, demonstrou que uma interpretação correta dos ensinamentos do Concílio implica reaprender a caminhar juntos diante dos desafios ou problemas pastorais e sociais inerentes à mudança de época. Digo “reaprender” porque para caminharmos juntos é sempre importante manter o pensamento incompleto. Tenho alergia a pensamentos já completos e fechados.

“Quando se pensa que se sabe tudo, o dom não pode ser recebido. Quando se pensa que sabemos tudo, o dom não nos educa porque não pode entrar no coração. Em outras palavras, não há nada mais perigoso para a sinodalidade do que pensar que já sabemos tudo. O dom é o Espírito Santo, que não se impõe à força, mas gentilmente convoca suavemente o nosso afeto e nossa liberdade para nos modelar com paciência e ternura, a fim de assumirmos a forma de unidade e comunhão que Ele deseja em nossas relações”, disse ainda Francisco, reiterando que a Igreja é “um povo reunido em virtude da unidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”

Incentivar a conversão e a reforma da Igreja

Assim, a palavra “sinodalidade” não designa um método mais ou menos democrático e muito menos “populista” de ser Igreja. Estes são desvios. A sinodalidade não é uma moda organizacional ou um projeto de reinvenção humana do povo de Deus. A sinodalidade é a dimensão dinâmica, a dimensão histórica da comunhão eclesial fundada pela comunhão trinitária, que ao apreciar o sensus fidei de todo o santo fiel Povo de Deus, a colegialidade apostólica e a unidade com o sucessor de Pedro, deve incentivar a conversão e a reforma da Igreja em todos os níveis.

A seguir, o Papa disse que PCAL é chamada a ser um organismo de serviço que colabora para que todos na América Latina e no Caribe entrem no estilo sinodal de ser Igreja, “na qual o Espírito Santo é o protagonista, e não nós”.

PCAL, promover a sinodalidade da forma mais ampla possível

“A PCAL é um serviço, é uma diakonia, que deve mostrar o afeto e a atenção que o Papa tem em relação à região. Diakonia, serviço, que ajuda os diversos Dicastérios a agir de forma sinérgica, entendendo melhor a realidade social e eclesial da América Latina. Diakonia que, em nome do Papa, acompanha a caminhada de organismos como o CELAM (Conselho Episcopal Latino-americano) e a CEAMA (Conferência Eclesial da Amazônia), e pastoral hispânica nos Estados Unidos e Canadá, em comunhão com a Igreja universal”, sublinhou ainda Francisco, ressaltando que a PCAL “é um organismo da Cúria Romana, parte integrante do Dicastério para os Bispos, que tem dois leigos como secretários – um homem e uma mulher agora. Não nos esqueçamos de que o clericalismo é uma perversão “quietista”.”

Segundo o Papa, a PCAL “deve promover a verdadeira sinodalidade da forma mais ampla possível. A comunhão sem sinodalidade pode facilmente se prestar a um certo fixismo e centralismo indesejáveis. A sinodalidade sem comunhão pode se tornar populismo eclesiástico. A sinodalidade deve nos levar a viver mais intensamente a comunhão eclesial, na qual a diversidade de carismas, vocações e ministérios se integram harmoniosamente animados pelo mesmo batismo, que nos torna filhos no Filho”. “Tomemos cuidado com o protagonismo”, disse ainda o Papa e animemos “processos que permitam ao Povo de Deus, que caminha na história, a participar cada vez mais na responsabilidade comum de que todos nós temos que ser Igreja”. “Somos todos o povo de Deus. Somos todos discípulos chamados a aprender e seguir o Senhor. Somos todos corresponsáveis pelo bem comum e pela santidade da Igreja”, concluiu.

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Ordenação Presbiteral

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Se aproxima a 14ª Festa da Vida, momento de celebração e defesa da criação

Paróquia Santa Luzia, no Meireles festeja trezena em honra a Santa Luzia

Presidente da CNBB convida católicos a participarem da “Campanha para a Evangelização 2022”

Primeira Pregação do Advento 2022 com Fr. Raniero Cantalamessa

Fortaleza faz campanha para o Santuário de São Francisco das Chagas de Canindé