Caminhada Penitencial

Tudo sobre a 13ª Caminhada Penitencial

O dia do Natal

padre-Brendan200Embora paganizado por muitos, o Natal nos oferece, a cada ano, uma extraordinária riqueza espiritual. Desvirtuado por falsas comemorações, continua sendo uma fonte de lições autênticas e bênçãos abundantes. A certeza de que um Deus entrou na história humana, para marcá-la definitivamente, não pode deixar de produzir em nós uma inabalável confiança e uma invencível vontade de viver esta história e de fazê-lo viver, em plenitude, também pelos nossos irmãos. É necessário meditar sobre o Natal, para descobrir-lhe o verdadeiro sentido e não vivê-lo em lamentável superficialidade. Graças a Deus, em numerosos lares de Fortaleza e do interior do Ceará, foi feita, neste ano de 2013, a preparação de “Natal em família”, um excelente livrinho elaborado pela CNBB do Reg. NE1.

A universalidade das comemorações do Natal é algo assombroso em um mundo descristianizado e secularizado que aparenta estar divorciado do eterno. No Natal, pessoas, mesmo que não sejam cristãs, e sejam contra essa celebração ou contestem sua importância, não conseguem ignorá-lo e, dificilmente, deixam de comprar algum presentinho ou enviar um cartão. É que, apesar do consumismo que atualmente marca a celebração, o Natal continua sendo, para cristãos e não cristãos de todas as partes do mundo, a celebração do amor, da gratuidade, da solidariedade, da alegria, da confraternização e da paz.

É preocupação de quase todos os cristãos preservar o verdadeiro sentido do Natal, não permitindo que o consumismo exagerado e o apelo comercial dessa data desvirtuem sua força espiritual e religiosa. Natal sem Jesus não é Natal. É realmente uma tragédia quando cumprimos o ritual: compramos presentes, arrumamos a casa, preparamos a festa, mas esquecemos do aniversariante! Somente uma visão cristã do Natal poderá dar aos homens o que eles desejam: um mundo que não seja somente uma exaltação do econômico, do material, mas a realização do Espírito e a concretização do plano de Deus.

Por Pe. Brendan Coleman Mc Donald – Redentorista.

 

 

 

 

Faça a sua pesquisa

Os cookies nos ajudam a entregar nossos serviços. Ao usar nossos serviços, você aceita nosso uso de cookies. Descubra mais