Humanizar a face da terra - Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Humanizar a face da terra

Humanizar a face da terra, que seja uma palavra de ordem ou desafio imprescindível, para cada criatura humana, com toda a sua história de vida e parcela do próprio trabalho, como realização, no convite do Criador e Pai. Aqui em Fortaleza, voltando-me para o nosso bairro Parquelândia, com Santo Afonso Maria de Ligório, no contexto redentor, proclamado por Jesus de Nazaré, que jamais deixou de falar do que vimos e ouvimos (cf. At 4, 20). É justo, digno e necessário elevar a alma com todo o seu ser, proclamando as incontáveis maravilhas, realização auspiciosa e prodigiosa dos feitos do Senhor.

Contemplar, sim, pois o amor desceu de Deus, dom e graça inesgotável para a humanidade, na esperança expectante, a da elevação do homem para Deus, do mesmo Deus, que na sua condição pelo amor interminável e duradouro, além de ser excessivamente indulgente, pleno e feliz em si mesmo, não necessita do amor da criatura humana, todavia quer sua participação, amando-a; quer sua colaboração, cooptado e concebido como mistério de amor. Mesmo na decepção por causa de limites que a torna inferior, no peso da responsabilidade demasiada, no cansaço, em consequência da abrangência dos serviços, mas, também, na alegria de galgar profissões e funções, de ganhar salários muito além do razoável.

No amor soberano de Deus, todos, ao provarem e degustarem de sua permanente generosidade – na sua existência e condição de criatura –, recebem atribuição de participar de sua vida e de sua glória. É não hesitar, mesmo no embate da “loucura” humana pela busca dos bens materiais, no que assertivou Pe. Eduardo Moesch: “Quando as coisas materiais não são um fim em si mesmas, mas estão a serviço do nosso bem-estar e do bem-estar do próximo, então são ‘bens materiais. Quando transformamos o dinheiro e as coisas materiais no objetivo mais importante da vida, e apenas para proveito individual, sem interesse pelos outros, então se tornam ‘males’ materiais. Ser rico apenas para si é uma perdição: muito mais importante é ser rico para Deus” (cf. Lc 12, 21).

A parábola do tesouro escondido no campo, no seu sentido preciosamente didático (cf. Lc 12, 16-21), vai em direção contrária à realização meramente humana, com sua concretude nos bens efêmeros, ilusórios e fugazes, com seu dinheiro acumulado, se fechando à fraternidade solidária dos filhos de Deus, com “pão em todas as mesas” (18º CEN). Solidariedade, sim, mas a partir de uma força consistente, num olhar de mentalidade e abertura, além de transigente e tolerante, que seja manifestação de uma evangélica, pródiga e afável generosidade. Assim seja!

*Padre Geovane Saraiva – Pároco de Santo Afonso, blogueiro, jornalista, escritor, poeta e integrante da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Foto: Vatican News

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Ordenação Presbiteral

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

“Caminhando com Maria, em Jesus somos todos irmãos”, tema da XX Caminhada com Maria

Nomeações e Provisões de julho de 2022

Agenda mensal de Dom José Antonio

RCC realiza Congresso Arquidiocesano em agosto

Papa aos evangelizadores digitais: que a sua missão seja plena de humanidade