Filhos da luz | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Filhos da luz

Padre Geovane Saraiva*

Em consequência da cegueira, indiferença e pouca sensibilidade dos atuais fariseus e mestres da lei, como ensinou o Evangelho do cego de Siloé, Jesus não é escutado. Num espírito mundano, fútil, raivoso ou truculento, eles abraçaram uma proposta larga, no convite de caminhar na lógica cega e demoníaca da serpente, a ponto de substituir autênticos pregadores e profetas por anunciadores falsos ou deletérios demônios.

Fica patente a cegueira acima mencionada: a do corpo e da alma. Jesus curou a cegueira do corpo, acontecimento estrondoso, prodigioso e raro. Por causa da obstinada cegueira, que não nos falte a crença no poder salvífico de Jesus de Nazaré, curando nossa alma, pois não foi possível a cura naquela gente. De todos os sentidos, o mais precioso é o da visão. Ao se revelar maravilhoso instrumento da luz, na luminosidade que vem lá do alto, como porta ou janela, as pessoas são chamadas a perceberem o exterior e o interior, na “luz dos olhos” e no “espelho da alma”.

O Deus que quer nos amparar em todas as circunstâncias, seja a luz dos nossos olhos, sempre vigilantes, sem nada de autossuficiência. Saibamos, pois, buscar nos amigos de Deus, seguidores generosos e ardorosos, que ajudam a nos distanciarmos das ciladas de demônios e embusteiros, num não às suas próprias paixões e falso esplendor. Com a graça do bom Deus, não adormeçamos jamais, para não sermos vencidos pelas trevas. Na clareza do caminho verdadeiro, que não nos afastemos da ordem de Deus: a de vivermos como filhos da luz.

Deus quer também aumentar nossa responsabilidade, mesmo no distanciamento, indispensável como nutrição da esperança que faz viver, pelas atitudes e pelos gestos edificantes, num coração alegre e cheio de amor. Privados do calor humano físico, a distância, exercitemos o terno e afável poderoso instrumento, através dos meios que nos são colocados, sobretudo os das redes sociais. A oração, convenhamos, é a nossa grande força. O Espírito de Deus quer nos suscitar; dele vem a luz e nele encontramos força e coragem para realizarmos boas ações. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Paróquia de Itapebuçu realiza Novenário e Festa em honra a São Miguel

Relato do Ciclo de Estudos e Formação, em continuidade com a CF 2020, realizado em agosto

Paróquia da Bela Vista, em Fortaleza, celebra 68ª Festa de Nossa Senhora de Salette

Os desafios da Igreja em tempos de crise – Com Rosa Maria (Arquidiocese de Fortaleza)

Combate ao suicídio