Em busca do tesouro | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Em busca do tesouro

Quem encontra o tesouro apressa-se em vender tudo o que possui, pela conquista ou para adquiri-lo. Conquistá-lo consiste na relevância de ficar muito perto do sonho do Reino de Deus, pelo Evangelho, pelo esforço da mensagem cristã, na graça e na amizade com Deus. É, na verdade, um tesouro muito bem escondido e oculto, mas presente no mundo, e muitos o têm como um valor inigualável. Outros, tendo-o achado, não o valorizam e optam mesmo é pelo reino terreno. Outros, ainda, encontram enorme dificuldade e contam com forças insuficientes na intenção de descobri-lo.

O gozo da vida, o absoluto dos bens materiais e a satisfação da vida terrena no mundo da diversidade, como o nosso atual, falam mais alto. Aqui não se prescinde de um coração grande, afável e dócil, na mesma atitude do Rei Salomão, compreendendo e fazenda a diferença entre o bem e o mal (cf. 1Rs 3, 9), tendo, dentro de uma visão divina, o que é eterno e o que é transitório, fugaz ou efêmero, entre o que é aparente e o que é essencial, ou fundamental, na radical tomada de decisão: “vender todos os seus bens”, na ânsia do tesouro.

Veja, estimado leitor e estimada leitora, que Jesus não exige um pouco, nem relativiza, oferecendo só a metade. Na investida do verdadeiro, incontestável e irrefutável Reino, Jesus de Nazaré pede tudo, dando-nos também, em contrapartida, não pouco, prometendo-nos na sua compassiva misericórdia tudo, o prêmio da vida, na contemplativa comunhão com Deus. Saibamos, pois, insistentemente, nunca perder de vista a vontade divina de abraçar as realidades que transcendem e que são eternas: o tesouro.

Guardemos as palavras de São Bernardo de Claraval: “Ó sabedoria eterna, que vos entendeis de uma a outra extremidade da terra, para governar com força todas as coisas, dirigis nossas ações segundo as exigências de vossa vontade, a fim de que possa cada um de nós, sem temor, gloriar-nos em vós”. Conduzidos por vós, ó sabedoria encarnada do Pai, que possamos usar, de tal modo, os bens que passam, mas no sentido de abraçar os que não passam. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

O tempo é de Deus

“Com Dom Bosco ide a José”: tema de festa na Paróquia da Bela Vista

Senhora dos Enfermos é festejada em Paróquia do bairro Dunas

O absoluto em Charles de Foucauld

Modificado o rito de imposição das Cinzas em tempo de pandemia