Rosto desfigurado de Cristo | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Rosto desfigurado de Cristo

Na liturgia da Semana Santa, o Cristo na cruz, desfigurado e sem aparência, abre-nos um novo caminho, numa reflexão solidária, a partir do rosto do irmão, na grande maioria dos desfigurados. Sim, faz-se necessário refletir as vozes de prantos e lamentos que já não mais se ouvirão, igualmente os clamores angustiantes, os quais cessarão (cf. Is 65, 17s). A profecia de Isaías, na sua forma estimulante, ou exaustiva, aponta para a felicidade, com novos tempos – messiânicos – no sonho de uma realidade plenamente reconciliada e pacificada em Deus, sendo prenúncio da mais completa simetria e sintonia entre o velho e o novo, com Deus, o mundo e seu povo: “…novas todas as coisas”.

É a grande novidade em Jesus de Nazaré, o Filho amado do Pai, que, pelo seu anúncio e sua própria voz, traz a esperança da promessa, jubilosa e alegre, para todo o povo (cf. Lc 2, 10). A lógica salvífica da fé vai ao encontro da humanidade, mas no sentido de antever em Cristo o homem novo, na disposição e no empenho consciente do seu próprio protagonismo, compromissado com um mundo mais inclusivo, na confiança expectante de que Deus enxugará toda a lágrima dos olhos humanos, pois nunca mais haverá nem morte, nem luto, nem clamor; nem dor haverá mais. Sim! As coisas antigas passaram (Ap 21, 4).

A face do Cristo desfigurado quer ir além do rosto humano, quer um coração humano modelado, num rosto alegre, feliz e transfigurado, já aqui neste mundo, reflexo de uma realidade mais de acordo com o desígnio, ou propósito, de Deus. É evidente que nunca se pode deixar de ver no rosto o cansaço, a dor, a aflição, o júbilo, a severidade e a dureza. A inspiração e o conselho são para convencer de que Cristo, com seu rosto desfigurado, se torna visível à imagem de Deus. Esse rosto revelador da glória divina, no entanto, foi alvo do escárnio dos homens, como nos assegura o profeta Isaías: “Ofereci (…) as faces aos que me arrancavam as barbas, não ocultei o rosto às injúrias e aos escarros”.

No mundo em pandemia, com a Covid-19 desfigurando e matando criaturas humanas em número elevadíssimo, acreditamos que as vacinas nos oferecem proteção, sim, contra esse vírus nocivo, impiedoso e letal. Cristo, porém, com seu rosto sem aparência, quer ir muito além; quer nos colocar diante de males da sociedade e do mundo: apatia, negligência, desigualdade, indiferença, insensibilidade. Quer todos diante do desafio maior, considerando a realidade, nos seus sinais de vulnerabilidade, sobretudo nos que surgirem com poder devastador, sendo caos social, à luz da ética, por um mundo mais inclusivo, na busca dos bons costumes e dos princípios morais.

Estamos todos no mesmo barco, o do mesmo Deus que fez brilhar a luz em meio às trevas, não prescindindo do antagonismo entre ricos e pobres, muito claro e mesmo acintoso, no mundo que se distancia da proposta da justiça, da paz e da dignidade. Que se possa perceber o rosto da humanidade querendo dialogar, contendo nos olhos a fé e a esperança para ver o irmão, mesmo desfigurado, face a face. Todos por vacina, sim, para não obstaculizar, barbarizar e flagelar a vida e a própria história! Assim seja!

Padre Geovane Saraiva – Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

padre Geovane

Vocação agosto do pão

Editorial de agosto 2021: “Caminhando com Maria, em Jesus somos todos irmãos.”

Agenda do Arcebispo – Agosto 2021

Nomeações e provisões – Julho 2021

Papa: transformar a economia do tráfico numa economia do cuidado