Descer da montanha e descruzar os braços | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Descer da montanha e descruzar os braços

Jesus, o filho amado do Pai, ao revelar na montanha sagrada o esplendor de sua glória, na sua própria transfiguração, pede que tenhamos fé e compromisso em seu projeto divino. Ele conta com seus seguidores, credenciados e habilitados, para se transfigurarem no seu projeto de amor. Ele doa a vida pela humanidade, na sua fidelidade ao Pai, por aqueles que se encontram descartados, desfigurados e despojados de sua dignidade, como assegura Dom Helder: “No mais que comum dos dias, olhei o mais que pude os rostos dos pobres, gastos pela fome, esmagados pelas humilhações, e neles descobri teu rosto, Cristo Ressuscitado!”.

No caminho a percorrer, decorrente de nossos ideais, e na escuta da voz do filho amado, o ambiente é favorável a Jesus naquela montanha sagrada, numa claridade radiante, antevendo-se seu corpo glorificado. Que Deus nos dê a graça de andar pelos caminhos sólidos e seguros, numa luminosidade de verdadeira esperança, ao acolher a vida em comunhão com Ele, que está sempre pronto para ouvir nossa súplica, compassivo, escutando o lamento da humanidade. Ele não leva em conta suas faltas.

Na mais elevada obediência do filho de Deus, Pedro, Tiago e João são seus três amigos íntimos, testemunhando antecipadamente a glória do Senhor ressuscitado, sendo também eles presenças vivas na sua agonia do Getsêmani, revelando glória e paixão como aspectos inseparáveis, num só mistério: o da redenção da humanidade e do mundo. A transfiguração nos revela que ela é essencial à vida, precípua a qualquer encantamento ilusório, a partir do que é seguro e perene, ancorando-se no que é verdadeiro, na busca da paz e da justiça.

Que o sentimento maior e mais profundo de Deus, ao ecoar no coração da humanidade e do mundo, no seu todo, seja o do amor solidário aos olhos da fé. Quando ficamos diante das pessoas doloridas e angustiadas, pelo consequente peso da pandemia, do mais íntimo do íntimo, acreditamos que esta humanidade haverá de se reinventar, numa atenta proximidade dos fragilizados e dos empobrecidos de toda sorte.

Que possamos perceber a realidade misteriosa da transfiguração como sinal antecipado da ressurreição de Jesus de Nazaré, de modo inequívoco, diante dos pesadelos vividos pela criatura humana. A referida realidade nos propõe que descruzemos os braços, longe de conflitos e interesses pessoais desafiados: “Quando os problemas se tornam absurdos, os desafios se tornam apaixonantes”. Assim seja!

Padre Geovane Saraiva – Pároco de Santo Afonso, blogueiro, escritor e integrante da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dia 15, às 13h

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Dia 14/04, às 13h,

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dia 13, 13h.

Ao vivo: Principais notícias da 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil na edição especial do Boletim Igreja no Brasil, dia 12 de abril, 19h.

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dia 12/04, 13h.