Deus viu que tudo era bom | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Deus viu que tudo era bom

Pensemos no contexto bíblico da criação, com o paraíso, o pecado original (serpente), Caim e Abel, e muitos outros assuntos, no início do Livro do Gênesis, que tem sua plausível sustentação no bom Deus, ao tomar a decisão de descer do céu, encarnar-se na história humana e, de um modo pedagógico, instaurar seu reino de justiça e paz. O Livro Sagrado nos revela a grandeza de um Deus que, além de criar tudo por amor, é imensamente rico, maravilhoso, belo e vastíssimo no seu amoroso mistério. No Livro do Gênesis, constata-se o sentido alegórico e poético da vida como um todo, ao louvar a preciosidade da natureza, como bondade de Deus, na contemplação dos céus, na sua amplitude e sublime dimensão, numa simbologia à luz divina com seu esplendor.

Temos a terra e nela os minerais, as águas, as numerosas plantações, as incontáveis variedades e modos de se perceber a beleza da vida. Também não se pode esquecer a narrativa do abismo e nele as forças do mal, na constante tentativa da ameaça de arrastar o homem e a criação, sendo todos conduzidos ao caos (cf. Gn 1, 1ss). Já no Livro dos Provérbios e no da Sabedoria, percebe-se a elevação e exaltação da sabedoria, não deixando dúvidas de que nela se vê o próprio Deus, presente e vista nos acontecimentos; evidentemente, são obras de suas mãos maravilhosas.

Somos convidados, com o rigor da razão e muito mais ainda com o rigor da fé, a contemplar a origem de tudo que existe: “Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom”, obra esta que encontra nos seres humanos, criaturas de Deus, seu pleno acabamento, quando na manjedoura somos convidados a perscrutar e admirar aquilo que nos foi prometido, com a promessa de restaurar todas as coisas consigo. Urge da nossa parte, criaturas de Deus, colocar o projeto de vida realizado acima dos nossos interesses ou projetos pessoais. O ideal seria uma reação, com a retomada de um grande mutirão de solidariedade, dando entonação e relevância ao dom mais precioso: a vida.

Dentro do espírito escatológico do Natal e nele o sonho do acabamento do mundo, o que resta à humanidade é uma única coisa: radicalizar, distanciando-se da “serpente” como mal maior. Ignorar o espírito do “negacionismo, obscurantismo e anticientificismo”, que seja mais do que um sonho, sem esquecer-se da ideia deletéria de se estabelecer uma pauta em que se estimule sempre mais o uso das armas, contrariando a paz e a aurora afável e terna da criança da estribaria, tendo como drástica consequência o espanto assombroso, quanto ao abismo da odiosa violência. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, blogueiro, escritor e integrante da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

ORIENTAÇÃO DIANTE DO DECRETO DE 17 DE ABRIL DE 2021

Mensagem do Papa Francisco ao Episcopado Brasileiro

CNBB DIVULGA MENSAGEM AO POVO BRASILEIRO APROVADA PELOS BISPOS REUNIDOS EM ASSEMBLEIA

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dia 15, às 13h

Coletiva de Imprensa, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Dia 14/04, às 13h,