Membro da Comissão para o Acordo Brasil Santa Sé analisa as contradições da República do Brasil | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Membro da Comissão para o Acordo Brasil Santa Sé analisa as contradições da República do Brasil

Por ocasião do feriado da Proclamação da República do Brasil, celebrado neste dia 15 de novembro, o bispo de Campo de Goytacazes (RJ), dom Roberto Ferrería Paz, membro da Comissão Episcopal para o Acordo Brasil – Santa Sé analisa as contradições do conceito “república” com a realidade do Brasil.

Dom Roberto foi um dos responsáveis pela elaboração do texto da 5ª edição do projeto da CNBB: Pensando o Brasil cujo tema é o Estado Laico. Trata-se, segundo dom Ferrería, de um texto que busca responder ao desafio político e pastoral de tornar mais clara a relação entre a Igreja e o Estado no Brasil. O mesmo desafio enfrentado pelo Acordo Brasil – Santa Sé que na última quarta-feira, 13 de novembro, completou 11 anos. O documento dá amparo aos direitos essenciais ao desenvolvimento da missão da Igreja no Brasil.

O religioso lembra que o termo República tem origem no latim “res publica” e significa “coisa pública”, “coisa do povo”. “Nesta ótica, governos republicanos são aquele que põem ênfase no interesse comum e público em detrimento aos interesses privados e particulares”, disse.

Dom Roberto em reunião da Comissão do Laicato. Foto: Assessoria de Comunicação da CNBB/Daniel Leite

Balcão de negócios – Para o bispo que também integra Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vai mal o espírito republicano na atual conjuntura brasileira. “Nós assistimos à privatização da política. Estamos assistindo à uma desconstrução da Constituição Cidadã de 1988”, disse.

Esta desconstrução da Constituição, na avaliação do prelado, está afetando especialmente os direitos sociais, as garantias processuais e o bom relacionamento institucional entre os poderes.

A economia, defende dom Ferrería, está condicionando a política e reduzindo-a, muitas vezes, a um balcão de negócios. Em contrapartida, aponta o bispo, os mecanismos de participação popular, previstos na Constituição, também estão sendo reduzidos e tendo o seu poder diminuído cada vez mais.

O bispo vê como grave a perda do debate público e à uma “tribalização” do debate nas redes sociais. “Falta, justamente, o espaço público que é requisito da política para colocar e antepor e priorizar o bem comum sobre as políticas partidárias ou mesmo setoriais”, disse.  Para ele, não estamos vivendo a República. “Estamos vivendo um momento, cada vez mais, de um Estado mínimo, neoliberal, que está voltado, simplesmente, a interesses econômicos e financeiros”, disse.

Dom Ferrería Paz aponta a necessidade e o dever de retomar a ideia da política como bem comum. Esta ideia do bem comum deve, em sua opinião, regulamentar o relacionamento do Estado, com o mercado e com a sociedade civil. “Sem um Estado presente, que garanta os direitos, nós estamos cada vez mais retrocedendo às velhas oligarquias”, disse.

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Paróquia da Tabuba realiza Semana Social Brasileira

padre Geovane

Vocação agosto do pão

Editorial de agosto 2021: “Caminhando com Maria, em Jesus somos todos irmãos.”

Agenda do Arcebispo – Agosto 2021

Nomeações e provisões – Julho 2021