Pastorais Sociais e Organismos encaram o desafio de avançar na pastoral de conjunto | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Pastorais Sociais e Organismos encaram o desafio de avançar na pastoral de conjunto

pastorais sociais
pastorais sociais

O desafio de fortalecer o trabalho da pastoral conjunta foi encarado pelos 33 participantes do Encontro das Coordenações de Organismos e Pastorais Sociais que integram o trabalho organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O grupo, formado por representantes de 26 organizações, os bispos, assessor e secretária da comissão, esteve reunido de 11 a 13 de março, no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF) para analisar a conjuntura brasileira, com enfoque nas políticas públicas e nos direitos humanos, tendo em vista traçar caminhos para fortalecer a pastoral de conjunto e planejar a ação para 2019.


Dom José Valdeci, membro da Comissão para Ação Social Transformadora. Foto: Imprensa CNBB/Daniel Leite

O bispo de Brejo (MA), dom José Valdeci Mendes, membro da Comissão para a Ação Social Transformadora da CNBB, apontou o desafio da fragmentação no meio das próprias pastorais sociais como algo que precisa ser superado. “Claro que cada pastoral está fazendo algo, mas sentimos a necessidade de unir as experiências e romper com o isolamento”, afirmou.

Democracia e medo – A necessidade de articular-se mais, segundo o bispo, decorre dos desafios colocados pela ameaça aos direitos sociais expressa, entre outros, na extinção do Ministério do Trabalho e do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional pelo governo federal. “Tudo o que fortalece a democracia e a sociedade tem sofrido uma certa ameaça. Estamos vivendo uma tensão no Brasil e um certo amedrontamento de lideranças que estão passando por situações de ameaças e medo”, avalia.

Um bom exemplo de articulação, segundo a avaliação das próprias Pastorais Sociais e de dom José, vem das Pastorais Sociais que atuam no campo. “Já temos algumas articulações já concretizadas. Por exemplo, temos a Pastoral do Campo que vem trabalhando e já tem toda uma experiência de diálogo, comunhão, formação e entre-ajuda”.

O Jardel Neves Lopes, da coordenação nacional da Pastoral Operária, compartilha desta avaliação. Para ele, um grande desafio, contudo, é avançar na articulação das pastorais sociais que atuam no mundo urbano na luta pelo direito à cidade. “O grande desafio é fazer com que as Pastorais Sociais se encontrem desde a base, da comunidade e da diocese, nos regionais até nacionalmente. Muitas pastorais sociais, de um grupo grande de mais de 20 pastorais, nem se conhecem”, ressaltou.


Maria das Graças, representante da Pastoral da Criança. Foto: Imprensa CNBB/Daniel Flores.

Segundo a representante da Pastoral da Criança, Maria das Graças Silva Gervásio, para ter uma articulação e uma pastoral de conjunto é essencial pensar pontos comuns. Ela aponta que o controle social das políticas públicas, um tema ligado à Campanha da Fraternidade deste ano, pode ser um tema comum assumido por todas as Pastorais Sociais da Igreja no Brasil.

Além destes temas da articulação das pastorais que luta pelo direito à cidade, à saúde e por melhores condições de vida no campo, o grupo vai discutir sobre proteção e segurança das informações, a atualização do diagnóstico da sustentabilidade das Pastorais Sociais e Organismos, Seminários sobre Incidência Política e a 6ª Semana Social Brasileira. O grupo também debaterá questões e formulará sugestões às novas diretrizes para a ação evangelizadora da Igreja no Brasil no próximo quadriênio, a ser definidas na 57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, de 1º a 10 de maio.

Fonte: CNBB

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Paróquia de São José – Canindé divulga programação do Maio Mês de Maria

Casa de acolhimento a migrantes e refugiados é implantada na Arquidiocese de Fortaleza

Os 30 Santuários que participam das orações de maio pelo fim da pandemia

Como funcionam as estruturas que apoiam o ministério do Papa. A Congregação para os Bispos na entrevista com o Prefeito, Cardeal Marc Ouellet

FALECEU DOM ANDRÉ DE WITTE, PRESIDENTE DA COMISSÃO PASTORAL DA TERRA