Encontro internacional de liturgia em 1956 | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Encontro internacional de liturgia em 1956

Em 1956, o primeiro Congresso Internacional de Pastoral Litúrgica foi celebrado em Assis, com um verdadeiro encontro de especialistas e troca de experiências que teve sua culminância na reforma litúrgica do Vaticano II.

Cidade do Vaticano

No nosso espaço Memória Histórica – 50 anos do Concílio Vaticano II, vamos falar no programa de hoje sobre “Encontro Internacional de Liturgia em 1956”.

Neste nosso percurso sobre o Concílio Vaticano, temos dedicado alguns programas à reforma litúrgica e suas origens, o que culminou com a Constituição Sacrosanctum Concilium, documento aprovado com 2158 votos a favor e somente 19 contrários e solenemente promulgado pelo Papa Paulo VI em 4 de dezembro de 1963.

No programa passado, falamos sobre “o Movimento Litúrgico e a reforma litúrgica de Pio XII”. Na edição de hoje, o padre Gerson Schmidt, sacerdote incardinado na arquidiocese de Porto Alegre, nos traz uma reflexão sobre o “Encontro Internacional de Liturgia em 1956¹”:

“Em 1956, o primeiro Congresso Internacional de Pastoral Litúrgica foi celebrado em Assis, com um verdadeiro encontro de especialistas e troca de experiências que teve sua culminância na reforma litúrgica do Vaticano II. Para o Congresso, Papa Pio XII fez um precioso e excelente discurso . Queremos aqui fazer ainda um resgate desse mensagem de Pio XII, vendo como tem significado atual, ainda antes do Concilio Vaticano II.

Na mensagem enviada por Pio XII aos participantes, o Papa disse muitas coisas interessantes, para a sua época, falando assim: “É no coração da liturgia que se desenrola a celebração da Eucaristia, sacrifício e banquete (dois adjetivos importantes aqui que resumem grandes controvérsias até então); é nela também que se conferem todos os sacramentos e que, pelos sacramentais, a Igreja multiplica largamente os benefícios da graça nas circunstâncias mais diversas”.

E falou novamente (já anteriormente citada) da participação não passiva dos fiéis: “Se a Hierarquia comunica pela liturgia a verdade e a graça de Cristo, os fiéis, por sua vez, têm por dever recebê-las, com toda a alma, e transformá-las em valores vitais. Tudo que lhes é oferecido, as graças do sacrifício do altar, dos sacramentos e dos sacramentais, que eles aceitem, não de modo passivo, deixando apenas que sejam derramadas sobre si, mas colaborando com toda a vontade e com toda força e, sobretudo, participando dos ofícios litúrgicos ou ao menos seguindo o seu desenrolar com fervor”.

Também o Papa Pio XII já fazia algumas ponderações sobre o tabernáculo, a capela do Santíssimo, como hoje entendemos, afirmando que o altar é mais importante que o tabernáculo: “A estas considerações devemos acrescentar algumas indicações sobre o tabernáculo. Assim como dissemos acima: “O Senhor é de alguma forma maior que o altar e que o sacrifício”, poderíamos dizer em seguida: “O tabernáculo, onde habita o Senhor que desceu no meio do seu povo, é maior que o altar e que o sacrifício”?

O altar é mais importante que o tabernáculo, porque nele é oferecido o sacrifício do Senhor. Sem dúvida o tabernáculo guarda o Sacramentum permanens (Sacramento permanente), mas não é um altare permanens (altar permanente), pois o Senhor se oferece em sacrifício apenas sobre o altar durante a celebração da Santa Missa, não depois ou fora da Missa. No tabernáculo, por sua vez, ele está presente por todo o tempo em que perdurarem as espécies consagradas, sem, no meio tempo, oferecer-se de modo permanente”.

Fonte: Vaticannwes

___________________________
¹ FRANCISCO J. MONTALBAN e VV.AA. História de La Iglesia Catolica, IV Edad Moderna, Biblioteca de autores Cristianos, Madrid, 1958, p.843.

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Paróquia de São José – Canindé divulga programação do Maio Mês de Maria

Casa de acolhimento a migrantes e refugiados é implantada na Arquidiocese de Fortaleza

Os 30 Santuários que participam das orações de maio pelo fim da pandemia

Como funcionam as estruturas que apoiam o ministério do Papa. A Congregação para os Bispos na entrevista com o Prefeito, Cardeal Marc Ouellet

FALECEU DOM ANDRÉ DE WITTE, PRESIDENTE DA COMISSÃO PASTORAL DA TERRA