Posicionamento das Pastorais Sociais e Organismos da Arquidiocese de Fortaleza | Arquidiocese de Fortaleza
Atualidades

Posicionamento das Pastorais Sociais e Organismos da Arquidiocese de Fortaleza

Segue o posicionamento das Pastorais Sociais e Organismos da Arquidiocese de Fortaleza, diante desse massacre de direitos que tem incindido sob o povo brasileiro, em especial trabalhadores e trabalhadoras! Dia 28 de abril é imprescindível estarmos nas ruas! Que o Deus da vida nos ilumine e nos guie nessa luta por nossos direitos.

Leiam e divulguem essa carta!

POSIÇÃO DAS PASTORAIS SOCIAIS, CEBs E ORGANISMOS DA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA

“Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão” (Lc 19, 40)

Caros irmãos e irmãs da Arquidiocese de Fortaleza, paz e bem!

A Articulação das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos da Arquidiocese de Fortaleza têm como missão profética procurar respostas e caminhos para enfrentar os desafios sociais contemporâneos como a violência, o desemprego, a corrupção, a saúde, entre outros. Por isso a importância e a necessidade de envolver o máximo de pessoas, de organizações em defesa da vida e de movimentos sociais, a fim de encontrar caminhos alternativos através da conscientização, da organização e da mobilização, chamando a atenção da Igreja e da sociedade diante do quadro de injustiças cada vez mais graves.

O Conselho Permanente da CNBB já declarou em Nota: “Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados”.

É com esse espírito de comunhão, coragem e profecia que nós das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos consideramos fundamental nossa participação nas manifestações coletivas, em especial, no apoio à Greve Geral do dia 28 de abril. É fundamental sairmos às ruas e defendermos nossos direitos trabalhistas, de vida e pela democracia. É impossível nos omitirmos diante dessa situação que atravessamos todos nós, o povo brasileiro.

Não pecaremos pelo silêncio e omissão frente ao sofrimento de tantas pessoas em nosso país, ou comportarmo-nos como se não fôssemos parte de tudo isso, como se estivéssemos fora do mundo. São indígenas, quilombolas, sem teto, sem terra, população em situação de rua, catadores/as de materiais recicláveis, crianças, mulheres, jovens, idosos, população LGBT e tantos outros segmentos da população que hoje são negados em seu direito a ter uma vida digna. A Igreja que acreditamos é aquela iniciada por Jesus de Nazaré, que vai ao encontro, que sofre com quem sofre, que não tem medo de sujar-se na dura realidade humana. É uma Igreja em saída, como diz o Papa Francisco.

O que temos visto e ouvido no cenário brasileiro, vindo principalmente do Congresso Nacional e do Poder Executivo, é uma grave crise ética e econômico-político-social-ecológica de alta complexidade. E, ainda, dão as costas à sociedade brasileira diante das manifestações contra as reformas, ignorando, propositalmente parece-nos, a favor do CAPITAL os direitos conquistados pelos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil, ao longo das sete últimas décadas, que estão garantidos na Consolidação das Leis do Trabalho – CLT bem como no sistema previdenciário e na Constituição Federal de 1988. Consideramos que essa negação para coma sociedade brasileira, em especial para com os trabalhadores e trabalhadoras, essa falta de diálogo e de consideração, mostram que não há alternativa senão irmos às ruas e dizermos de nossa indignação e defendermos nossos direitos.

Por isso conclamamos todas as pessoas com sensibilidade política e social a nos unirmos a todos os movimentos sociais, organizações de defesa dos direitos da cidadania e da vida plena e irmos às ruas, nessa sexta-feira, dia 28 de abril – Greve Geral – a partir das 9h na Praça da Bandeira.

Que o Deus da Vida esteja conosco, nos guiando, protegendo e fortalecendo nossa luta por vida digna!

“Traga a bandeira de luta, deixa a bandeira passar/
Essa é a nossa conduta, vamos unir pra mudar!”

Articulação das Pastorais Sociais CEBs e Organismos

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Dom José Antonio inaugura Centro de Pastoral na Paróquia Jesus, Maria, José no Antônio Bezerra

Clero de Fortaleza realiza Semana de Formação online

Jubileu de 75 anos da Paróquia Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra, Fortaleza

Catedral Metropolitana de Fortaleza celebra 42 anos de inauguração

Programação das Missas de Natal e Ano Novo em algumas paróquias da Arquidiocese de Fortaleza

Paróquia São José realiza a Live Natal da Esperança

Santuário de Canindé divulga programação natalina

Pe. Ermanno Allegri: pastor missionário, celebra 50 anos de Ordenação Presbiteral

12ª Festa da Vida: cuidar e celebrar a vida: desafio e compromisso

Dom Rosalvo toma posse na Diocese de Itapipoca

Há 150 anos, Santa Luzia ilumina Baturité

Paroquianos de São Gonçalo celebram novenário ao Padroeiro

Membros da Pascom são apresentados solenemente na Matriz do Pirambu

Nota de repúdio da Pastoral Carcerária contra agressões sofridas durante manifestação do Dia da Consciência Negra

Na Solenidade de Cristo Rei: novos presbíteros para a Igreja do Senhor

Testemunhas da Eucaristia: tema da 82ª Semana Eucarística

Cordel celebrativo: 105 anos da Arquidiocese de Fortaleza

Horários de missas no Dia de Finados

Legado de Irmã Clemência é retratado em Seminário Internacional

Live de lançamento do projeto Catequese em Família da Arquidiocese de Fortaleza

36º Semana do Migrante reflete sobre migração e diálogo

FM Dom Bosco lança clipe em comemoração aos 20 anos da emissora

Falece Padre Nelson da Silva, pároco de Mangabeira

O Papa: a oração de Jesus é o modelo da nossa oração