Atualidades

Sonho por justiça e paz

Padre Geovane Saraiva*

A obra redentora do nosso bom Deus, mistério a dominar e encantar a história da humanidade, amparado, evidentemente, pela emblemática veste da ternura, da justiça e da paz, nos convida, de alma elevada, a colocar diante dos olhos e no coração o que o nosso Deus carregava consigo: a natureza divina – o Verbo de Deus que se fez carne e veio habitar em nosso meio.

No Verbo que veio se estabelecer entre nós é que encontramos as razões de viver, no sonho por justiça e paz para o mundo, como nos ensina o servo de Deus, Dom Helder, naquilo de mais original, genuíno, espontâneo e profundo, através dos pensamentos que saíam do seu interior: “Feliz quem tem mil razões para viver”; “Quando os problemas são absurdos, os desafios são apaixonantes”; “Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como a minha sombra”.

Como alhures já dissemos, por vezes, à medida que passam os tempos, a missão da Igreja merece uma maior atenção, sempre acompanhada de um renovado ardor da parte dos cristãos. Faz-se mais necessário o valor indizível da oração como sustento da ação missionária e pastoral da Igreja; e o sucesso de todo trabalho depende, evidentemente, da íntima e estreita união com Deus dos seguidores de Jesus de Nazaré, na busca por justiça e paz.

Como é importante e indispensável se apoiar no Filho de Deus, com uma fé viva, segura, lúcida e consequente! Aqui deixo como um atraente desafio o exemplo de São Francisco de Assis, na loucura de um amor caloroso e afeiçoado, voltado para Deus e suas criaturas, compreendido em profundidade no beijo do leproso. Que seu gesto, de se perpetuar na história da humanidade, com indeléveis e incomparáveis marcas de fé e esperança, nos leve a descer do nosso edifício, que pode ser traduzido pela falta de solidariedade, orgulho, intransigência, desrespeito e intolerância.

São os apelos por justiça e paz que chegam a nós de muitos modos, em variados tempos e circunstâncias. Como é maravilhoso perceber o dom da graça e da generosidade de Deus nessa empreitada rumo ao sonho de realidade muito acima da nossa, como dizia Dom Fragoso: “Mulheres e homens crescem quando dão de si mesmo, e não quando estendem as mãos para receber”.

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Grande Concerto de Natal na paróquia de São João Batista do Tauape.

Ordenações Diaconais na Catedral Metropolitana de Fortaleza dia 21 de dezembro

Dom Aloísio em nossos corações

Papa: a boa política está ao serviço da paz

Entrevista: CF 2019 – A felicidade humana como horizonte das Políticas Públicas


QR Code Business Card