Regiões

Paróquia Bom Jesus dos Aflitos, Parangaba

 

Endereço da Igreja Matriz:
Rua 7 de Setembro, s/n, Parangaba

Endereço da Secretaria:
Av. Carlos Amora, 100 Parangaba 60740-101 Fortaleza-CE

Contato:
Secretária: Terezinha de Jesus Lopes Brito, Ruth de Morais Vieira e Elândia Oliveira Sousa
Fone: (85) 3245-1980
Celular: (85) 98513-3401 / (85) 99975-6695;

E-mail: paroquiabomjesusdosaflitos@gmail.com  e bomjesusdosaflitos@hotmail.com
Site: www.paroquiabomjesusdosaflitos.org.br
Página no Facebook

 

Pároco
Pe. Cícero Charles Alves Vidal dos Santos, SDS

Vigários paroquiais e /ou colaboradores:
Pe. Vanderlei Roque Signorini, SDS e Pe. Mauri Gomes da Silva, SDS,

 

Secretárias:

Terezinha de Jesus Lopes Brito
Ruth de Morais Vieira
Elândia Oliveira Sousa

 

Expediente na Secretaria:
Domingo: Não há atendimento
segunda-feira: 7h30 às 11h30 e 13h30  às 17h30
terça-feira: 7h30 às 11h30 e 13h30  às 17h30
quarta-feira: 7h30 às 11h30 e 13h30  às 17h30
quinta-feira: 7h30 às 11h30 e 13h30  às 17h30
sexta-feira: 7h30 às 11h30 e 13h30  às 17h30
Sábado: 7h30 às 11h30

 

Histórico:

Data da Criação: 16/3/1877

Parangaba

I
Alterando os limites com a paróquia de Parangaba: uma linha reta que, partindo da serra da Taquára alcançará o sitio Timbó, no cruzamento da estrada de Pacatuba, com Parangaba, de maneira que a capela de Taquára ficará para a paróquia de Porangaba, assim como a capela de Pajuçára, de odolfo Teofilo como é mais conhecida.
(Portaria de 14 de agosto de 1935)

II
Limites: Pelo nascente, do centro do Alto da Balança à Lagôa funda, passando pela ponte do Tauape, sitio do major Barbosa, Benfica e Lagoa da Onça; pelo norte da Lagôa funda à barra do rio Ceará, passando pela crista: pelo poente, da barra do rio Ceará ao Alto do Capim, pasando pelo Pabapuá, fazenda do Barão de S. Amaro, Estiva, fazenda do Dr. Teofilo Rufino, Tapéra da Urucutuba, estrada do Toco, ponta da Serra de Taquara, casa de Miguel Antonio Pereira e Lagôa do Jaú; pelo sul do Alto do Capim ao Alto da Balança ponto de partida, passando pelo Acaracuzinho, Tapeu e estrada da Lagoa dos Cachorros; pertencendo a nova Freguesia dos lugares acima mencionados.
(Provisão de D. Luiz – 16 de Março de 1877).
MODIFICAÇÃO

Decreto Nº 131

Criação da Paróquia de N. S. Imaculada Conceição de Fortaleza

Os limites entre a nova Paróquia e a limitrofes serão os seguintes:
– Com a paróquia de La Salette – Partindo desse ponto em que a rua Elvira Pinho corta a Avenida João Pessôa, a linha de limites segue essa avenida, rumo ao norte até o Início da rua Engenheiro Humberto Monte.
– Com a Paróquia de Nazaré – Partindo o ponto inicial da rua Engenheiro Humberto Monte na Avenida João Pessôa, a linha de limites segue por essa rua, rumo ao nascente até encontrar o leito da estrada de ferro.
– Com a Paróquia de N. S. de Fátima – partindo desse último ponto da estrada de ferro, a linha de limites segue pelo leito da ferrovia até encontrar os limites com a paróquia de Parangaba na Base Aérea.
– Com a Paróquia do Sr. Bom Jesus dos Aflitos em Parangaba – Desse último ponto da estrada de Ferro, a linha de limites segue pelo leito da ferrovia em direção ao Sudoeste até encontrar a ru vulgarmente chamada Rua Canadá; por esta rumo a norte até encontrar a Rua Elvira Pinho; por esta rumo ao poente até encontrar a Avenida João Pessôa.

Dado e passado nesta cidade de Fortaleza, sob Nosso Sinal e Sêlo de Nossas Armas, na festa da Imaculada Conceição, 8 de dezembro de 1858

+ Antonio – Arcebispo de Fortaleza

Mons. André V. Camurça – Sec. do Arcebispo
—–
História

Antecedentes: Em 1607, os PP. Francisco Pinto e Luiz Figueira chegaram de Pernambuco e fundaram, entre outras, a aldeia de Parangaba. Em 1609, Felipe Camarão construiu a capela dessa aldeia. Aos 25/10/11795 foi criada a vila e a Paróquia, mudando-lhe o nome indígena de Parangaba para o nome português de Vila Nova de Arronches. O seu primeiro vigário foi o Pe. Antônio Coelho do Amaral e seu coadjuntor o Pe. Francisco Jorge. A Paróquia foi extinta aos 02/06/1835, logo após a extinção do município (13/05/1835).

Novamente Paróquia: Pela Lei Provincial nº 1728 de 18/08/1876, foi criada novamente a Paróquia do Bom Jesus dos Aflitos, na povoação de Arronches, desmembrada da Paróquia de Messejana. Então, pela Provisão de 16/03/1877, bispo do Ceará, Dom Luiz Antônio dos Santos, instalou canonicamente a paróquia recém-criada. Os seus limites eram: ao norte, com o Oceano Atlântico e Paróquia do Patrocínio; ao Leste, com a Paróquia de Messejana; Ao sul, com as de Pacatuba e Maranguape; ao Oeste, com a Paróquia de Caucaia (?). Sua população era de cerca de 12.000 habitantes e registrava-se por ano, cerca de 16 mil comunhões (1885).
Paróquia com o Clero secular (1877-1938): vamos sintetizar os acontecimentos paroquiais com base na sucessão dos vigários.

1º Vigário (1877-1882): Pe. José Teixeira da Graça. Ele se dedicou à organização administrativa da nova Paróquia;
2º Vigário (1882-1890): Pe. José Albano Sobrinho. Durante o seu mandato, a povoação de Arronches voltou a ser município com o nome original de Parangaba (25/11/1885);
3º Vigário (1890-1891): Pe. João Paulo Barbosa (anexada ao Patrocínio);
4º Vigário (1/1892-8/1892): Pe. João Leite de Oliveira;
5º Vigário (1892-1895): João Paulo Barbosa (anexada ao Patrocínio);
6º Vigário (8/1895-1896): Mons. Dantas Ferreira Lima (ainda anexada ao Patrocínio);
7º Vigário (4/1896-6/1896): Cônego Ananias Correia do Amaral;
8º Vigário (7/1896-1915): Mons. Dantas Ferreira Lima (novamente anexada ao Patrocínio). Durante esse período, encontramos o Pe. Rodolfo Ferreira Cunha trabalhando no Asilo, a partir de 1905, e em Parangaba, a partir de 1908. Esse padre reformou a matriz em 1910. Graças à extraordinária boa vontade do povo, a reforma da igreja foi logo concluída. Foi inaugurada, no dia 08/12/1910, com a primeira missa do Pe. Vital Gurgel Guedes. Foi então fundada a Associação do Bom Jesus dos Aflitos, para a manutenção do culto;
9º Vigário (1915-1927): Pe. Rodolfo Ferreira Cunha. Já vinha trabalhando em Parangaba, desde 1908. Assim, passou a agir emancipado da Paróquia do Patrocínio. Começou o seu paroquiato com a pregação das Missões pelos Frades Capuchinhos. Esse fato trouxe um bem extraordinário para os fies. No dia 23/05/1915, deu-se a 1ª ordenação sacerdotal na paróquia: Pe. Agostinho Heleno de Moura. Em 1926, foram pregadas novamente as Santas Missões, coordenadas pelo Pe. Manuel de Macedo. Durante o seu longo vicariato e estada em Parangaba (22 anos), consolidou material e espiritualmente a Paróquia do Bom Jesus dos Aflitos;
10º Vigário (1927-1928): Pe. José Joaquim da Rocha;
11º Vigário (1928-1935): Pe. Nelson Terceiro Faria.
12º Vigário (1936-1938): Pe. José Hortêncio de Medeiros. Logo ao tomar posse, pensou em se preocupar no fortalecimento das associações religiosas. Neste ano de 1936, passaram a pertencer a Parangaba as capelas de Taquara e Pajuçara, que somadas às de Mondubim e Siqueira, formaram as 4 capelanias da paróquia. Em Maio de 1937, iniciaram-se as obras do salão paroquial, ao lado da matriz (hoje alugado à COBAL). Deixou a paróquia, no dia 06/02/1938, assumindo os Padres Salvatorianos, com o seu 1º Vigário Pe. Lourenço Hergenhalm.
(Baseado no livro Tombo da Paróquia)
As Paróquias Seculares
É conveniente posicionar-se a paróquia de Parangaba dentro da realidade histórico-religiosa das Paróquias da Arquidiocese. Temos assim aqui, antes de nosso século, a ordem cronológica das paróquias: Aquiraz (1700); as 4 irmãs de 1759: Caucaia, Messejana, Parangaba e Viçosa; São José-Catedral (1761); Baturité (1762); Canindé (1817); Cascavel (1832): Maranguape (1849); Pacatuba e Redenção (1869); Guaramiranga (1873); Paróquia do Patrocínio (1879); Aratuba e Beberibe (1884); Pacoti (1886) e Mulungu (1895). Assim, vemos que, no início deste século, no atual perímetro urbano de Fortaleza, havia apenas 4  paróquias: São José (Catedral), Messejana, Parangaba e Patrocínio. Nota ainda que as 4 irmãs de 1759 foram cassadas e restabelecidas: Messejana (1873), Parangaba (1876), Caucaia (1915) e Viçosa (?).

 

Compartilhe

Subir


QR Code Business Card