Atualidades

“Sempre renovada Igreja de Cristo!”

Vivemos todos os anos no final do Tempo Pascal a Solenidade da Ascensão de Jesus ao céu e o dom do Espírito Santo em Pentecostes.

Com o dom do Espírito Santo aos seus discípulos, Jesus inaugurou o tempo da Igreja: comunidade fraterna à qual Ele mesmo se faz presente até o fim dos tempos e pela qual realiza o desígnio salvador do Pai para o mundo, levando Seu Evangelho a toda criatura.

Vivendo esta realidade na Liturgia, a mesma Igreja se renova em sua vida e missão, realidade magnífica do Amor de Deus que faz Jesus contemporâneo na História da Humanidade. Assim o encontro com Cristo se realiza pela Igreja.

Manifesta-se sempre nova a Igreja de Cristo pela ação do Senhor que com ela está todos os dias até o fim dos tempos.

A Igreja no Brasil se propõe novas Diretrizes para a Ação Evangelizadora. Fruto de uma avaliação nas comunidades espalhadas por todas as regiões do Brasil. Fruto de oração, reflexão e discernimento pelos bispos reunidos em Assembléia Geral em Aparecida SP nos dias 4 a 13 de maio passado.

A força viva do Espírito do Senhor está em sua Igreja e a faz sempre juvenil na vida e na missão para oferecer a todo o mundo, por vezes cansado, perplexo e descrente de suas capacidades de solução de todos os problemas da vida, novo sopro vital, novas esperanças e energias de amor no Senhor vencedor do mal e da morte, na ressurreição que rompe as barreiras para a eternidade.

Assim se repropõe o Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.”

E deste Objetivo Geral que condensa a compreensão de sua vida e missão, sabe que: “Fiel a Jesus Cristo, ao Verbo de Deus, missionário do Pai (Jo 5,37; Jo 20,21), que se fez carne e habitou entre nós (Jo 1,14), a Igreja no Brasil, ao mesmo tempo em que escuta e acolhe a voz do Espírito Santo, reafirma a importância de conhecer a realidade e de traçar metas específicas para a ação evangelizadora à luz da Sagrada Escritura e da Tradição. Desde o Plano de Emergência, a Igreja no Brasil não interrompeu o rico processo de planejamento pastoral, elaborando diretrizes e planos, tendo em vista corresponder melhor à ação do Espírito numa realidade em constante transformação. Deseja, mais uma vez, contemplar o cotidiano do povo brasileiro, notadamente dos mais sofridos, voltar às fontes desta mesma fé e indicar caminhos a serem trilhados.” (DGAE 1)

Seu ponto de partida não poderia ser outro, que o Senhor Jesus. Somente de Jesus vivo em sua Igreja, pela ação do Espírito Santo, poderá ser o que é e realizar sua missão.

“Toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se volta para Ele e o Reino do Pai. Jesus Cristo é nossa razão de ser, origem de nosso agir, motivo de nosso pensar e sentir. Nele, com Ele e a partir d’Ele mergulhamos no mistério trinitário, construindo nossa vida pessoal e comunitária. Nisto se manifesta nosso discipulado-missionário: contemplamos Jesus Cristo presente e atuante em meio à realidade, compreendemos a realidade à sua luz e com ela nos relacionamos no firme desejo de que nosso olhar, ser e agir sejam reflexos do seguimento cada vez mais fiel ao Senhor Jesus. Não há, pois, como executar planejamentos pastorais sem antes pararmos e nos colocarmos diante de Jesus Cristo. Em atitude orante, contemplativa, fraterna e servidora, somos convocados a responder, antes de tudo a nós mesmos: quem é Jesus Cristo? (Mc 8,27-29). O que significa acolhê-lo, segui-lo e anunciá-lo? O que há em Jesus Cristo que desperta nosso fascínio, faz arder nosso coração (Lc 24,32), leva-nos a tudo deixar (Lc 5,8-11) e, mesmo diante das nossas limitações e vicissitudes, afirmar um incondicional amor a Ele (Jo 21,9-17)? A paixão por Jesus Cristo leva ao arrependimento, à contrição (Lc 24,47; At 2,36ss) e à verdadeira conversão pessoal e pastoral. Por isso, devemos sempre nos perguntar: estamos convencidos de que Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida? O que significa para nós, hoje, o Reino de Deus por Ele instaurado e comunicado?” (DGAE 5)

Assim a Igreja procura perceber com o olhar da fé AS MARCAS DO NOSSO TEMPO, para poder compreender as URGÊNCIAS DA AÇÃO EVANGELIZADORA e a elas responder com a coerência do Evangelho. “De nosso olhar como discípulos missionários sobre marcas de nosso tempo (Cap. II), confrontado com as urgências na ação evangelizadora (Cap. III), a partir de Jesus Cristo (Cap. I), derivam numerosos e complexos desafios pastorais. Em nosso imenso Brasil, as particularidades de cada contexto exigem que cada Igreja Particular responda a eles, a seu modo. Entretanto, em um mundo globalizado, além de características comuns da realidade brasileira em suas diferentes regiões, a fidelidade ao Evangelho no hoje de nosso tempo e o caráter indispensável do testemunho de unidade exigem uma ação orgânica em torno a alguns referenciais comuns. (DGAE 69)

Decorre disto o eixo centra das diretrizes evangelizadoras para toda a Igreja no Brasil, a busca de fazer acontecer uma Igreja em estado permanente de missão, casa da iniciação à vida cristã, lugar de animação da vida e da pastoral na Palavra de Deus, Igreja: comunidade de comunidades a serviço da vida plena para todos. Nesta mesma direção se encaminharão as orientações para a Igreja presente no Ceará, em suas nove dioceses, Regional NE1 da CNBB, e nossos planos pastorais em cada Diocese, nas paróquias e comunidades, movimentos e associações eclesiais.

Esperamos que, vivendo na comunhão em Cristo, tenhamos a força de Seu Espírito Santo, que fará de nós, Sua Igreja, capaz e rejuvenescida na vida divina que é dada ao mundo, e em nossa missão sempre renovada no ardor de levar a todos a Boa Nova do Senhor.

+ José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo de Fortaleza

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »

  • DYSNEI TAHIM PINTO disse:

    RECEBO AS POSTAGEM DA NOSSA ARQUIDIOCESE. AH SE UM DIA A NOSSA CAMOCIM TIVESSE O PRAZER DE RECEBER O NOSSO QUERIDO DOM JOSÉ ANTONIO TOSI.
    É A FESTA DO NOSSO PADROEIRO BOM JESUS DOS NAVEGANTES SERIA IDEAL. QUE JESUS ABENÇÕE O SENHOR E QUE VC CONTINUE MANSO E HUMILDE.


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Criaturas novas de Deus

Nossa Senhora de Guadalupe

Editorial – dezembro 2017: “Campanha para a Evangelização”

Agenda do Arcebispo: Janeiro 2018

Decretos e Provisões – novembro 2017


QR Code Business Card