Atualidades

[NOTÍCIAS/Vaticano] Imposição do pálio acontecerá nas sedes episcopais

Palio_RV 350x209Os arcebispos metropolitanos nomeados pelo papa Francisco desde última solenidade de São Pedro e São Paulo terão a imposição do pálio em suas arquidioceses de origem das mãos dos núncios apostólicos de cada país. Em entrevista à Rádio Vaticano, o mestre de cerimônias pontifícias, monsenhor Guido Marini, explicou o significado da decisão do bispo de Roma.

A partir deste ano, a peça de lã branca que recorda o símbolo da ovelha sobre os ombros de Jesus, será entregue ao arcebispo pelo papa, no Vaticano e imposta pelo núncio apostólico na sede episcopal, como explica monsenhor Guido Marini. “A partir do próximo 29 de junho, por ocasião da Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, os Arcebispos – como de costume – estarão presentes em Roma, concelebrarão com o Santo Padre, participarão do rito da bênção dos pálios, mas não haverá a imposição: simplesmente receberão o pálio do Santo Padre em forma mais simples e privada”, conta.

A imposição do pálio será efetuada depois, nas dioceses a que pertencem os arcebispos na presença dos fiéis e dos bispos das dioceses sufragâneas. “O significado desta alteração é o de colocar em maior evidência a relação dos bispos metropolitas – os novos nomeados – com a sua Igreja local e assim dar também a possibilidade a mais fieis de estarem presentes neste rito tão significativo para eles, e também particularmente aos bispos das dioceses sufragâneas, que deste modo, poderão participar do momento da imposição”, explica o mestre de cerimônias.

Ele considera que será mantido o significado da celebração do dia 29 de junho e que, ao mesmo tempo, acrescenta a “ligação com a Igreja local”.

Arcebispos do Brasil

Desde a última imposição do Pálio – ocorrida na solenidade de São Pedro e São Paulo do ano passado -, foram nomeados no Brasil os arcebispos do Ordinariado Militar, dom Fernando José Monteiro Guimarães; e da arquidiocese de Curitiba (PR), dom José Antônio Peruzzo.

Pálio

O arcebispo de Pelotas (RS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Jacinto Bergmann, explicou à Rádio Vaticano que o pálio é uma espécie de colarinho de lã branca, com cerca de 5cm de largura e dois apêndices – um na frente e outro nas costas. A peça possui seis cruzes bordadas em lã preta: quatro no colarinho e uma em cada um dos apêndices. É confeccionada pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecilia, em Roma, utilizando a lã de dois cordeiros que são ofertados ao Papa na solenidade de Santa Inês, no dia 21 de janeiro. Após confeccionados são abençoados pelo bispo de Roma e guardados numa arca junto ao tumulo de São Pedro.

O uso do pálio, que nos primeiros séculos do Cristianismo era exclusivo dos Papas, passou a ser usado pelos Metropolitas a partir do século VI, tradição que perdura até os nossos dias.

Cada Província Eclesiástica é formada por algumas dioceses e uma arquidiocese. À frente dela está o metropolita, que é o arcebispo da diocese-sede. As palavras “arqui” e “arce”, colocadas junto às palavras diocese e bispo, vêm da língua grega, e significam “a primeira”, “o primeiro”. Nesse sentido, recorda-se que ambos devem estar a serviço e promoção da comunhão.

Após ser nomeado, o metropolita deve pedir ao Papa, o pálio, símbolo de seu “poder” (o serviço e promoção da comunhão) na própria Província Eclesiástica e de sua comunhão com a Sé Apostólica. Uma vez recebido, usa-o unicamente dentro das funções litúrgicas, sobre os paramentos pontificais, dentro da Província a que preside, e unicamente nela.

Fonte CNBB – Com informações, fotografia e reprodução da Rádio Vaticano

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Crianças, adolescentes e adultos se reúnem para formação em Fortaleza

Conduzidos pela mão de Deus

Nota de repúdio dos bispos do Regional CNBB NE1-Ceará diante do escárnio público contra os símbolos sagrados

Em 2017, o Dia Mundial dos Pobres dia será celebrado em 19 de novembro.

Coleta da Campanha Missionária acontece neste final de semana no Brasil e no mundo


QR Code Business Card