Atualidades

[NOTÍCIAS/CNBB] Rede um Grito pela Vida aborda tráfico de pessoas na Amazônia

Rede um Grito pela Vida - AmazniaA Rede Um Grito pela Vida, da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) dos estados do Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre, Pará e Amapá realizou de 4 a 8 de março, em Manaus (AM), o Primeiro Encontro Internacional na região Norte. Representantes institucionais de países da região Pan-Amazônica refletiram sobre o tema “O Grito pela vida que vem da Amazônia – Não ao tráfico de Pessoas”.

O documento final do encontro destacou, a partir da análise da realidade do tráfico de pessoas na região e da Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, denúncias e reivindicações das entidades do Brasil, do Peru, da Colômbia, da Guiana, do Suriname e da Venezuela.

Dentre as denúncias da equipe está a constatação de diversas modalidades do tráfico de pessoas na região, como exploração sexual comercial, trabalho escravo, servidão doméstica, casamento servil, remoção de órgãos, adoções irregulares e migração forçada. “As várias experiências de prevenção, assistência e incidência política, apontam a gravidade e abrangência desta realidade, que é uma das mais perversas formas de violação dos direitos humanos na atualidade”, diz o documento.

A Rede ainda aponta para a ausência e ineficiência de políticas públicas de enfrentamento ao tráfico, além do “despreparo e inoperância de equipes técnicas de diversas instituições governamentais no atendimento às pessoas em situação de tráfico” e a não efetivação dos serviços e instrumentos legais previstos no II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas na região Pan-Amazônica. O documento foi publicado em 2013, pelo Ministério da Justiça.

Outras denúncias na carta do encontro dizem respeito à impunidade de pessoas ligadas aos poderes públicos e de empresários denunciados em casos de aliciamento, exploração e tráfico de pessoas. O documento também fala dos impactos socioculturais dos megaprojetos desenvolvidos na região.

Como reivindicações, o texto apresenta pedidos de garantia de “elaboração, implementação e execução da Política e do Plano Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas em todos os estados da região Norte do Brasil, com ampla participação da sociedade civil”. O diálogo entre os países de fronteira, a definição de acordos, a promoção de políticas públicas para os grupos em situação de vulnerabilidade são alguns elementos que o encontro propôs para efetivação.

O grupo também pede a inserção, nas diretrizes curriculares da educação, das temáticas sobre Direitos Humanos, Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Relações de Gênero. Outra indicação é a produção e realização de campanhas focadas na região amazônica, além de fomento a projetos e programas na área desenvolvidos por organizações governamentais, eclesiais e da sociedade civil com experiência comprovada.

O encontro também resultou no pedido de formação e capacitação dos profissionais dos órgãos competentes para melhorar o recebimento e encaminhamento das denúncias. Os participantes propuseram, ainda, a criação de um sistema de banco de dados com informações a respeito das violações e práticas de tráfico de pessoas.

Rede Um Grito pela Vida

A Rede Intercongregacional Um Grito pela Vida da CRB atua na região amazônica brasileira desde 2010, em parceria com entidades da sociedade civil, organismos eclesiais e governamentais. Suas ações no enfrentamento ao tráfico de pessoas acontecem por meio de ações de prevenção, sensibilização e controle social. A iniciativa ainda está presente nos diversos espaços de construção de políticas públicas e estratégias de enfrentamento à realidade.

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card