Atualidades

Rede “Um Grito pela Vida” realiza curso de formação sobre o Tráfico de Seres Humanos

Iniciará hoje, dia 2 de setembro, às 17h, na Casa de Encontro Irmã Yolanda, no bairro Henrique Jorge, o segundo curso de formação sobre o Tráfico de Seres Humanos. O curso vai até o dia 4, domingo e é organizado pela Rede “Um Grito pela Vida”. Os facilitadores são Irmã Gabriella Bottani, da articulação nacional, Renato Roseno, curador da PESTRAF no Ceará e Andréia Costa, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento ao Trafico de Pessoas no Ceará. O curso terminará com a realização de uma Assembleia Livre para contribuir com propostas para o II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

São objetivos do curso: sensibilizar e socializar informações sobre o Tráfico de Pessoas; capacitar multiplicadores e multiplicadoras para ações educativas de prevenção e assistência, intensificar a luta por políticas públicas de enfrentamento desta realidade. Esta tarefa tem sido assumida pela Rede desde março de 2006.

“Um Grito pela Vida” é uma Rede Intercongregacional, constituída por religiosas de diversas Regionais e Congregações, é um espaço de articulação e ação solidária da Vida Religiosa Consagrada do Brasil. É parte constitutiva da Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil (CRB). Atua de forma descentralizada e articulada com as organizações e iniciativas afins em diversas localidades, estados e municípios. Integra a Rede “Talitha kum”, a Rede internacional da Vida Religiosa no enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Contatos: Irmã Gabriela Bottani (85) 8868 3707 e Casa de Encontro Irmã Yolanda (85) 3290.2974.

Leria também: O que é e como combater

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »

  • eduardo fabricio disse:

    "Para a Osce (Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa), "o tráfico de pessoas se transformou em um negócio tão lucrativo hoje em dia que pode ter superado o tráfico de armas ou drogas. A razão é que as pessoas podem ser vendidas e revendidas, o que é feito pelas as redes criminosas".
    O tráfico de seres humanos e o tráfico ilegal de imigrantes costumam ser confundidos, mas correspondem a fenômenos diferentes: o primeiro se refere à exploração da mão-de-obra das pessoas e à privação de sua liberdade, enquanto o objetivo do segundo é a entrada ilegal de imigrantes.
    O anúncio de uma oferta de trabalho em outro país e a busca de oportunidades para escapar de um ambiente de pobreza costuma ser o caminho para uma situação de dependência: muitas mulheres são enganadas e passam a trabalhar na indústria do sexo durante anos com o argumento de que precisam pagar os custos de sua viagem.
    Muitos dos criminosos se apropriam dos documentos das vítimas e a ilegalidade no novo país coloca a pessoa numa situação difícil devido ao medo de recorrer à polícia."


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Na celebração do I Dia Mundial dos Pobres Arquidiocese lança a 9ª Festa da Vida

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018


QR Code Business Card