Atualidades

[NOTÍCIA/Mundo] Aparecida (SP) sediará XII Encontro dos Bispos Lusófonos em 2016

O Brasil foi escolhido para receber o próximo encontro do episcopado Lusófono, no período de 23 a 28 de julho de 2016, no lusófonos_1Santuário Nacional de Aparecida (SP). Entre as decisões que resultaram da reunião realizada em Angola, de 21 a 27 de julho, os bispos apontaram algumas preocupações no relatório final, como indicações pastorais para “o cuidado pastoral da família e de todas as problemáticas que a envolvem”, como também a proteção da vida, “promoção humana” e “dignidade da pessoa humana, bem comum, subsidiariedade e solidariedade”.

A proposta do encontro foi fortalecer a comunhão eclesial, a partir da promoção e cooperação entre as comunidades e a fidelidade à identidade católica lusófona. O Brasil foi representado pelo arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis e pelo bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner.

Propostas

Durante o encontro, o episcopado lusófono debateu os desafios, as urgências e as soluções que a Igreja enfrenta nos diversos países. Os bispos destacaram algumas orientações como a necessidade de continuar a fazer uma análise rigorosa e competente sobre as situações concretas em que a Igreja está profeticamente presente, irradiando com mais eficácia à luz transformadora do Evangelho de Cristo.

Apontaram, também, a urgência de cuidar da evangelização na sua ligação profunda com a promoção humana; atender às situações de pobrezas, dando resposta a partir do estudo das suas causas e soluções, em diálogo constante com a sociedade e o Estado; encorajar a presença e ação dos leigos nas várias áreas de intervenção na sociedade, nomeadamente nos campos social, econômico e político.

Missão permanente

Os bispos pedem que haja maior incentivo à dimensão ética na economia e na gestão, capaz de transformar por dentro uma economia que muitas vezes provoca a exclusão e o sofrimento dos mais fracos; cooperação com outras Igrejas Cristãs e outras religiões, a importância do diálogo ecumênico e inter-religioso em vista de iniciativas comuns e o cuidado da Igreja em continuar em estado permanente de missão.

Entre os desafios relatados pelo episcopado lusófono foi sugerido maior valorização e a divulgação da Bíblia em todos os setores das Igrejas particulares, o cuidado pastoral da família e de todas as problemáticas que a envolvem e a atenção orante e pastoral às vocações ao sacerdócio e de especial consagração.

Há desejo também de intensificar a presença da Igreja nas universidades, a partir da formação de uma pastoral universitária mais articulada e em rede; a abertura da Igreja a todas as problemáticas da vida digna e plena para todos e em todas as fases da vida e a defesa da paz e da justiça, da igualdade e da liberdade nos vários setores da vida da sociedade.

(FONTE: CNBB)

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Saiba o que irá mudar na mídia vaticana

Rede Cearense realiza 16º Feirão de Socioeconomia Solidária

Presidente da CNBB recebe organizadores de ato contra a reforma da Previdência

Criaturas novas de Deus

Nossa Senhora de Guadalupe


QR Code Business Card