Atualidades

Francisco se despede do México

Papa Francisco concluiu, na quarta-feira, sua visita ao México, a 12ª viagem apostólica de seu pontificado

O último dia do papa Francisco no México, 17, foi em Ciudad Juarez, onde visitou um centro de readaptação social e celebrou no espaço da feira local, próximo à fronteira com os Estados Unidos. Na despedida da viagem iniciada no dia 12 de fevereiro, afirmou que “há tantas luzes que anunciam esperança” no povo mexicano. No meio dos compromissos, Francisco ainda participou de um encontro com o mundo do trabalho no Colégio Bachilleres do estado de Chihuahua.

Misericórdia que abraça a todos

Aos presentes no Centro de Readaptação Social de Ciudad Juárez, Francisco ressaltou que não poderia concluir a viagem apostólica sem saudá-los, sem celebrar o Jubileu da Misericórdia com eles. “Hoje, no vosso meio e convosco, quero reafirmar uma vez mais a confiança a que Jesus nos impele: a misericórdia que abraça a todos, em todos os cantos da terra. Não há lugar onde a sua misericórdia não possa chegar, não há espaço nem pessoa que ela não possa tocar”, disse o papa.

O papa sugeriu que é necessário empreender um caminho que rompa o ciclo vicioso da violência e da delinquência. Reiterou, ainda, que a reinserção não começa dentro dos muros, mas nas ruas da cidade. “A reinserção ou reabilitação começa criando um sistema que poderíamos chamar de saúde social, isto é, uma sociedade que procure não adoecer contaminando as relações no bairro, nas escolas, nas praças, nas ruas, nos lares, em todo o espectro social”, sinalizou.

Francisco ainda refletiu mais sobre o Ano da Misericórdia, que propõe “a força da misericórdia divina que faz novas todas as coisas”. Sua fala foi concluída com encorajamento aos detentos e aos profissionais que atuam no local.

Missa na fronteira

O papa Francisco celebrou uma missa no espaço da Feira de Ciudad Juarez, no norte do México, em um altar montado a 80 metros da fronteira internacional entre México e EUA. Na sua homilia lembrou as vítimas da migração forçada, da violência, da droga e do tráfico humano.

“Aqui em Ciudad Juarez, como noutras áreas fronteiriças, concentram-se milhares de migrantes da América Central e doutros países, sem esquecer tantos mexicanos que procuram também passar para “o outro lado”. Uma passagem, um caminho carregado de injustiças terríveis: escravizados, sequestrados, objetos de extorsão, muitos irmãos nossos acabam vítimas do tráfico humano”, disse após comentar sobre a misericórdia de Deus manifestada ao povo de Nínive, de acordo com a Primeira Leitura de ontem.

“Peçamos ao nosso Deus, o dom da conversão, o dom das lágrimas. Peçamos-Lhe a graça de ter o coração aberto, como os Ninivitas, ao seu apelo no rosto sofredor de tantos homens e mulheres. Não mais morte nem exploração! Há sempre tempo para mudar, há sempre uma via de saída e uma oportunidade, é sempre tempo para implorar a misericórdia do Pai”, propôs Francisco.

Mais de 200 mil pessoas acompanharam a homilia do papa em Ciudad Juarez. Outras 30 mil também puderam participar da celebração por meio de uma transmissão ao vivo projetada no estádio da Universidade do Texas, no lado estadunidense da fronteira, em El Paso.

“Graças à ajuda da tecnologia, podemos rezar, cantar e celebrar juntos este amor misericordioso que o Senhor nos dá, e que nenhuma fronteira poderá nos impedir de compartilhar. Obrigado irmãos e irmãs de El Paso, por nos fazer sentir uma só família e uma mesma comunidade cristã”.

Leia a homilia na íntegra. http://www.news.va/pt/news/homilia-do-papa-na-missa-em-ciudad-juarez-texto-in

Luzes que anunciam a esperança

Em sua despedida, Francisco destacou os testemunhos e a esperança do povo mexicano.

“A noite pode parecer-nos enorme e muito escura, mas, nestes dias, pude constatar que, no povo mexicano, há tantas luzes que anunciam esperança; pude ver, em muitos dos seus testemunhos, em muitos dos seus rostos, a presença de Deus que continua a caminhar nesta terra guiando-os e sustentando a esperança; muitos homens e mulheres, com o seu esforço de cada dia, tornam possível que esta sociedade mexicana não fique às escuras. São profetas do amanhã, são sinal dum novo amanhecer”, afirmou.

Diálogo

O encontro com o mundo do trabalho aconteceu após a visita ao centro de readaptação social. Empresários e trabalhadores receberam o papa no colégio de Bachilleres do estado de Chihuahua, em Ciudad Juárez. Destacando o contexto de “relação especial com mundo do trabalho” o pontífice escutou as ansiedades e esperanças desse mundo expressas por uma família e um empresário e agradeceu pela “oportunidade de intercâmbio e reflexão”.

“Tudo o que pudermos fazer para dialogar, para nos encontrar, para procurar melhores alternativas e oportunidades já é uma conquista que merece apreço e destaque”, disse. “Não podemos dar-nos ao luxo de cortar qualquer possibilidade de encontro, discussão, confronto, pesquisa. Esta é a única maneira que temos de poder construir o amanhã: ir tecendo relações duradouras”, afirmou, indicando que tais relações são capazes de reconstruir os vínculos sociais consumidos pela falta do respeito requerido para uma sadia convivência.

 Com informações da Rádio Vaticano e fotografia da AFP

Fonte CNBB

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Assembleia de avaliação e planejamento da Região Episcopal São Pedro e São Paulo

Assembleia da Região Episcopal Nossa Senhora dos Prazeres

Comunidade Católica Corpo Místico de Cristo realiza Congresso Mariano

Paróquia Sagrada Família em Ocara realizou Retiro com Agentes Pastorais

O Sínodo da Juventude 2018


QR Code Business Card