Atualidades

“Devemos sair de nós mesmos e das nossas comunidades e ir ao encontro dos homens e mulheres que vivem, trabalham e sofrem”, disse Papa Francisco aos católicos de Roma

Papa Francisco inaugurou na noite desta segunda-feira, 17 de junho, na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Congresso eclesial da Diocese de Roma sobre o tema: “Cristo, nós precisamos de você”. Antes de entrar na Sala, o Santo Padre se deteve com os numerosos fiéis, que seguiam o encontro pelos telões.

O Cardeal Agostino Vallini, Vigário do Papa para a Diocese de Roma, fez uma saudação ao Santo Padre, Bispo de Roma, “renovando a fidelidade ao Magistério da Igreja e reafirmando o compromisso da Diocese de Roma com a evangelização, em uma cidade que passa por profundas transformações”.

A seguir, Papa Francisco cumprimentou os presentes, que superlotavam a Sala de Audiências, e improvisou sua reflexão, baseada no texto escrito, sobre o tema “Eu não tenho vergonha do Evangelho”, extraído da Carta de São Paulo aos Romanos.

A graça, disse o Santo Padre, falando da evangelização, é a nossa alegria, a nossa liberdade; é a “revolução” que muda os nossos corações, de pecadores para santos; esta graça, que recebemos gratuitamente, deve ser transmitida também gratuitamente ao próximo. E referindo-se à realidade romana e a quem busca, desesperadamente, a esperança, o Papa acrescentou:

“Entre tantas dores e tantos problemas, existe, aqui em Roma, muita gente que vive sem esperança. Mas, cada um de nós, pode pensar, no silêncio, a estas pessoas que vivem imergidas em uma profunda tristeza. Elas pensam encontrar a felicidade na bebida, na droga, nos jogos de azar, no dinheiro, no sexo desregrado”.

Nós, exortou o Santo Padre, devemos dar esperança ao nosso próximo com alegria, sobretudo com o sorriso e com o testemunho. De fato, o testemunho requer coragem e paciência, as virtudes de todos os cristãos, que devem sair de suas casas e irem ao encontro dos mais necessitados nas periferias das grandes cidades. E o Papa perguntou:

“O que devemos fazer com a coragem e a paciência? Devemos sair de nós mesmos e das nossas comunidades e ir ao encontro dos homens e mulheres que vivem, trabalham e sofrem; devemos anunciar a todos eles a misericórdia do Pai, mediante seu Filho. Jesus de Nazaré. Demos anunciar esta graça que nos foi dada por Jesus”.

Papa Francisco concluiu seu longo discurso, dizendo que há novos inimigos que se opõem à evangelização: a desilusão e a tristeza que agem em nome de satanás. Por isso, o cristão deve lutar e se preparar ao martírio. Mas, a mensagem final, que o Papa deixou aos seus diocesanos de Roma, é “não ter medo”.

Fonte: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/06/18/papa_aos_seus_diocesanos:_%E2%80%9Csejam_testemunhas_corajosas_e_pacientes%E2%80%9D/bra-702521

do site da Rádio Vaticano

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card