Atualidades

Conselho Episcopal Pastoral da CNBB realiza seminário sobre documento de estudos 104

estudo-104No período de 17 a 19 deste mês, o CONSEP – CONSELHO EPISCOPAL PASTORAL DA CNBB esteve reunido para tratar de diversos assuntos, mas dedicou o dia 17 (à tarde) e o dia 18 (pela manhã) para um Seminário sobre o Documento de Estudos n. 104 – Comunidade de Comunidades: Uma nova Paróquia. A CNBB deu um prazo até o dia 15 de outubro para o recebimento de sugestões para melhorar o texto e o mesmo se tornar um documento da CNBB (azul).

Participei do referido Seminário e o mesmo começou com três aportes dos seguintes Assessores: Pe. Leomar Brustolin teceu comentários sobre as duas primeiras partes do referido documento: Perspectiva Bíblica e Perspectiva Teológica; coube ao Pe. Manoel Godoy refletir sobre a terceira parte – Novos contextos: desafios à Paróquia. A participação do Pe. Godoy foi provocativa, teve boa aceitação e ressonância nas plenárias seguintes e nos bastidores e a última parte ficou sob a responsabilidade do Pe. José Carlos Pereira que também deu uma boa contribuição.

Aconteceram dois trabalhos em grupos que contaram com a participação dos participantes do CONSEP, quatro grupos, cada um debruçou-se sobre uma parte de documento e esta partilha foi muito rica.

As contribuições dos Assessores e dos Trabalhos em Grupos serão entregues à Comissão Responsável por este trabalho. O que se pode dizer no momento? O Conselho foi unânime em sugerir que o documento azul tenha as seguintes características:

a) Seja um texto enxuto, sem muitas delongas, nada de texto grande.

b) Colocar o texto numa linguagem proativa, ou seja, não ser pessimista jogando tintas em análises negativas, ser propositivo.

c) Colocar como anexo algumas experiências exitosas que se configuram como rede de comunidades, para ajudar aos párocos no seu trabalho de tornar suas paróquias no estilo que as Diretrizes propõem e que se confirmar com este documento de estudos.

Uma última preocupação: Após a publicação como documento azul, fruto da próxima Assembléia da CNBB de abril-maio do próximo ano, devemos cuidar para a recepção do documento, responsabilizar os Bispos e organismos das Dioceses, Coordenadores de Pastoral Diocesanos, para que o documento futuro não fique na gaveta.

Por Pe. Almir Magalhães, diretor da Faculdade Católica de Fortaleza.

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »

  • Ir. Iveth Amorim disse:

    Interessante avançar sempre mais nesta proposta, e que de fato, a renovação aconteça a partir de Jesus Cristo para que a sua alegria possa "atrair muita gente"


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Na celebração do I Dia Mundial dos Pobres Arquidiocese lança a 9ª Festa da Vida

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018


QR Code Business Card