Atualidades

COLETIVA DE IMPRENSA – 51ª AG da CNBB

logonovaHoje, às 15h, será realizada a Coletiva de Imprensa do terceiro dia da 51ª AG com Dom Geraldo Lyrio Rocha, arcebispo de Mariana (MG), dom Pedro Brito Guimarães, arcebispo Palmas (TO) e dom Enemésio Angelo Lazzaris, bispo de Balsas (MA). A coletiva será transmitida ao vivo pelo Portal A12.

COLETIVA DE IMPRENSA

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) deu início, durante este terceiro dia da assembleia geral, ao trabalho de estudo, debate e ajustes do texto que vai publicar sobre a Questão Agrária. Uma comissão de especialistas em questões agrárias juntamente com vários bispos e representantes de organismos e pastorais relacionados com o tema elaboraram um texto para ser discutido. Este texto, ao final de cinco reuniões, foi apresentado aos bispos do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) e hoje foi lançado ao plenário da 51ª Assembleia Geral dos Bispos, em 2013, para se tornar um Documento Azul da CNBB. Segundo os especialistas presentes nas reuniões, o novo texto será uma atualização de um trabalho da Igreja, de 1980, intitulado “Igreja e os problemas da terra”. Atualmente existe também o Documento 99 de Estudos da CNBB, que trata da “Igreja e questões agrárias no início do século XXI”, aprovado no ano de 2010.

Fazendo um paralelo histórico da luta da Igreja do Brasil pelas questões do campo, dom Enemésio Angelo Lazzaris, bispo de Balsas (MA) e presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT) afirmou: “Sem dúvida alguma, tratar da questão agrária nos coloca em contato com uma tradição muito bonita e um compromisso que a Igreja assume desde a criação da CNBB. A Igreja, na sua primeira Assembleia Geral, em 1953, em Belém do Pará, já falava das questões do campo. Na segunda, em Aparecida (SP), 1954, o tema central foi Igreja e a Reforma Agrária. Ao menos dez, das 50 Assembleias Gerais da CNBB trataram diretamente de temas como o direito, a justiça, questões agrárias, operárias, sociopolíticas e econômicas. Na 18ª Assembleia, a CNBB teve como tema específico a Pastoral da Terra, que resultou no documento ‘Igreja e os problemas da terra’, este documento é que praticamente norteou a Igreja em relação a questões do campo, por isso a necessidade de um documento novo”.

Bispos eméritos são aqueles que têm mais de 75 anos e renunciaram ao governo da diocese, como prevê o Código de Direito Canônico. Dom Aloísio Sinésio Bohn, bispo emérito de Santa Cruz do Sul (RS) enumerou três pontos importantes sobre a posição da Igreja em estabelecer a renúncia dos bispos depois dos 75 anos. “A figura do bispo emérito é importante porque renova a liderança na diocese. O segundo ponto que acredito ser bom trata-se da reconciliação. Sabemos que somos humanos e às vezes erramos. E o terceiro ponto importante é que o bispo de idade avançada tem o direito de não ter tantas preocupações”, pontuou. Ao invés de continuar com os trabalhos diocesanos, disse dom Sinésio, “o bispo emérito pode ajudar na oração e no aconselhamento que também são importantes para a vida da Igreja”. A Igreja Católica no Brasil tem atualmente 299 bispos na ativa e 160 eméritos.

Serviço

COLETIVA DE IMPRENSA

Hora: 15 hs Local: Sala de Coletiva / Centro de Eventos Pe. Vítor Coelho – Aparecida (SP)

Entrevistados

Dom Geraldo Lyrio Rocha, arcebispo de Mariana (MG), dom Pedro Brito Guimarães, arcebispo Palmas (TO) e dom Enemésio Angelo Lazzaris, bispo de Balsas (MA).

Mais informações

Assessoria de Imprensa da CNBB

(12) 3104-3427 / Celulares: (61) 8119 3762 (Pe. Rafael Vieira) (61) 8119 3725 (Ir. Diego Joaquim) / (12) 8269-4168 (Claudia Belo) / (12) 8269-4169 (Paulo Giraldi).

Email: cnbb.imprensa@gmail.com Facebook/ fanpage: assembleia geral da CNBB

Dom Geraldo Lyrio Rocha

Nascimento: 14/03/1942 Local: Fundão (ES); Ordenação Presbiteral: 15/08/1967; Nomeação Episcopal como bispo auxiliar de Vitória (ES): 14/03/1984; Nomeação Episcopal como bispo de Colatina (ES): 1990; arcebispo de Vitória da Conquista (BA): 2002. Transferido para a Arquidiocese de Mariana (MG): 11/04/2007.

Atividades: Vice-presidente do regional Leste 2; membro do CEP regional Leste 2; responsável pelo setor de vocações, seminários e presbíteros (1985-1987) e Liturgia no Leste 2 (1987-1989); membro do departamento de Liturgia do CELAM (1987-1991); Membro do CEP da CNBB (1995-1999); responsável pela Liturgia da CNBB (1995-1998 e 1999-2003); delegado à Assembleia Especial do Sínodo para a América por eleição da Assembleia da CNBB e confirmado pelo Papa João Paulo II (1997); presidente do departamento de Liturgia do CELAM (1999-2003); segundo vice-presidente do CELAM (2003-2007); presidente do regional NE 3 da CNBB (2003-2007); presidente da CNBB (2007-2011); membro da Comissão para a América Latina CAL (2009). Fonte: Cadastro da CNBB

Dom Pedro Brito Guimarães

Nascimento: 22/02/1954 Local: Eliseu Martins (PI); Ordenação Presbiteral: 26/01/1986; Nomeação Episcopal como bispo de São Raimundo Nonato (PI): 17/07/2002. Nomeação como arcebispo de Palmas (TO): 20/12/2010.

Membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB (2007- 2011). No dia 10 de maio de 2011 foi eleito Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, período a concluir-se em 2015. Em artigo sobre a missão da Igreja, dom Pedro escreveu: “A fé sem inspiração é fé sem missão. Um dia sem inspiração é um dia sem missão e um dia sem missão é um dia sem inspiração. Sem inspiração facilmente caímos na rotina. Um dia sem inspiração e sem missão é um dia de cansaço, de enjoo, de fadiga e de tédio. Concretamente, uma Igreja sem inspiração é uma Igreja sem missão. Missão sem inspiração é propaganda. Missão sem inspiração é como, para muita gente, um dia sem uma xícara de café. Café para mim é uma fonte de inspiração. Quando estou cansado, repetitivo e sem inspiração, tomo um gole de café e logo me vem a inspiração. Se até uma simples xícara de café faz a diferença no ser humano, imagine o que fará a inspiração divina, o sopro de Deus, a iluminação do Espírito na mente e no coração da Igreja missionária”. Fonte: www.cnbb.org.br

Dom Enemesio Angelo Lazzaris

Nascimento: 19/12/1948 Local: Siderópolis (SC); Ordenação Presbiteral: 26/07/1975; Nomeaçao Episcopal como bispo Balsas (MA): 12/12/2007.

Em entrevista sobre luta social, dom Enemésio compartilhou sua experiência em entrevista concedida ao Portal dos Orionitas: “ultimamente tenho tido contato com uma religiosa ameaçada de morte por denunciar o tráfico de seres humanos, sobretudo crianças para serem adotadas, para prostituição infantil, inclusive pedofilia e para extração e venda de órgãos. Nesta lista e ameaçados por fazerem denúncias semelhantes estão Dom Erwin Krautler, Bispo da Prelazia do Xingu e Presidente do CIMI e Dom José Luis Azcona Bispo da Prelazia de Marajó-PA. Aqui na Diocese de Balsas junto com a coordenação diocesana da CPT, temos acompanhado vários grupos de famílias acampadas esperando os assentamentos em terras devolutas. Em janeiro de 2010 tentamos evitar o despejo de 200 famílias. No Maranhão estamos lutando pela legalização dos territórios indígenas e quilombolas”. Fonte: http://www.orionitas.com.br

Fonte: CNBB

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Nota de repúdio dos bispos do Regional CNBB NE1-Ceará diante do escárnio público contra os símbolos sagrados

Em 2017, o Dia Mundial dos Pobres dia será celebrado em 19 de novembro.

Coleta da Campanha Missionária acontece neste final de semana no Brasil e no mundo

Reunião do Conselho Episcopal Regional (CONSER) Regional Nordeste 1 da CNBB – Ceará

Padre Antônio Niemiec é o novo secretário nacional da Pontifícia União Missionária


QR Code Business Card