Atualidades

Bispos retomam discussões do tema central da 51ª Assembleia Geral

Coletiva_18.04O tema central da 51ª Assembleia Geral ‘Comunidade de comunidades: uma nova paróquia’ voltou a ser pauta da coletiva de Imprensa nesta quinta-feira, 18 de abril.

Atenderam aos jornalistas o arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira, o arcebispo de Belém (PA), dom Alberto Taveira, e o arcebispo de Manaus (AM), dom Sergio Castriani.

No início da coletiva de imprensa, o Porta Voz da Assembleia, dom Dimas Lara Barbosa afirmou que hoje as atividades foram dedicadas aos últimos assuntos da assembleia. Foi realizado o lançamento da nova versão do Catecismo da Igreja Católica, a Comissão para Comunicação apresentou seus próximos projetos, entre eles o Mutirão Brasileiro de Comunicação (MULTICOM) e um Curso de Comunicação para bispos.

Dom Dimas afirmou também que foram discutidos a realidade do Colégio Pio Brasileiro em Roma, e feito um balanço da Campanha da Fraternidade e da Campanha para Evangelização.

Dom Sérgio Castriani, presidente da Comissão para o Tema Central ressaltou que a novidade referente ao Tema Central foi a aprovação do texto para estudo, que será enviados para as comunidades, paróquias para receber contribuições.

“Quero destacar que muitas paróquias já passam por um processo de renovação, tendo uma liturgia viva e grupos que participam ativamente da comunidade. Nosso empenho até outubro será envolver as pessoas nessa discussão”, afirmou.

Dom Alberto Taveira afirmou que o que mais chamou atenção dos bispos foi a recuperação de alguns pontos do Documento de Aparecida durante as constantes discussões.

“O Papa Francisco, em mensagem para a Conferência Argentina, afirmou que o caminho é esse e particularmente eu senti essa comunhão. A meu ver aqui também está acontecendo essa conversão pastoral”, afirmou.

Para o bispo, a resposta da Igreja é a necessidade de atenção ao povo em seus núcleos de convivência.

O arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira também citou as palavras do Papa Francisco dizendo que a ‘nossa Igreja não pode ser autocentrada’.

“O Tema Central oportuniza a todos nós com uma Igreja de uma dinâmica secular, que é a paróquia. Estamos desafiados a encontrar o que é a remodelagem da paróquia, lugar da vivência da fé e do anúncio da Boa Nova”, concluiu.

Fonte: CNBB

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Presidente da CNBB reflete sobre tema da CF 2018

Ordenação Presbiteral do Diácono Rodrigo Alves de Oliveira Arruda, SCJ

Carta da Articulação das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos da Arquidiocese de Fortaleza acerca da chacina das Cajazeiras e a violência crescente em nossa cidade, estado, país

Voltados ao mistério

Mensagem do Papa para a Quaresma 2018


QR Code Business Card