Atualidades

Igrejas e movimentos sociais realizam a 9º Festa da Vida na Arquidiocese de Fortaleza

Grupos e pastorais da Igreja Católica, bem como movimentos de outras igrejas e da sociedade civil estarão participando da 9ª Festa da Vida na Arquidiocese de Fortaleza, dia  17 de dezembro, das 10 às 17 horas, na Praça Farias Brito, em frente à Igreja Nossa Senhora das Dores, Av. Bezerra de Menezes, bairro Otávio Bonfim. Este ano, a Festa tem por lema “Cuidar da criação é defender a vida”.

A Festa da Vida é ecumênica e inter-religiosa, daí sua coordenação estar convidando também movimentos e grupos das demais denominações cristãs e de outras religiões, que vão mostrar o que fazem em favor da vida.

Desde sua origem, em 2009, a Festa da Vida se inspira na Campanha da Fraternidade que, neste ano de 2017, tem como tema “Fraternidade, biomas brasileiros e defesa da vida” e como lema “cultivar e guardar a criação” (Gn 2, 15).  Tema e lema nos alertam para a necessidade do cuidado, do zelo com o planeta Terra e com a vida, valorizando e protegendo o bioma em que vivemos, a caatinga, que predomina no Nordeste brasileiro.

Na atual fase de preparação da Festa estão programados encontros mensais em que representantes de movimentos, de igrejas, e da sociedade civil tomam decisões sobre como será organizada a 9ª Festa da Vida.

URGENTE E INTRANSFERÍVEL — Na reflexão feita os grupos até aqui envolvidos concluíram e escolheram este lema: “Cuidar da criação é defender a vida. É uma tarefa urgente e intransferível de cada pessoa e de cada grupo social. A partir do compromisso religioso e civil, seria omissão assistir, indiferentes, a tanta destruição, a tanto descuido com a criação. Ao mesmo tempo, é impossível aceitar passivamente uma política que negocia e compromete o patrimônio nacional em benefício das grandes empresas e em prejuízo dos povos e comunidades nativas, indígenas, quilombolas, ribeirinhas e da população em geral.

A coordenação e as equipes de trabalho estão fazendo sugestões para a participação dos grupos religiosos e dos movimentos sociais em geral nas reuniões de preparação e na Festa. Há uma agenda de reuniões gerais e cada equipe específica, a partir das suas necessidades de organização, faz também a sua agenda. As reuniões gerais vão ocorrer em 19 de setembro, às 18h30 , na Paróquia N. Sra. das Dores; em 17 de outubro, às 18h30,  no Centro de Pastoral Maria Mãe da Igreja, na Rua Rodrigues Júnior, 300 – Centro; e em 21 de novembro, às 18h30, novamente na Paróquia Nossa Senhora das Dores.

PERÍODO E DATA — A festa é momento de celebração da Vida, das realizações e das conquistas já alcançadas, mas também de alimentar a esperança. E ocorre sempre no terceiro domingo do advento que, na liturgia católica, é o “domingo da alegria”, na preparação do Natal. Advento é um tempo de fomentar a construção da esperança que transcende os limites das necessidades materiais e imediatas, esperança que inclui uma visão de mundo, de tempo e espaço, na qual são possíveis a dignidade, a justiça, a paz, o amor e o equilíbrio da vida na obra da criação.

Para a construção desta esperança, faz-se necessário reelaborar conceitos e resistir aos apelos do consumo, que a indústria, o comércio e outras atividades típicas da sociedade da mercadoria propõem, subvertendo os conteúdos e as tradições criadas em torno do Natal de Deus no mundo.

A fé cristã nos convida a celebrarmos o Natal do Senhor com grande alegria, mas num clima de sobriedade e de jubilosa simplicidade, não nos deixando levar pelo consumismo, e tendo uma atitude de solidariedade para com os pobres e os marginalizados. A expectativa do nascimento do Salvador faz com que as pessoas sejam sensíveis ao valor da vida e ao dever de respeitá-la e protegê-la, desde a concepção.

EXPERIÊNCIAS CONCRETAS — No terceiro domingo do Advento a liturgia nos convoca a alegrar-nos, pois o Senhor está perto e com sua chegada não haverá mais dor e nem pranto. Em torno das duas mesas, a da Palavra e a do Pão, experimenta-se, de modo privilegiado, a alegria, pois o Senhor já está no meio de nós: “Os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam.” (Lc. 4, 18ss).

Semelhantes sentimentos estão presentes especialmente no meio das juventudes e, também, em diversas religiões da atualidade, daí nascerem movimentos, grupos e atitudes inspirados na vida simples, no compartilhamento de bens e serviços, na gratuidade. Estas organizações, movimentos e grupos estão convidados a mostrar na 9ª Festa da Vida suas convicções e experiências concretas, através de bâneres, de faixas, de cartazes ou de outra forma que queiram usar para dar visibilidade aos seus trabalhos em favor da vida.

Para mais informações:
Cristina França:
(85) 9.8750.2708
Rosélia Follmann:
(85) 9.9987.1034
Ademir Costa:
(85) 9.9994.9052

Setor de Comunicação da Arquidiocese de Fortaleza (85) 3388.8703

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Pastoral Carcerária lança relatório sobre restrição ao atendimento religioso nas prisões

Dia de jejum e oração pela paz na paróquia de Nossa Senhora Aparecida, Praia do Futuro

Aniversário de 62 Anos da legião de Maria no Ceará

Nota de esclarecimento sobre a utilização de recursos do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS)

Irmã Gabriela Pinna. “Não se resolve a violência com a prisão”


QR Code Business Card