Atualidades

Festa de Nossa Senhora das Dores em Canindé: 130 anos de história e fé

Deu-se início no último dia 6 de setembro a Festa de Nossa Senhora das Dores em Canindé. Neste ano a temática da Festa reflete a oração da Salve Rainha, relacionando os festejos ao Ano Santo Da Misericórdia.
Outro motivo de celebração no novenário deste ano são os 130 anos de devoção à Mãe das Dores em Canindé. A Igreja que tem um carinho especial pelos canindeenses e é conhecida como Igreja das Dores foi abençoada no ano de 1886 pelo então Bispo da época, Dom Joaquim José Vieira e foi matriz provisória durante cinco anos iniciando em 1910 após uma Festa de São Francisco, quando a Basílica precisou passar pela grande reforma em suas estruturas.
Os Festejos a Nossa Senhora das Dores, que antes eram celebrados em forma de tríduo, já faz parte do calendário das Romarias. Romeiros vindos de vários estados vem a Canindé pagar suas promessas e procuram sempre fazer a experiência da Mãe de Misericórdia.
A programação dos festejos inicia às 18h com a oração do terço ou do ofício de Nossa Senhora e logo após, às 19h, acontece as Celebrações Eucarísticas. Na parte social barracas e promoções animam o novenário. A Festa deste ano tem como tema “Salve Rainha mãe de misericórdia” e segue até o próximo dia 15 de setembro.

Saiba mais…
A SALVE RAINHA

A “Salve Rainha” é uma das orações mais populares entre os católicos. Ela é atribuída ao monge Hermannus Contractus que a teria escrito por volta de 1050, no mosteiro de Reichenan, na Alemanha. Experimentando as piores misérias na Europa Central, como por exemplo epidemias , miséria, fome etc o monge vivenciava “os vales lagrimas” presente na oração.
Frei Contractus tinha consciência da triste época em que vivia, mas tinha outras razões, além disso tudo. Conta a sua históira que ele nasceu raquítico e disforme; adulto, mal conseguia andar e escrevia com dificuldade, de mirrados que eram os dedos das suas mãos. Sua mãe Miltreed, mulher muito piedosa, ergueu-se então do leito e, lá mesmo, consagrou o menino à Mãe de Deus. Consagrado a Ela, foi educado no amor e na confiança em relação a Ela.
Foi no fundo de todas essas misérias, que a alma de Frei Contractus elevou à “Rainha dos Céus” esta prece, mescla de sofrimento e esperança, que é a “Salve Rainha”.
Nos quase mil anos que se passaram desde que Herman Contractus compôs a “Salve Rainha” uma multidão incontável de fiéis tem se identificado como os sentimentos que ela expressa, vivendo desde sua aflição à doce esperança que inspira sempre a amável Mãe do Nosso Salvador.

 

Fonte: Equipe de Comunicação de Mídias Digitais do Santuário São Francisco das Chagas. Fotos: Roberto Alves

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Segundo Encontro com os Secretários Paroquiais da Região Episcopal Sertão São Francisco das Chagas

Nota de falecimento de padre Gerardo H. Van Rooyen

Liturgia Diária: Evangelho – Mt 7,6.12-14

Papa: cristão não precisa de horóscopo, aberto às surpresas de Deus

A herança missionária de Pedro

QR Code Business Card