Atualidades

[53ª Assembleia Geral] “CNBB é um dom precioso do amor do Ressuscitado”, diz dom Sérgio da Rocha

Neste último dia da 53ª Assembleia Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a missa de abertura dos trabalhos foi presidida pelo arcebispo de Brasília (DF) e presidente eleito da entidade, dom Sérgio da Rocha. Em sua homilia, ele agradeceu a Deus pela assembleia, pelas diretrizes, estudos e pronunciamentos que resultaram do encontro episcopal. Para dom Sérgio, a presença de Cristo ressuscitado na reunião do episcopado brasileiro iluminou o episcopado ajudando-os a reafirmar que “a CNBB é um dom precioso de seu amor por nós”.

Concelebraram a Missa o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, que continuará no cargo até 2019, e o arcebispo de Aparecida e atual presidente da Conferência, cardeal Raymundo Damasceno Assis. O arcebispo de Salvador (BA), primaz do Brasil e vice-presidente eleito, dom Murilo Krieger, não participa das atividades de hoje, pois já retornou a Salvador.

Dom Sérgio da Rocha iniciou a homilia com agradecimentos a Deus pela Assembleia e seus encaminhamentos, como a aprovaçãodas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE), as eleições, os estudos e pronunciamentos “sobre temas relevantes da realidade eclesial e social brasileira”.

“Nós bendizemos a Deus pelo testemunho de comunhão, pela convivência fraterna, pelo diálogo respeitoso desses dias. Por isso, ao final dessa assembleia, podemos dizer de coração ‘Bendito seja Deus’ que aqui nos reuniu, que aqui nos reúne no amor de Cristo”, agradeceu dom Sérgio.

Foi reservado agradecimento especial ao cardeal Raymundo Damasceno Assis, que passa o comando da CNBB às mãos de dom Sérgio na manhã de hoje. “Nossa especial gratidão manifestamos ao caríssimo cardeal dom Raymundo Damasceno. Muito obrigado pelo seu amor pela nossa Igreja, pela sua dedicação generosa à CNBB. Continuaremos a contar com sua presença amiga, com a sua sabedoria, com a sua colaboração”, disse.

Recordando a visita do papa Francisco ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em julho de 2013, dom Sérgio ressaltou a comunhão do episcopado brasileiro com o bispo de Roma e chamou atenção para o convite de “conservar sempre a esperança, deixar-se surpreender por Deus e viver na alegria”.

Somos uma Igreja que vive do encontro com o Senhor ressuscitado.

Voltando-se à liturgia de hoje, o presidente eleito da CNBB quis indicar três aspectos da vida e da missão da Igreja de modo que estes conduzam a um “tríplice olhar”: para Cristo, para a Igreja e para o povo.

O olhar para Cristo, segundo dom Sérgio, surge do encontro com o Cristo ressuscitado. “A narrativa da conversão de são Paulo nos faz pensar na presença de Jesus na nossa vida e em nossa Igreja. O Senhor que vem a nós nas diferentes situações e nos surpreende com a sua misericórdia, como aconteceu com São Paulo”, explicou.

O chamado à uma “Igreja de discípulos que vivem do encontro com Cristo, que se alimentam da sua palavra e da Eucaristia” e que são evangelizadores é o fruto desse olhar para Cristo.

Ao olhar para a Igreja, afirma dom Sérgio, os discípulos encontram o discernimento sobre a presença e os apelos do ressuscitado para enxergar com a luz da fé. “Os olhos de Saulo se abriram com a ajuda da Igreja, representada por Ananias, uma Igreja mãe misericordiosa e acolhedora, de portas abertas capaz de acolher tantos caídos por terra como Saulo – incapazes de ver e caminhar, mas necessitados de mãos estendidas e de coração aberto para levantar-se das trevas, recomeçar a vida e caminhar na luz”, lembrou.

Olhar para Cristo e para a Igreja faz com que os discípulos voltem seu olhar para o povo e para a missão, com responsabilidade, de acordo com o arcebispo de Brasília.

“Nós somos e queremos ser cada vez mais uma Igreja missionária, que compartilha a experiência do encontro com Cristo e a alegria do Evangelho no meio do povo, uma Igreja em saída, conforme a palavra do santo padre acolhida e enfatizada nas novas diretrizes pastorais. Como Ananias possamos dizer “aqui estou, Senhor”. Como Paulo possamos sair e ir ao encontro de todos, especialmente dos mais pobres e sofredores”, desejou.

Retomando o chamado de Deus a Ananias, dom Sérgio afirmou que a cada bispo, presbítero, diácono e a cada fiel, é dirigida a palavra “Levanta-te e vai!”. “Não podemos ficar acomodados em espera passiva em nossos templos. É preciso sair da comodidade das nossas casas para procurar os que no mundo de hoje vivem como Saulo, necessitados da luz da fé e do encontro com Cristo, da acolhida fraterna na comunidade, da vida nova em Cristo”, exortou.

“Assim, irmãos e irmãs, possamos sempre caminhar. Com os olhos fixos no Senhor, cheios de fé e de esperança, com o olhar voltado para nossa Igreja a com gratidão, com os olhos e o coração voltados para o nosso povo e a nossa missão com compaixão e responsabilidade”, concluiu dom Sérgio.

Ao final da celebração, todos os bispos dirigiram-se à imagem de Nossa Senhora Aparecida, disposta no altar da basílica para pedir a bênção no retorno aos trabalhos nas respectivas igrejas particulares.

Diáconos

Participaram da celebração eucarística 300 diáconos permanentes com suas esposas, presentes na 10ª Assembleia Geral da Comissão Nacional dos Diáconos (CND), que acontece até domingo, dia 26. O evento recorda o cinquentenário da restauração do diaconado na Igreja pelo Concílio Vaticano II. A CNBB divulgou uma mensagem saudando aqueles que são “exemplo de quemacolhe a vocação batismal”, diz o texto disponível aqui.

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Liturgia Diária: Evangelho – Mt 20,1-16a

Liturgia Diária: Evangelho – Lc 8,4-15

Visita Pastoral na Paróquia de Nossa Senhora da Penha, Maranguape

II Romaria Bíblica e encontro sobre contabilidade na Região São Pedro e São Paulo

Palestras sobre o tema Comunicação na Faculdade Católica de Fortaleza


QR Code Business Card