Atualidades

Meditação do Evangelho do XXX Domingo do Tempo Comum – (Mt 22, 34-40)

“O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO É A PORTA DE ENTRADA NA COMUNIDADE DE FÉ”

Queridos irmãos em Cristo!

Reunidos no dia do Senhor para celebrarmos o mistério pascal de Jesus em nossas vidas, buscamos o rosto de Deus e sua força para seguirmos o Filho amado e assumirmos em nossas vidas a tarefa de continuarmos avançando na missão confiada a cada um de nós.

Pedimos ao Senhor de nossas vidas que aumentando em nós as virtudes da fé, da esperança e da caridade a graça de amar os seus mandamentos e tomarmos posse de suas promessas (oração coleta).

As leituras deste domingo nos apresentam a necessária relação de justiça com os menores deste mundo: o estrangeiro, a viúva e o órfão. No contexto do Êxodo a busca das relações mais justas entre os irmãos se estabelece com a justa medida do amor a Deus: não cobrar juros, devolver o que foi empenhado, não agir com usura, pois Deus, em sua grade benignidade tem uma promessa de gratuidade com o seu povo: a terra prometida!

Saber fazer a memória da caminhada da comunidade é uma tarefa necessária pois, desta maneira reconhecemos a ação histórica de Deus que se revela na ação dos seus missionários. Estamos comemorando o dia das missões. Por identidade a Igreja é toda ela missionária. Paulo, apóstolo dos gentios, modelo missionário escreve para a comunidade de Tessalônica orientando nesta tarefa.

Qual é o primeiro ou o maior de todos os mandamentos? A preocupação dos fariseus – escrupulosos e meticulosos cumpridores da Lei apoiava-se numa motivação que na verdade reduzia a compreensão dos ensinamentos de Deus.

Aprofundando um pouco mais essa questão dos mandamentos (mitzvot):

A preocupação farisaíca tinha a sua razão de ser, pois no judaísmo ao mandamentos – mitzvot são em número de 613 (do hebraico תרי”ג מצוות) denominação do conjunto de todos os mandamentos que, de acordo com o judaísmo, constam na Torá (os cinco primeiros livros da Bíblia). De uma forma geral, a expressão “A Lei de Moisés” (em hebraico Torat Moshé תורת משה) também é utilizada em referência ao corpo legal judaico.

Existem 365 mandamentos negativos, correspondendo ao número de dias no ano solar, que é como se cada dia dissesse à pessoa “Não cometa uma transgressão hoje”; e 248 mandamentos positivos, relacionado ao número de ossos ou órgãos importantes no corpo humano, isto é, como se cada membro dissesse à pessoa: “Cumpra um preceito comigo.

Jesus resume todos estes preceitos em dois: O amor a Deus e ao próximo (imagem e semelhança do próprio Deus) resumem toda a lei e os profetas, ou seja, todos ensinamento para a vida e para a celebração da aliança com o Deus e Senhor de toda a História. Os demais mandamentos são um desdobramento destes dois. Jesus aponta para o caminho da perfeição (o amor) ou seja para a porta de entrada da comunidade de fé. No acolhimento afetuoso dos que chegam, na procura e na atitude de ir ao encontro dos que necessitam fazer a experiência do amor de Deus – através de nós e na constante prática da caridade estaremos, de fato, sendo reconhecidos como discípulos missionários do divino mestre.

Desejando que deus seja tudo em todos,

com o auxilio de Jesus o bom pastor e Maria nossa Mãe.

Pe. Fernando Antonio Carvalho Costa

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Católica de Fortaleza discute futuro da Religião em Simpósio

V reunião com representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o governador do Estado

Sínodo Especial para a Amazônia será realizado em outubro de 2019

Dia Mundial dos Pobres

Teresa D’Ávila: oração e contemplação


QR Code Business Card