Atualidades

Leitura Orante: 12º Domingo do Tempo Comum

12º Domingo do Tempo Comum – Evangelho Mt 10,26-33

Tema : “Não tenhas medo”

Invocação ao Espírito Santo
Vinde, Espírito Santo! Enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém!

Leitura: (Verdade) O que diz o texto?
Proclamação da Palavra na Bíblia – Mt 10,26-33. Observe as Palavras de Jesus e registre as que chamaram a sua atenção, as frases, os movimentos das pessoas, as ações).

Meditação: (Caminho) O que o texto diz para nós, hoje?
 No Evangelho deste domingo, Jesus repete algumas vezes a expressão: “não tenhais medo”. O medo nos faz perplexo diante de uma determinada situação. Mas, Jesus mostra aos seus discípulos que não devem ficar paralisados diante do medo, nem cessar de propagar sua mensagem É preciso confiança e assegura “ Quem está do meu lado”, nada deve temer.

A comunidade de Mateus está refletindo sobre a missão dos discípulos de Jesus, as adversidades e dificuldades que eles encontraram no seu caminho como seguidores e seguidoras de Jesus. Comunica assim esta exortação reiteradas vezes: Não tenham medo!

O medo se apodera de nós quando em nosso coração cresce a desconfiança, a insegurança , a falta de liberdade. Jesus na sua vida pública, dedicou-se, a despertar a confiança no coração das pessoas. Ele nos mostra que se Deus cuida com tanta ternura dos pardais do campo, como não vai cuidar da pessoa humana?

Jesus volta-se ao Antigo Testamento quando se refere aos pardais ( os pequenos pássaros da Galileia) que fazem parte da fauna daquela região. Quando se contextualiza-se na Criação. Este contextualizar –se na criação, mostra-nos que Jesus estava atento ao Deus Criador Hoje, podemos voltar o nosso olhar para a Campanha da Fraternidade, que nos chama atenção para o que se encontra no Livro do Gn 2,15 “cultivar e guardar a criação “

Lembremo-nos das bem-aventuranças no Monte Sinai e os ensinamentos sobre o significado de cumprir a Lei, de ser “perfeito”. Tudo isto gera um ambiente de claro confronto com as autoridades judaicas.

Ciente dessas dificuldades, Mateus apresenta Jesus no meio da sua comunidade, Ele é o Emanuel, Deus conosco, por isso os/as cristãos/ãs não devem ter medo, são convidados/as a confiar naquele que promete estar sempre com seu povo: “Eu estarei com vocês todos os dias até o fim do mundo” (Mt 28,20).

Sem dúvida, para os primeiros ouvintes do evangelho de Mateus, judeus convertidos à fé cristã, esta reiteração de confiar no Senhor, de não temer porque Deus está com eles, remete-os ao texto do profeta Isaías, iluminando-o: “Assim diz Javé: Não tenham medo, porque eu o redimi e o chamei pelo nome; você é meu. Quando você atravessar a água, eu estarei com vocês e os rios não os afogarão. Não tenham medo, pois eu estou com vocês” (Is 43, 1-6).

Hoje podemos nos perguntar quais são as tensões que sofrem as comunidades cristãs, em diferentes partes do mundo.

No Brasil, na América Latina , mortes de pessoas ambientalistas como 14 ativistas de direitos humanos foram mortos em 2017 na América Latina, alerta a Comissão Interamericana de Direitos Humanos – CIDH (A CIDH é um órgão autônomo da Organização dos Estados Americanos – OEA), denunciou que 14 defensores de direitos humanos foram assassinados na América Latina desde o início de 2017. O órgão expressou sua “profunda preocupação” pelo número, que considerou alto. No informe, a entidade “reitera sua preocupação pelas pessoas defensoras dos direitos à terra e aos recursos naturais, e as pessoas defensoras indígenas e afrodescendentes que continuam enfrentando grandes riscos de violência”. (Site Comissão Pastoral da Terra)

Nesta situação, somos convidados a escutar novamente as palavras de Jesus: “O que digo a vocês na escuridão, repitam à luz do dia, e o que vocês escutam em segredo, proclamem sobre os telhados”.

Da amizade, da intimidade com Jesus brota a missão. Como diz o apóstolo João: “Aquilo que existia desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com nossos olhos, o que contemplamos e o que nossas mãos apalparam: falamos da Palavra que é a Vida… isso anunciamos” (1Jo 1,1.3).

Por isso, nós discípulos missionários não podemos ficar calados, omissos diante da destruição do planeta terra, do habitat da pessoa humana, que atinge a fauna, a flora e todo o bioma.

Jesus promete sua presença contínua ao nosso lado e utiliza uma metáfora muito bonita que alimenta a esperança das comunidades: “Não se vendem dois pardais por alguns trocados? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do Pai de vocês. Quanto a vocês, até os cabelos da cabeça estão todos contados. Não tenham medo! Vocês valem mais do que muitos pardais”.

Encorajados/as por este cuidado amoroso que Deus tem por nós, e pelo testemunho de tantos homens e mulheres que na nossa América Latina souberam ser fiéis ao projeto de Deus, sofrendo a perseguição e até a morte, continuemos nossa missão na construção de um mundo de acordo com o sonho de Deus, que é Pai misericordioso e bondoso.

Oração: (Vida) O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Oração (Papa Francisco na Oração pela Paz)

Senhor Deus de Paz, escutai a nossa súplica!

Tentamos tantas vezes e durante tantos anos resolver os nossos conflitos com as nossas forças e também com as nossas armas; tantos momentos de hostilidade e escuridão; tanto sangue derramado; tantas vidas despedaçadas; tantas esperanças sepultadas… Mas os nossos esforços foram em vão.

Agora, Senhor, ajudai-nos Vós! Dai-nos Vós a paz, ensinai-nos Vós a paz, guiai-nos Vós para a paz. Abri os nossos olhos e os nossos corações e dai-nos a coragem de dizer: «nunca mais a guerra»; «com a guerra, tudo fica destruído»! Infundi em nós a coragem de realizar gestos concretos para construir a paz. Senhor, Deus de Abraão e dos Profetas, Deus Amor que nos criastes e chamais a viver como irmãos, dai-nos a força para sermos cada dia artesãos da paz; dai-nos a capacidade de olhar com benevolência todos os irmãos que encontramos no nosso caminho.

Tornai-nos disponíveis para ouvir o grito dos nossos cidadãos que nos pedem para transformar as nossas armas em instrumentos de paz, os nossos medos em confiança e as nossas tensões em perdão. Mantende acesa em nós a chama da esperança para efetuar, com paciente perseverança, opções de diálogo e reconciliação, para que vença finalmente a paz.

E que do coração de todo o homem sejam banidas estas palavras: divisão, ódio, guerra! Senhor, desarmai a língua e as mãos, renovai os corações e as mentes, para que a palavra que nos faz encontrar seja sempre «irmão», e o estilo da nossa vida se torne: shalom, paz, salam! Amém

Passos da Leitura Orante

Contemplação: (Vida e Missão) Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
O que estou fazendo para a construção da paz? Sinto –me encorajada (o) para falar de acordo com os ensinamentos de Jesus: “O que digo a vocês na escuridão, repitam à luz do dia.”

Bênção Bíblica
Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém
Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém
(Nm 6, 24-27)

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Liturgia diária: Evangelho – Mt 7,1-5

25.06.2017 Angelus Domini

CNBB lança documento sobre iniciação à vida cristã, aprovado na última Assembleia Geral

Liturgia Diária: Evangelho – Mt 10,26-33

Pastoral da Sobriedade da Arquidiocese de Fortaleza realizou Semana Nacional de Combate as Drogas 2017

QR Code Business Card