Atualidades

Progrmação da Semana Santa da Catedral Metropolitana de Fortaleza

A Paróquia São José – Catedral Metropolitana de Fortaleza está com a seguinte Programação para Semana Santa 2017:

DIA 09 DE ABRIL – DOMINGO DE RAMOS
Às 8h, Bênção dos Ramos e Procissão (saída da Igreja de Cristo Rei) à Catedral Metropolitana, Missa Solene presidida por Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza.
Durante o dia também haverá missas nos horários de 10h, 12h, 18h30 e 20h.

DIA 13 DE ABRIL – QUINTA-FEIRA SANTA
Às 8h, Missa da Unidade (Santos Óleos) presidida por Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza e concelebrada por todo o clero.
Às 18h30, Missa da Ceia do Senhor (Lava-pés), presidida por Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza.

 DIA 14 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA SANTA
Às 9h, Celebração das Horas com Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza.
Às 15h, Celebração da Paixão e Morte do Senhor, seguida de procissão do Senhor Morto com Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo de Fortaleza.

DIA 15 DE ABRIL – SÁBADO SANTO
Às 9h, Celebração das Horas com Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza.
Às 20h, Solene Vigília Pascal.

Dia de 16 DE ABRIL – DOMINGO DA RESSURREIÇÃO
Às 10h e 12h – Missas.
Às 18h30, Missa Solene da Ressurreição, presidida por Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo de Fortaleza, seguida da Procissão Do Senhor Ressuscitado.

Informações: (85) 3231 7951 / 3231 5084, na Secretaria Paroquial da Catedral com Lucas N. Pedrosa.

Programação Semana Santa da Catedral pdf

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »

  • Luiz Aquino disse:

    DOMINGO DE RAMOS

    O Domingo de Ramos, enquanto festa móvel cristã, marca o início da Semana Santa e nos remete à entrada triunfal de Jesus em Jerusalém; um evento da vida de Jesus mencionado pelos evangelistas Marcos (capítulo 11), Mateus (capítulo 21), Lucas (capítulo 19) e João (capítulo 12).

    Montado em um jumentinho (expressão da pequenez terrena), foi fortemente aclamado pelo povo simples que, maravilhado pelos seus milagres, tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos profetas – Aquele que vem em nome do Senhor.

    Todavia, aquela mesma multidão que O homenageou, motivada por Seus milagres, em seguida a Ele vira as costas e muitos pedem a Sua morte. Conhecedor do coração dos homens, Jesus não estava iludido. Pelo contrário, O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Reino d’Ele não é deste mundo. Que não veio na condição de um Messias político, libertador social, que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão. Não, Ele não era um Messias temporal e político, um libertador efêmero, mas o grande Libertador do pecado, a raiz de todos os males.

    ‘O Domingo de Ramos nos ensina que seguir o Cristo é renunciarmos a nós mesmos, morrermos na terra como o grão de trigo para poder dar fruto’, enfrentar os dissabores e ofensas por causa do Evangelho do Senhor. Ele nos arranca das comodidades e das facilidades, para nos colocar diante d’Aquele que veio ao mundo para salvá-lo.

    Enfim, os “ramos de oliveiras” insistem em nos lembrar de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, uma luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

    (* Ancorado no texto do professor Felipe Aquino)


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Seminário discute agenda pelo desencarceramento com coordenador da Pastoral Carcerária Nacional

Festa  da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Conjunto Nova Metrópole, Caucaia

Região Episcopal São José realiza encontro do Conselho de Pastoral

Missa de Sétimo Dia do Monsenhor Antônio Souto Ribeiro da Silva.

Papa Santa Marta: fazer-se pequeno para ouvir a voz do Senhor

QR Code Business Card