Atualidades

“Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas”.

Seguindo o estímulo da Liturgia da Igreja, somos chamados a recomeçar a vida no Advento e no Natal do Senhor. A finalidade da celebração do Ano Litúrgico é colocar a Igreja na dinâmica da ação da graça de Deus que dá sentido e força de transformação à vida e à história humana.

É partindo da celebração da Páscoa de Jesus, como fonte de vida e de luz, que o tempo novo da Ressurreição enche todo o ano com sua graça e claridade. Assim todos os acontecimentos são vividos na realidade do “ano da graça do Senhor” (Lc 4, 19), a presença do Reino de Deus que penetra o tempo da humanidade. Por isso a Páscoa não é simplesmente uma festa entre outras: é a “festa das festas”, “solenidade das solenidades”, como a Eucaristia é o “sacramento dos sacramentos. O mistério da ressurreição, na qual Cristo venceu a morte e derramou com Seu Espírito nova vida no mundo, penetra e supera a rotina do nosso velho tempo com sua poderosa força de vida.

“O Ano Litúrgico é o desdobramento dos diversos aspectos do único Mistério Pascal. Isto vale muito particularmente para as festas em torno do mistério da encarnação (Imaculada Conceição, Anunciação, Advento, Natal, Epifania) que comemoram o começo da nossa salvação e nos comunicam as primícias do Mistério da Páscoa”. (cf. C.I.C. 1171)

Estamos celebrando o Natal de Jesus. O que isto significa? São as primícias, primeiros frutos da graça salvadora da Páscoa de Cristo que vai tomando conta da humanidade. Por isto mesmo o Natal é chamado de “Pequena Páscoa”. E como a Páscoa da Ressurreição é preparada pela Quaresma que renova o processo de Iniciação Cristã, o Natal é preparado pelo Advento – tempo de esperança na vinda de Cristo, vinda esta no “hoje” de nossa vida, pois já veio em seu nascimento na carne humana e virá na glória do julgamento final.

O tempo do Advento é propício para despertar a esperança e abrir os corações; e, como lembra muitas vezes a liturgia: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.” (Mc 1,3) O Advento é novo chamado à Evangelização.

Sem terreno preparado não frutifica a semente lançada. Assim a semente da graça do Reino de Deus não pode frutificar se o terreno da humanidade não se abrir e não cooperar com ela.

“Em seu imenso amor por nós, pecadores, o Pai enviou seu Filho único a fim de libertar-nos da tirania e do poder do demônio, convidar-nos para o céu, revelar-nos os mistérios do seu reino celeste, mostrar-nos a luz da verdade, ensinar-nos a honestidade dos costumes, comunicar-nos os germes das virtudes, enriquecer-nos com os tesouros da sua graça e, enfim, adotar-nos como seus filhos e herdeiros da vida eterna. Celebrando cada ano este mistério, a Igreja nos exorta a renovar continuamente a lembrança de tão grande amor de Deus para conosco. Ela nos ensina também que a vinda de Cristo não foi proveitosa apenas para os seus contemporâneos. Sua eficácia é comunicada a todos nós se, mediante a fé e os sacramentos, quisermos receber a graça que Ele nos prometeu, e orientar nossa vida de acordo com os seus ensinamentos.” (Cartas Pastorais sobre o Advento de São Carlos Borromeu).

Estamos retomando a caminhada da celebração anual litúrgica da Igreja. Ela nos convida a este caminho pedagógico de fé e vivência cristã, revivendo em nós e em nossas comunidades, com gestos concretos, o Mistério da Salvação em Cristo Jesus.

Que o Advento e o Natal do Senhor sejam nosso programa pastoral no tempo que é dom da graça de Deus. Recomeça em nós pessoalmente e comunitariamente a fazer-se presente a paternidade de Deus em nossa filiação divina e fraternidade universal de Seus filhos e filhas. E celebramos o Natal vivendo Cristo em nós: a Palavra de Deus que se faz carne e em nós atua pelo Seu Espírito.

+ José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano

Compartilhe

Subir

8 Comentários »

8 Comentários »

  • Antª Furtado disse:

    Bom dia a todos os dirigentes e administradores do Evangelho,Eu particularmente admiro muito a Pessoa de Dom Jose Antonio que sempre Aparece na qualidade de Uma FORTALEZA justa e beELA.

  • Antª Furtado disse:

    Imagem uma sociedade sem ESTES E ESTE homem bem preparado e bem instruido para DAR CONTINUIDADE DA LUZ DO NOSSO SENHOR.

  • Antª Furtado disse:

    Eu,nao entendo porque a Sociedade fica ferida e deseja o tempo todo me testar!Eu nao sou santa quem dera ser,eu apenas busquei a Luz de Jesus para me ajudar a enxergar melhor as coisas e descobri o que é o amor verdadeiro,e quais saos meus objetivos de mais valor para conquistar.

  • Antª Furtado disse:

    Eu me sinto OPRIMIDA,e desejo que todos tomem conciencia de suas formas de oprimir.

  • Antª Furtado disse:

    Eucaristia é SACRAMENTO DOS SACRAMENTOS SIM. IMAGINE UM SACRAMENTO OPRMIDO rs.RS.

  • Antª Furtado disse:

    MAE DA IGREJA É O EVANGELHO DE JESUS.Nós somos os sacramentos.

  • Antª Furtado disse:

    Ser sacramentos de Deus exige de nós uma conciencia mais profunda de nós mesmas de nosso erros e paciencia para esperá o tempo serto para uma correçao continua.

  • João disse:

    Sete são os Sacramentos da Igreja: Batismo, Eucarestia, Confirmação, Penitência,
    Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio. Dizer que há mais ou menos Sacramentos do
    que os acima expostos é heresia condenada pelo Concílio de Trento.


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card