Atualidades

Comissão Episcopal disponibiliza subsídio para a celebração do Mês Vocacional

capa_mes_vocacional

O mês de agosto, para a Igreja no Brasil, é dedicado à reflexão e oração pelas vocações. É o mês em que as comunidades são chamadas a refletirem sobre a forma de como estão cultivando as vocações. Para dinamização do mês vocacional, a Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada (CMOVC), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), elaborou três subsídios.

De acordo com o assessor da CMOVC, padre Valdecir Ferreira, o mês vocacional “é um tempo propício para uma reflexão mais aprofundada, sobre a realidade da proposta vocacional que nós temos no Brasil”, explica.

Durante o Mês Vocacional, todos os anos, há uma temática a ser refletida. Este ano, o tema é “Eis-me aqui, envia-me”, em referência à Campanha da Fraternidade, junto à juventude, e o tema liga-se à proposta da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”.

A CMOVC preparou três subsídios para o mês. “São encontros para as comunidades, leigos, leigas, para os seminários, para as comunidades religiosas, e para todo povo de Deus”, esclarece padre Valdeir. Dois dos subsídios estão sendo disponibilizados online (clique aqui), e o terceiro está sendo comercializado pelas Edições CNBB – para adquirir, envie e-mail para venda@edicoes.cnbb.com ou ligue (61) 2193-3019.

Ao longo do mês de abril, cada semana reflete uma realidade vocacional. A primeira semana, é voltada aos Mistérios Ordenados; a segunda, é voltada à Semana da Família; a terceira, à Vida Consagrada; e a quarta, voltada aos Ministérios não-ordenados, ou da vocação leiga.

Na bíblia, para o apóstolo Paulo, a vocação se distingue do mero talento humano. Partindo da sua própria experiência ele conceitua vocação como “uma convocação para ser instrumento de proclamação do governo e da providência divina” (Atos 9:15-16). Segundo padre Valdecir, a proposta básica para o mês vocacional, é “criar uma cultura vocacional, onde todas as pessoas, a partir do batismo, sintam-se vocacionadas, envolvidas, comprometidas, e resgatem o valor da vocação.”

O padre ainda explica que as diferentes regiões do Brasil se organizam de inúmeras formas para a celebração, criando cartazes, vinhetas e programas, para rádio e televisão. Outras investem mais no campo da espiritualidade, da catequese. “Os regionais agem de maneira muito diversa, para a programação e para também a execução do mês vocacional. No entanto, basicamente, ficamos no campo das orações, das liturgias, com o trabalho com o público da catequese e da juventude, e nas mídias de rádio e televisão”, afirmou.

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Pedra rejeitada

56ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

POM celebra 40 anos lançando vídeo institucional

Secretaria de Comunicação da Santa Sé fez cobertura total da 56ª Assembleia

No seu onomástico Papa dá sorvete aos mais necessitados


QR Code Business Card