Atualidades

Romaria eterna

A Igreja do Brasil vive o Ano Mariano, introduzido por Dom Sérgio da Rocha no dia 21 de setembro de 2016 com a celebração de abertura da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na sede da entidade, em Brasília-DF. Este ano comemoramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida – como era conhecida –, nas águas do Rio Paraíba do Sul, iniciado aos 12 de outubro de 2016, com todo o seu desenrolar, e conclusão para 11 de outubro deste, com o que foi proposto: celebrar, fazer memória e agradecer.

Como católicos, não podemos perder de vista, com grande sinal – forte e vivificante–, a presença da mãe de Deus, que quis se estabelecer, com sinais inconfundíveis, num centro de devoção mariana de romaria, como tão bem se canta pelo Brasil afora, em versos e prosa: “Sou caipira, Pirapora nossa/Senhora de Aparecida/Ilumina a mina escura e funda/O trem da minha vida”; tudo para que na força e graça salvadora de Jesus de Nazaré se expressasse e expandisse livremente a vontade de Deus, vinda de uma mulher que soube recorrer a quem podia socorrer diante da aflição, quando o vinho tinha se acabado.

Somos chamados a nos voltarmos para Deus, rendendo-Lhe graças, através de preces fervorosas, tendo no mais íntimo do íntimo a Padroeira do Brasil, com a consciência de que nossa vida aqui na terra é uma caminhada, é uma romaria. Daí voltar nossa mente e coração para Aparecida, onde se encontra a mãe terna e generosa, sempre pronta a nos atender: “Pra pedir em romaria e prece/Paz nos desaventos/Como eu não sei rezar, só queria mostrar/Meu olhar, meu olhar, meu olhar”. Pedir aquele vinho das Bodas de Caná, o vinho da nova aliança, bom e da melhor qualidade, segura garantia do nosso alimento rumo ao término feliz da eterna romaria: a Jerusalém celeste.

Quão maravilhoso é em Maria não se encontrar nada de obstáculo, de imperfeição, de falha! Somos animados em nossa persistente caminhada do dia a dia na esperança do triunfo: a glória. Neste Ano Mariano do Tricentenário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, que fique sempre mais clara a nossa missão, que é um caminho a ser percorrido por nós, mesmo para aqueles que já fizeram uma árdua e longa caminhada. Guardemos no coração a seguinte imagem da Santa Mãe de Deus: “É a toda bela, toda pura, toda santa, a glória de Jerusalém, a alegria de Israel, a honra do seu povo, a nossa honra, garantindo o pleno êxito da redenção pela sua íntima participação na obra redentora do seu Filho”. Assim seja!

Padre Geovane Saraiva: Pároco de Santo Afonso e Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card