Atualidades

Natividade de São João Batista

Segunda feira, dia 24 de junho, celebramos a Natividade de São João Batista, conhecido como o “percursor” de Cristo. Pouquíssimos santos são tão populares aqui no Brasil como São João Batista cuja vida e pregação, seus atos e morte aparecem nos evangelhos. A festa dele é celebrada com cantos, danças folclóricas, fogueiras, quadrilhas, foguetes além das procissões etc. Filho de Zacarias, sacerdote do Templo, e de Isabel, prima de Maria, a Mãe de Jesus. Não tinham filhos porque Isabel era estéril e os dois eram de idade avançada. Seu milagroso nascimento e missão foram anunciados pelo Anjo Gabriel ao pai Zacarias. Sabemos pouco de sua infância e adolescência. São Lucas nos conta que “Quanto ao menino, ele crescia e o seu espírito se fortalecia; e esteve nos desertos até o dia da sua manifestação a Israel” (Lc 1, 80). O evangelho descreve com traços fortes e sóbrios seu estilo de vida e pregação. Alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre, vestia uma pele de camelo e pregava o arrependimento e a preparação para a vinda do Messias e de seu reinado.

João começou a pregar e batizar próximo do ano 27 de nossa era e, segundo São Lucas, “foi-se por toda a região do Jordão proclamando o batismo para o perdão dos pecados” (Lc 3,3). João Batista teve o singular privilégio de batizar o próprio Cristo, embora protestasse ser indigno de desatar-lhe as sandálias. Novamente, segundo São Lucas, João disse: “Eu vos batizo com água, mas vem o que é mais forte que eu e não mereço soltar-lhe a correia do sapato. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo” (Lc 3,16). Daí lhe vêm seus dois grandes títulos “Precursor” e “Batista”. No seu evangelho São João afirma: “Houve um homem enviado por Deus; seu nome era João. Ele veio como testemunha, para dar testemunha da luz, a fim de que todos cressem por ele. Ele não era a luz, mas devia dar testemunho da luz” (Jo 1, 6-8). João reconheceu Cristo como o Messias quando o Espírito Santo desceu sobre ele. “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1, 29). O próprio Jesus fez o melhor elogio ao Batista quando Ele disse: “Entre os nascidos de mulher não há ninguém maior que o João” (Lc 7, 28). Novamente Jesus falou sobre João quando Ele disse: “Dele é está escrito: Eis que envio o meu mensageiro diante de ti; ele preparará o teu caminho diante de ti” (Lc 7, 27).

João morreu mártir porque denunciou publicamente o adultério de Herodes, que vivia com sua cunhada Herodíades. Salomé, filha de Herodíades, a pedido de sua mãe, exigiu a cabeça de João depois de haver dançado na frente de Herodes. João foi preso, encarcerado na prisão de Maqueronte, perto do Mar Morto e degolado. Sua cabeça foi entregue à Salomé em uma bandeja. A festa de seu nascimento vem sendo celebrada desde o século lV no dia 24 de junho. João pertence ao Antigo Testamento e nós ao Novo. Quem viver plenamente a redenção que vem de Cristo, já é maior, pela graça, que o profeta e mártir João. Porque Cristo disse: “…o menor no Reino de Deus é maior do que ele”.

Por: Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Na celebração do I Dia Mundial dos Pobres Arquidiocese lança a 9ª Festa da Vida

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018


QR Code Business Card