Atualidades

Missão é abrir-se ao mundo

À medida que passam os tempos, a missão da Igreja merece uma maior atenção, sempre acompanhada de um renovado ardor da parte dos cristãos. Faz-se mais necessário o valor indizível da oração, como sustento da ação missionária da Igreja, e o sucesso de todo trabalho depende, evidentemente, da íntima e estreita união com Deus dos seguidores de Jesus de Nazaré. Que a Igreja, sacramento de salvação, continue, corajosamente e com grande sabedoria e satisfação, a anunciar o Evangelho da salvação aos homens do nosso tempo, sem nunca perder de vista a natureza da missão, que é partir até aos confins do mundo, como ensina o Livro Sagrado: “Como é maravilhoso ver o mensageiro pelas montanhas, trazendo notícias de paz, boas notícias de salvação” (Is 52, 7).

A Igreja Católica é, na sua essência, missionária, e jamais pode prescindir da sua missão e muito menos se fechar em si mesma, diante do imperativo do seu fundador, mestre e Senhor, quando diz para ir pelo mundo inteiro e pregar o Evangelho a toda criatura (cf. Mc 16, 15). Em obediência ao Evangelho, a Igreja quer sensibilizar todas as pessoas de boa vontade, no desejo de um crescimento sempre maior do amor por sua obra missionária, não porque somos bons, mas porque Deus é essencialmente terno e bom.

O Servo de Deus, Dom Helder Câmara, numa enorme vontade de ver a terra repleta da glória de Deus, como contribuiu com a obra missionária da Igreja, ao afirmar: “Missão é partir, é não se deixar bloquear nos problemas do pequeno mundo a que pertencemos: a humanidade é maior. Missão é partir, mas não devorar quilômetros. É, sobretudo, abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los. E, se para encontrá-los e amá-los é preciso atravessar os mares e voar lá nos céus, então Missão é partir até aos confins do mundo”.

O mês missionário deste ano de 2016 remete-nos à criação, a partir da força da figura humana de Francisco de Assis, ao buscar uma única coisa: viver o Evangelho de Jesus, sendo fermento de renovação dentro e fora da Igreja, no seu apaixonado amor pela cruz santa do Senhor, ensinando-nos que o mundo é nossa casa comum e o temos como missão, assim como ele cantava: “Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta, governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras”.

Que a força na palavra de Deus, na fé do samaritano curado, ao voltar para agradecer a Jesus, reconhecendo a bondade infinita de Deus, na sua ação salvadora (cf. Lc 17, 11-19), ajude-nos a olhar com carinho para um terreno tão vasto que é a missão da Igreja, dizendo ao bom Deus não só muito obrigado por tudo de bom que acontece, mas que saibamos dar glória a Deus pelo generoso trabalho missionário da Igreja em toda a extensão da Terra.

Padre Geovane Saraiva*

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

 

padregeovane

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card