Atualidades

“Magnum Principium” do Papa Francisco

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald – Redentorista

O dia 11 de setembro, próximo passado, o Vaticano publicou o “Motu Proprio” do Papa Francisco titulado “Magnum Principium”, assinado no dia 3 de setembro e que entrará em vigor no dia 1º. de outubro de 2017. Esta Carta Apostólica busca-se reafirmar a autoridade da Sé Apostólica na adaptação dos textos litúrgicos às diferentes línguas de uso comum e aumentar a coordenação com as Conferências Nacionais Episcopais nesta tarefa. Desta forma, procura-se garantir a fidelidade das versões dos textos litúrgicos e bíblicos em línguas de uso comum aos textos originais em língua latina.

A Carta Apostólica “Magnum principium” estabelece mudança no cânone 838 do Código Canônico. O cânone 838 diz respeito às traduções. Agora o papa Francisco estabelece que a tradução de textos litúrgicos, aprovada pelas Conferências Episcopais Nacionais, não seja mais submetida à revisão por parte da Santa Sé (recognitio), mas à confirmação (confirmatio).  Desta forma, a Sé Apostólica ratifica, em substância, o trabalho das Conferências Episcopais, pressupondo a sua fidelidade e a correspondência das versões ao texto litúrgico original. Nas palavras do jornal do Vaticano “L’Osservatore Romano”, “ a oração litúrgica deve se adaptar à compreensão do povo para ser plenamente vivida, com um estilo expressivo, fiel aos textos originários, mas capaz de comunicar o anúncio de salvação em qualquer contexto linguístico e cultural.” A mesma fonte em sua edição de 9/9/2017 afirma: “É com o objetivo de favorecer a participação de todos na liturgia << de maneira consciente, ativa e proveitosa>>, como recomendavam os padres do Vaticano ll na constituição Sacrosantum Concilium de 1963”. Basicamente são estes os motivos que levaram o Papa Francisco, com base numa comissão composto de bispos e peritos no assunto, a modificar o cânone 838 do Código Canônico relativo à publicação dos livros litúrgicos e às suas versões nas diversas línguas.

Obviamente este motu próprio vai fortalecer a relação entre a Sé Apostólica e as Conferências Nacionais Episcopais na preparação e na tradução dos textos litúrgicos. Compete agora às Conferências Episcopais Nacionais preparar fielmente as versões dos livros litúrgicos nas línguas vernáculas, adaptadas dentro dos limites fixados, aprová-las e publicar os livros litúrgicos, para as regiões da sua competência após a confirmação da Sé Apostólica.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Pedra rejeitada

56ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

POM celebra 40 anos lançando vídeo institucional

Secretaria de Comunicação da Santa Sé fez cobertura total da 56ª Assembleia

No seu onomástico Papa dá sorvete aos mais necessitados


QR Code Business Card