Atualidades

Lutero e sua marca na História

* Padre Geovane Saraiva

Agradecemos ao bom Deus por Martinho Lutero (1483-1546), que, durante alguns séculos, significou para a grande maioria dos católicos um rebelde, herege por excelência, aquele que provocou, na Igreja, o cisma do Ocidente e levou, com suas heresias, muitas almas à perdição. Mas, para os protestantes, pelo contrário, ele foi um “segundo Paulo”, que redescobriu o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, tirando-o de baixo da mesa, colocando-o em um lugar de destaque bem elevado.

Uma Igreja “Povo de Deus”, peregrina na História, santa e pecadora, necessitada de conversão, não quer se distanciar da mesma História da humanidade. Por isso mesmo, depois do Concílio Vaticano II (1962-1965), num desejo de encontrar a unidade, o bispo católico de Copenhagen (Dinamarca), Hans L. Martensen, em uma Conferência sobre “Lutero e Ecumenismo hoje”, também declarou que “católicos reconhecem hoje que Lutero, como outros, foi um teólogo genial e de grande influência na História”. Que a postura de Martinho Lutero permaneça sempre mais gravada na mente e no coração da criatura humana, com suas marcas indeléveis, homem sábio e corajoso; patrimônio da humanidade.

Martinho Lutero, há cinco séculos, aos 31 de outubro de 1517, fixou na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, o documento das 95 Teses, levando muitas pessoas de seu tempo a uma reflexão sobre o cristianismo e sua prática. Foi o início da vivência da fé no Deus do Livro Sagrado, mas no sentido do florescimento e crescimento dessa fé em um terreno bom e fértil.

Seu desejo era o de imprimir na mente e no coração do povo de Deus a mensagem da salvação, a fé e a graça do perdão para todos os filhos de Deus, com seu eixo em Jesus de Nazaré; na fé consequente, no sonho da igualdade diante de Deus. Quão grandioso para os cristãos é a facilidade de acesso à Bíblia, não deixando dúvida de sua grande relevância e importância, herança da sua iniciativa revolucionária.

Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

Compartilhe

Subir

12 Comentários »

12 Comentários »

  • Vitor Lopes Araruna disse:

    Mas o que é isso? Este site vai publicar esta heresia explícita? Como católico, sinto-me envergonhado. Antes eu tivesse

    entrado em um site de pornografia – seria menos ofensivo aos olhos de Deus. Este “padre” deveria refletir acerca de qual igreja faz parte. Não é possível que ninguém na arquidiocese lhe dê um puxão de orelha.

  • Iago Nicolas disse:

    Santa Teresa de Jesus sobre os luteranos no Caminho de Perfeição Cap 1, 2:

    Neste tempo, chegaram-me notícias dos danos e prejuízos
    causados em França por estes luteranos e quanto ia em crescimento esta desventurada seita. Deu-me grande pesar e, como se eu pudesse ou fosse alguma coisa, chorava com o Senhor e suplicavaLhe pusesse remédio a tanto mal. Parecia-me que mil vidas daria para remédio de uma alma, das muitas que ali se perdiam. E, como me vi mulher, ruim e impossibilitada de trabalhar como eu quisera no serviço do Senhor, toda a minha ânsia era, e ainda é, pois Ele tem tantos inimigos e tão poucos amigos, que estes fossem bons. Determinei-me, pois, fazer este pouquito que está em minha mão: seguir os conselhos evangélicos com toda a perfeição que eu pudesse e procurar que estas poucas que aqui estão fizessem o mesmo. Punha a minha confiança na grande bondade de Deus que nunca falta em ajudar a quem por Ele se determina a deixar tudo; e que, sendo elas tais quais eu as imaginava em meus desejos, entre as suas virtudes não teriam força as minhas faltas, e poderia assim contentar nalguma coisa o Senhor, e que todas, ocupadas em oração pelos defensores da Igreja e pregadores e letrados que a defendem, ajudássemos, no que pudéssemos, a este Senhor meu, que tão atribulado O trazem; aqueles a quem fez tanto bem. Dir-se-ia que estes traidores O querem agora de novo pregar na cruz, e que não tivesse onde reclinar a cabeça.

  • Francisco Reginaldo disse:

    Esse texto tem muitas mentiras! Lutero foi um grande herege isso sim, e é pai das grandes desgraças que temos hoje! Como pode isso ser publicado num site católico, ainda mas de uma arquidiocese?

  • Ery Alves disse:

    Antes de tudo, possamos saber discernir melhor para escrever o tipo de crítica a qual se destina determinado artigo, não levando em consideração apenas o sujeito da história, no caso aqui, Martinho Lutero. O próprio autor apenas mostrou para nós, em contexto, quem foi esse personagem na história da Igreja; pelo contrário, não se mostrou adepto das doutrinas e teses proferidas pelo mesmo em sua época. Além do mais, falar de algo ou alguém na temática da religião, não irá diminuir ou tirar fé de ninguém, é história, e história é cultura, literatura, é repassada, lida, contextualizada.

  • Maria Clara Gomes disse:

    Nossa igreja precisa estar viva e atuante na história, refletir sempre sobre seus passos e os caminhos que trilhamos para viver o Evangelho com os pés fincados em nosso mundo. Este texto traz uma memória muito importante para nós, e nos ajuda a ser cristãos na nossa história. Devemos, sim, dialogar sempre com nosso mundo e nossa história… Devemos buscar a convivência fraterna e amorosa com nossos irmãos, e ser sinais de UNIDADE em um mundo marcado por divisões. Parabéns pelo texto! Que sejamos UM!…

  • Rosa Maria Gomes disse:

    Desde o Concílio Vaticano II, o ecumenismo é um princípio fundamental para os cristãos. Refletir sobre Lutero e sua importância na história da igreja contribui para nossa formação cristã e para nosso conhecimento histórico. Este texto traz conteúdos relevantes para vivermos a unidade e o ecumenismo.

  • Geilson Cajui disse:

    Neste artigo expressa um contexto histórico da nossa Igreja, e reconhece na pessoa de Lutero a sua contribuição para afirmação da fé católica, que deve ser baseada a luz da palavra de Deus, e por questões de relevantes fincados ao percurso de formações e ideologias que constroem a cada dia o ecumenismo, parabéns ao autor do artigo pela tão edificante para mim, pelo conteúdo e pela didática das palavras que me ajudou a clarear e fortalecer minha fé na comunhão católica apostólica romana.

  • Jardel Silveira disse:

    Antes agredir um ser humano com palavras duras como as colocadas acima, é preciso falar quem é o Pe. Geovane Saraiva. Trata-se de um Sacerdote bom, fiel à sua missão, e que cuida com extremo carinho da sua messe, estando sempre sintonizado com as aspirações dos Papa Francisco, bem como daqueles que souberam encontrar o Cristo no rosto do empobrecido, como Charles de Foucauld e Dom Hélder Câmara. Este Sacerdote encontra-se SEMPRE diariamente presente na Paróquia, para atender e se deixar consumir por todos que o procuram, seja para se confessarem, seja para ir visitar um doente. Por outro lado, é autor de mais de uma dezena de livros, membro da AMLEF e da ALMECE, livros estes nos quais se derrama amor pelo Cristo e por Maria, além do zelo excessivo com o nosso maravilhoso Papa Francisco.
    Dito isto, eu gostaria que vocês lessem essa matéria (https://exame.abril.com.br/mundo/papa-francisco-diz-que-martinho-lutero-levou-biblia-as-pessoas/), e percebessem que este Sacerdote (Pe. Geovane) está perfeita consonância com o Vigário de Cristo, chefe maior visível da Igreja Católica, porquanto quem o acusa aqui de heresia, está indo pois contra as iniciativas do Vigário de Cristo na terra. Então eu lhes pergunto quem de fato comete heresia.

  • Jardel Silveira disse:

    Antes agredir um ser humano com palavras duras como as colocadas acima, é preciso falar quem é o Pe. Geovane Saraiva. Trata-se de um Sacerdote bom, fiel à sua missão, e que cuida com extremo carinho da sua messe, estando sempre sintonizado com as aspirações dos Papa Francisco, bem como daqueles que souberam encontrar o Cristo no rosto do empobrecido, como Charles de Foucauld e Dom Hélder Câmara. Este Sacerdote encontra-se SEMPRE diariamente presente na Paróquia, para atender e se deixar consumir por todos que o procuram, seja para se confessarem, seja para ir visitar um doente. Por outro lado, é autor de mais de uma dezena de livros, membro da AMLEF e da ALMECE, livros estes nos quais se derrama amor pelo Cristo e por Maria, além do zelo excessivo com o nosso maravilhoso Papa Francisco.

  • Caminha Almeida disse:

    Quero expressar toda minha solidariedade ao Padre Geovane Saraiva pelo seu extraordinário trabalho nos livros e artigos por ele redigidos, um sacerdote comprometido com a dinâmica da fé cristã e nos passos da Igreja Católica Apostólica Romana, esse artigo que fala sobre Lutero ao meu modo de compreensão contextual tem dois eixos importantes; a histórico e cultural. Parabéns Padre Geovane por essa contribuição literária.

  • Pe Geovane Saraiva disse:

    No esforço e na busca ser um bom filho da Igreja Católica, acho mais do que ultrapassado, nos nos nossos dias, olhar para um Martinho Lutero patológico (enfermo), de vida ruim no convento (revoltado), escrupuloso e orgulhoso, como pessoas asseguram acima. Convenhamos, somos enfermos, pecadores. Obrigado! Suplico para todos as melhores bênçãos divinas.

  • Joao Carduci Pereira disse:

    Não se preocupe. Sempre haverá pensamentos discrepantes. A Intolerância ė a arma dos preconceituosos


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Nossa Senhora de Guadalupe

Editorial – dezembro 2017: “Campanha para a Evangelização”

Agenda do Arcebispo: Janeiro 2018

Decretos e Provisões – novembro 2017

Boletim Igreja no Brasil – CNBB – n. 266


QR Code Business Card