Atualidades

Dança, Isabel, dança, porque quando a gente dança, a gente é livre!

isabel350Isabel Cristina, de sobrenome Forte, é aquilo que seu nome traduz – uma fortaleza! Bebel, como é conhecida, contagia a todos com sua simplicidade, sinceridade, dinamismo e acolhimento.

Nós, da Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza (CAF), de todo o Regional e porque não dizer, da Cáritas Brasileira, temos muito orgulho de ter uma pessoa igual à Isabel Forte como agente Cáritas. Lembro, como se fosse hoje, o dia em que fiz o convite a ela para que respondesse ao edital da Cáritas de Fortaleza para animar e coordenar o Programa de Economia Popular Solidária. Ela, meio que desconfiada, disse que estava precisando de trabalho, e que nunca tinha trabalhado com essa temática, mas que sabia algumas coisas e admirava esse universo. A verdade é que ela quase não respondeu, porque estava num trabalho temporário, ao qual estava bastante dedicada (para variar!) e não sabia se ia dar conta de responder. No meio disso tudo, ela viajou, aconteceu a entrevista do edital, a pessoa selecionada desistiu e ela acabou vindo para nós.

Penso que estava marcado nas estrelas. Em poucos meses Bebel comportava-se como se tivesse estado sempre aqui. Amizade com uns, chateações com outros, mas sempre com bom humor. E quando se tratava de emoções, muitas lágrimas vimos rolar. Ela é uma pessoa que não tem medo de expressar suas emoções. E atirou-se no mundo da Economia Solidária como se fosse um mar bem verdinho, sereno e bonito de ver. Olhe que às vezes esse mar torna-se tenebroso (risos)! Mas ela sempre aguentou firme! E nessa coisa toda, ainda segurou as pontas de fazer parte da coordenação colegiada da CAF.

As danças circulares sagradas, sua paixão, tornaram-se parte do trabalho desenvolvido aqui. Todos nós entramos nessa onda e nos encontramos e reencontramos nelas. Têm sido força para muita gente, onde conseguimos levar.

Caso me perguntem qual a marca registrada de Isabel, sei dizer rápido: sua capacidade de atirar-se, desbravar, seguir novos destinos. E é isso que ela está tentando fazer indo para o Haiti. O Haiti significa o novo, um horizonte renovado ou a renovar. Mas significa também reencontrar-se, ir ao encontro do outro, ampliar a missão na Cáritas, servindo a estes nossos irmãos e irmãs, vítimas de um desastre ambiental, de desigualdade, de uma história de escravidão, mas de muito sonho de liberdade. Sua ida é a possibilidade de entregar algo, dar-se e, com certeza, receber também. Receber uma vida nova, receber novo encanto, aprender novas coisas. Isabel é uma aprendente sempre! Nós ficamos aqui na torcida, para que essa menina siga com segurança, seguida pelas nossas boas energias. Que Deus a acompanhe! Que o caminho seja suave aos seus pés! Muita saúde! Muita paz! Saúdo-a com uma frase de seu último livro de cabeceira, da sua xará Isabel Allende: “Dance, dance Zarité, porque escravo que dança é livre… enquanto dança.” Você já aprendeu essa liberdade! Vá!

Por  Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza (CAF)

 

Compartilhe

Subir

2 Comentários »

2 Comentários »

  • Fatima jeronimo disse:

    Isabel Forte sinônimo de fortaleza, cada vez mais te admiro !!!! Feliz viagem

  • Dom Helder Genibaú disse:

    Isabel, tia Bel, Titia, vai deixar saudades, mas esse povo de Deus também te espera e você com sua alegria, energia vai ajudar muito também… Boa sorte querida nesse novo desafio. Que o Deus da Vida te abençoe.


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Informação sobre o Ano Nacional do Laicato

Igrejas e movimentos sociais realizam a 9º Festa da Vida na Arquidiocese de Fortaleza

Vídeo campanha para evangelização 2018 – Dom Leonardo Steiner

99ª Festa de Jesus, Maria, José no bairro Antônio Bezerra

Simpósio ecumênico em Roma debate xenofobia e populismo


QR Code Business Card